Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Vejo que o legislador brasileiro é especialista...

Jamys Douglas (Estudante de Direito)

Vejo que o legislador brasileiro é especialista em deixar brechas na lei, ou faz com intenção! mais uma vez perdeu a oportunidade de dizer o que é consumo e o que é tráfico? posso dizer que trago comigo um kg, pra usar o ano todo! se digo que é pra uso, logo devo receber a pena alternativa! claro que deram mais essa discricionaridade ao juiz, que deve analisar as circunstâncias fáticas, seria mais fácil determinar a quantidade reconhecida para uso.

Apludo a iniciativa da Lei, mas se o usuário nã...

Helena Fausta (Bacharel - Civil)

Apludo a iniciativa da Lei, mas se o usuário não procurasse o traficante , não faria uso de droga, e se o traficante respeitassem as Leis eles certamente não existiriam...em cada esquina tem um traficante e um monte de meninos se esvaindo em drogas, a policia sabe quem são os grandes e os pequenos também, mas parece que essa praga voa livre e cada vez mais nossos jovens se perdem nos caminhos ediondos sem volta das drogas...

Traficante é peixinho. O graúdo nunca aparece. ...

Band (Médico)

Traficante é peixinho. O graúdo nunca aparece. É um comércio formiga de peixinhos vendendo para usuariozinhos. E onde prende um, aparece outro. É que nem contrabandista, ladrão. Quem incentiva é o usuário receptador. No dia que o cara paga pegando uma punição, ele pula fora. Bandido é bandido e continuará sendo. Agora, pessoas honesta que são punidas ficam com vergonha e têm endereço conhecido. Fica ruim no serviço, na família, na escola.

Acredito que a nova lei em vigor tenha um signi...

MAGNATUS (Estudante de Direito)

Acredito que a nova lei em vigor tenha um significado relevante para a lei brasileira. Aqui, está aplicando-se uma lei mais severa no tratamento do assunto em questão. Não se resolve o assunto perdendo tempo com os "peixinhos", mas sim correndo atrás dos "peixões", pois são eles a fonte de toda a situação. Contudo, os usuários também sofrem uma pena, que no meu entendimento, são "cúmplices" dos que fornecem. Interessante esse entendimento do Sisnad em diferenciar o traficante do usuário. Que essa lei sirva de exemplo para as outras leis penais, pois, como acreditam muitos, a lei penal é falha.

Parece que foi feita por encomenda. Torna os pr...

Band (Médico)

Parece que foi feita por encomenda. Torna os preços mais altos e inocenta o receptador. Nunca irá acabar o tráfico se o consumidor, quem no fundo estimula a existência do negócio, for tratada de coitadinho, de doentinho. Ninguém fica viciado se não usou bastante, se usou de forma crônica. Se não teve um "amigo", maior difusor do uso, que o introduzisse ao mundo da contravenção e da receptação de ilícitos. Ninguém fica viciado porque chupou balinha na frente da escola. Ninguém faz contrabando ou rouba se não tiver aqueles que compram. Os riscos do negócio são serem pegos, mas é o que determina os preços e o lucro obtido. Risco baixo lucro baixo, risco alto, lucro alto.

Comentar

Comentários encerrados em 30/10/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.