Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Briga da notícia

Justiça recebe queixa-crime de jornalista contra Veja

IX -

No ano 2000, o querelante regressara a São Paulo, após receber convite para ser editor de economia da REVISTA ISTOÉ DINHEIRO, torna-se então responsável por várias reportagens de destaque da publicação, sendo finalista dos Prêmios Esso e Embratel de Jornalismo, em algumas ocasiões.

X -

No ano 2004, o querelante passara a acumular a função de editor de economia da IstoÉ Dinheiro com a edição de uma nova revista, a DINHEIRO RURAL, que vem tendo grande repercussão no meio ligado ao agronegócio.

XI

E durante sua carreira, o querelante já publicara três livros.

XII -

É essa a sua CARREIRA, marcada pela vocação, pelo trabalho, pela seriedade, pela dedicação e pelo empenho em informar a verdade.

Os Querelados

XIII -

O querelado Roberto Civita, é responsável pela publicação da REVISTA VEJA no exercício da função de editor.

XIV -

O querelado Mauro Calliari é responsável pela publicação da REVISTA VEJA no exercício da função de diretor-geral.

XV -

O querelado Eurípedes Alcântara é responsável pela publicação da REVISTA VEJA no exercício da função de diretor de redação.

XVI -

O querelado Mário Sabino é responsável pela publicação da REVISTA VEJA no exercício da função de redator-chefe.

4. SINOPSE FÁTICA

Fatos Antecedentes

XVII -

O querelante, enquanto jornalista e editor da revista IstoÉ Dinheiro, fora responsável por uma série de reportagens sobre o notório e ruidoso “CASO BRASIL TELECOM”, que também envolvera as empresas KROLL, Opportunity e Telecom Itália.

VIII -

Ao contrário da maior parte da imprensa, o querelante, seguidor de seus deveres deontológicos e comprometido com a missão de bem informar, fora o único profissional que se preocupara em “ouvir o outro lado”, tendo, para tanto, se valido de fontes qualificadas, ocupantes dos mais elevados cargos nas empresas envolvidas no episódio.

XIX -

Dentre outros, entrevistara (´on the records`), Jules Kroll, o fundador da agência KROLL e dois executivos ligados a PREVI - Fundo de Previdência do Banco do Brasil S/A., que informaram que a Brasil Telecom fora coagida pelo Governo Federal e pela Telecom Itália a superfaturar a compra de uma outra operadora de telefonia em US$ 250.000.000,00 (duzentos e cinqüenta milhões de dólares americanos), reportagem esta que, aliás, fora finalista de um dos mais importantes prêmios de jornalismo do País, além de ter feito publicar, com exclusividade, matéria intitulada “O Diário Secreto da Parmalat”, na qual Stefano Tanzi, filho do fundador da empresa, narrara sua angústia com a crise da multinacional do leite e seus planos para ingressar na telefonia brasileira.

Revista Consultor Jurídico, 11 de outubro de 2006, 21h02

Comentários de leitores

7 comentários

Engraçado. Quando a Veja, no começo do Governo...

www.professormanuel.blogspot.com (Bacharel)

Engraçado. Quando a Veja, no começo do Governo, elogiava o desempenho de Lula, os lulistas estavam felizes e eu querendo cancelar minha assinatura...

Ôps, "pertence" com cedilha é apenas mais um er...

Richard Smith (Consultor)

Ôps, "pertence" com cedilha é apenas mais um erro de digitação, queiram desculpar-me.

Discordo! Para a queima dos heréticos e, prin...

Richard Smith (Consultor)

Discordo! Para a queima dos heréticos e, principalmente do Excomungado, há que se utilizar o melhor combustível possível a fim de que se alcançe o fim pretendido com eficácia e sem tardança.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/10/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.