Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ação do dólar

Fenapef apóia delegado que divulgou fotos do dinheiro do PT

Por 

A Fenapef — Federação Nacional dos Policiais Federais anunciou, nesta segunda-feira (9/10), que vai entrar com representação junto ao Ministério Público para saber quem proibiu a divulgação das fotos do dinheiro que seria usado por petistas para comprar o dossiê que envolveria políticos tucanos com a Máfia dos Sanguessugas.

Francisco Carlos Garisto, presidente da federação, também divulgou nesta segunda resultado de enquete feita entre policiais federais sobre o comportamento do delegado Edmilson Bruno (responsável pela divulgação das fotos), que seguiu padrão das mais de 200 operações feitas pela corporação. Um grupo de 87% dos policiais e delegados federais (1.147 votos) defendeu o delegado e apenas 13% (164 votos) condenou a divulgação das fotos.

“O interessante é saber quem ordenou a não-divulgação. Esse delegado resgatou a dignidade do policial federal: em todas as operações da PF, o dinheiro apareceu. Pergunto-me porque esse dinheiro seria especial, afinal de contas ele tem estampada a efígie da República, não a estrelinha do PT. Apareceu o dinheiro de todas as operações da PF, menos dessa. O dinheiro e sua foto não constituem segredo de Justiça, são objeto de corpo de delito”, avalia Garisto.

O Banco Central já emitiu nota oficial, em que comunica ter repassado à Polícia Federal os nomes de todas as pessoas físicas e empresas que compraram dólares ao Banco Sofisa entre os dias 17 de agosto e 14 de setembro, véspera da prisão dos petistas Valdebran Padilha e Gedimar Passos no Hotel Íbis, em São Paulo.

Os dois carregavam R$ 1,1 milhão e US$ 248,8 mil em espécie (R$ 1,7 milhão no total) e usariam o dinheiro para comprar documentos do chefe do esquema de compra superfaturada de ambulâncias, Luiz Antônio Vedoin.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 9 de outubro de 2006, 16h19

Comentários de leitores

7 comentários

Perdoem-me, por favor. Eu errei. Humildemente r...

Richard Smith (Consultor)

Perdoem-me, por favor. Eu errei. Humildemente reconheço. Foram R$ 396.000,00 na conta de Freud Godoy e não R$ 358 mil como eu apontei. Perdão.

Apenas três consideraçõezinhas e uma perguntinh...

Richard Smith (Consultor)

Apenas três consideraçõezinhas e uma perguntinha, por pertinentes: a) sacanearam o Alckmin pelo apoio recebido do "menininho", lá no Rio, todavia estão com Lulla: josé sarney, jader barbalho, paulo maluf, fernando collor, "bispo" crivella e a IURD, Frank Aguiar e agora, tchan, tchan, tchan: delfim netto, o "Homem do Milagre", aquele que ia "crescer o bolo para distribuir", o exterminador da classe média! mas que coerente, não! b) Os Blogs de hoje trazem a história do cidadão brasileiro Jackson da Silva de 52 anos, do seu triste périplo pelos hospitais para buscar atendimento para sua mulher e do seu desabafo: "Nunca mais voto no PT!" Um pequeno detalhe acerca do brasileiro acima: é o IRMÃO do Excomungado! c) Está para estourar escânda-lo acerca das empresas "terceirizadas" utilizadas pelos institutos de pesquisa para coletar dados em campo, junto aos eleitores; d) finalmente, e o depósito de R$ 358 mil feito pelo Naji Nahas na conta do INOCENTE Freud Godóy na véspera do flagrante? Quem explica? Beijos

Patulléia PeTralha: Pague a aposta e já!

Richard Smith (Consultor)

Patulléia PeTralha: Pague a aposta e já!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/10/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.