Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dossiê PT-sanguessugas

Freud Godoy diz que houve quebra ilegal de seu sigilo bancário

Freud Godoy, ex-assessor especial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirma que o sigilo bancário de sua conta corrente ou da conta da empresa Caso Sistemas de Segurança, de propriedade de sua mulher, Simone Messeguer Pereira Godoy, foi quebrado ilegalmente. Freud chegou a ser apontado como mandante da compra do dossiê que envolveria políticos tucanos com a Máfia dos Sanguessugas. Mas depois a Polícia Federal afirmou que não encontrou indícios de seu envolvimento com o caso.

Em nota, Freud contesta a informação de que recebeu R$ 396 mil do investidor Naji Nahas cinco dias antes da prisão dos R$ 1,7 milhão com os petistas Gedimar Passos e Valdebran Padilha, que o acusou de participação na compra dos documentos. A informação foi publicada na edição desta quarta-feira (11/10) de O Estado de S. Paulo.

“Houve quebra ilegal do sigilo bancário. Não há qualquer decisão judicial autorizando a divulgação ou acesso aos dados bancários, seja de Freud, seja da empresa Caso”, ressalta o advogado de Freud, Augusto Botelho, na nota enviada à imprensa.

Freud também critica as declarações feitas na reportagem pelo deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ), sub-relator da CPI dos Sanguessugas: “Vamos investigar essa pista, mas isso não significa que Freud é culpado”, disse o deputado Fernando Gabeira, sub-relator da CPI dos Sanguessugas. “É um indício importante e tem de ser investigado.”

Segundo a nota, as informações são irresponsáveis e inverídicas. Freud afirma que vai pedir a interpelação do deputado federal junto ao Supremo Tribunal Federal e requerer a instauração de um inquérito policial para apurar a eventual quebra de sigilo bancário.

Leia a nota de esclarecimento e a reportagem

Freud Godoy, por meio de seu advogado, vem esclarecer o seguinte:

1. São irresponsáveis e inverídicas as afirmações feitas pelo Deputado Federal Fernando Gabeira (PV-RJ), em matéria publicada no Jornal “O Estado de S. Paulo”, na edição de 11 de outubro de 2006.

2. As acusações de que Freud teria recebido elevada importância do investidor Naji Nahas não são verdadeiras.

3. Os extratos bancários de Freud Godoy e da empresa mencionada (CASO Sistemas de Segurança Ltda.) estão disponíveis para acesso tanto da imprensa quanto de qualquer autoridade interessada.

4. Não obstante a falsidade das acusações. Outro ponto merece ser ressaltado. Pelo que se denota da matéria, houve quebra ilegal do sigilo bancário. Não há qualquer decisão judicial autorizando a divulgação ou acesso aos dados bancários seja de Freud, seja da empresa CASO. Cabe ao Deputado, fonte da matéria, explicar onde obteve essa falsa informação.

5. As medidas judiciais cabíveis serão tomadas, tais como a interpelação do Deputado Federal junto ao Supremo Tribunal Federal e a requisição para instauração de Inquérito Policial junto à Polícia Federal para apurar eventual prática de crime.

6. Da mesma forma e com a intenção de trazer total transparência ao caso, foi encaminhado ofício ao Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga a máfia dos sanguessugas, ,juntando os extratos das contas mencionadas e requerendo apuração interna para verificar a fonte e veracidade das acusações.

São Paulo, 11 de outubro de 2006

Freud Godoy

Augusto de Arruda Botelho

OAB/SP — 206.575

Leia a reportagem publicado em O Estado de S. Paulo desta quarta-feira (11/10)

Comissão investiga depósito de R$ 396 mil na conta de Freud

Ex-assessor de Lula teria recebido dinheiro de Naji Nahas, por meio de corretora, 10 dias antes da prisão de petistas

Expedito Filho

A CPI dos Sanguessugas vai investigar um depósito de R$ 396 mil feito na conta de Freud Godoy, ex-assessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Freud teria recebido o dinheiro do megainvestidor Naji Nahas, por meio da corretora do Banco Alpha, no dia 5 de setembro, dez dias antes da prisão de Gedimar Passos e Valdebran Padilha em um hotel em São Paulo com R$ 1,75 milhão que seria usado para comprar um dossiê contra políticos tucanos.

'Vamos investigar essa pista, mas isso não significa que Freud é culpado', disse o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), sub-relator da CPI dos Sanguessugas. 'É um indício importante e tem de ser investigado.'

A operação bancária teria envolvido uma transação com ações da Telemig. Nahas seria, supostamente, o 'cedente', ou seja, o dono do lote de ações que acabou vendido e repassado para Freud Godoy. As ações da Telemig foram transformadas em reais, e o dinheiro depositado em uma agência do Banco do Brasil em Brasília. O dinheiro foi depois transferido para a conta da Caso Sistema de Segurança Ltda., empresa de segurança da mulher de Freud, Simone Messeguer Pereira Godoy.

O detalhe dessa operação bancária que a CPI vai investigar é que, segundo um especialista do mercado, Naji Nahas está impedido de operar na Bolsa e pode ter utilizado um intermediário para realizar a transação. 'Ainda assim, caso a venda das ações tenha realmente ocorrido, haverá uma pista a investigar porque a Bolsa fica com um registro de todas as operações', afirmou ao Estado o operador do mercado.

Gabeira pretende requerer à Comissão de Valores Mobiliários uma cópia do boleto com a transação. Pedirá ainda à Bolsa de Valores e à corretora do Banco Alpha os detalhes sobre as vendas de ações da Telemig. Existindo a transação bancária, o deputado quer saber se o dinheiro das ações repassado a Freud tem alguma ligação com a tentativa de compra do dossiê contra os tucanos.

O advogado de Freud, Augusto Arruda Botelho, não quis comentar o assunto ontem. Ele alegou desconhecer o fato e disse só falará depois de se informar com seu cliente. Até o momento, as investigações da PF para rastrear o R$ 1,75 milhão usado para comprar o dossiê Vedoin não apontaram nenhum indício de participação de Freud.

COLABOROU PAULO BARALDI

Revista Consultor Jurídico, 11 de outubro de 2006, 16h11

Comentários de leitores

32 comentários

Caro João, eu apenas comparo as coisas. Nessa e...

Carlos o Chacal (Outros)

Caro João, eu apenas comparo as coisas. Nessa eleição a comparação é inevitável, pois o grupo político encabeçado pelo Alckmin quer voltar ao poder, e o grupo encabeçado pelo Lula quer permanecer. Falcatrua por falcatrua os dois têm às pencas. Mas nós temos que escolher um deles eles. Não há outra opção. E o resultado da minha comparação é que o governo do PT, em quatro anos, fez mais bem ao povo do que o do PSDB em oito. É só analisar o porquê de o PT estar sendo macissamente votado no Nordeste, região em que nunca teve bom desempenho, a não ser nas capitais. É isso. Detesto corrupção. Agora, pelo menos a imprensa se interessa em divulgar as maracutias, dando o grande destaque que merecem, coisa que não acontecia no passado recente. E se você tem alguma dúvida da parcialidade da mídia, leia a Carta Capital desta semana.

Ilustre amigo Carlos, continuo não entender sua...

João (Outro)

Ilustre amigo Carlos, continuo não entender sua posição (se é que existe uma), você diz que não é simpatizante do "rouba mais faz", no entanto admite o mensalão, e demais escândalos, contudo vota nesta gang? Toda opinião deve ser respeitada, mas convenhamos, a sua está "meio" confusa. O que te faz pensar que a imprensa é contra o governo? parece que é o contrário.

João, respeito suas saudades de FHC. Ao contrár...

Carlos o Chacal (Outros)

João, respeito suas saudades de FHC. Ao contrário do que você diz, não simpatizo com o "rouba mas faz". Estive acordado durante os últimos 4 anos e posso garantir que esse envolvimenento de pessoas do PT com todas falcatruas me incomodou demais. Acontece que nós brasileiros estamos sendo bombardeados todos os dias, há mais de 1 ano, com a falsa idéia de que essas falcatruas todas começaram com o PT, ou, na melhor das hipóteses, tiveram um incremento extraordinário com o PT no poder. Isso é falso. A lama já existia antes e é profundamente lamentável e triste que alguns ícones do PT tenham mergulhado nela, para fazer companhia a FHC, Serra, e outros patifes semelhantes. Você tem razão, essa é uma mancha que não vai sair nunca. Só tem uma vantagem: agora a imprensa denuncia os rolos dos ocupantes do poder, antes não. O caso da lista de Furnas é emblemático, como afeta políticos do PSDB, a midia não dá destaque. E o que está lá não é menos grave do que o mensalão. E agora aqueles cretinos querem voltar ao poder pregando ética e qualificando o PT de inventor da corrupção. Não dá. Nem todo mundo é bobo ou sonolento. Temos que fazer uma escolha no dia 29. Um dos dois, Lula ou Alckmin será o próximo presidente da República e eu, como fiquei sempre acordado, posso comparar criticamente os dois discursos. Já fiz a minha escolha, não tenho saudades de FHC e não os quero de volta.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/10/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.