Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dono da culpa

Infraero não responde por qualquer furto ocorrido em aeroporto

A Infraero tem o dever de guarda, mas não é a seguradora geral de todos os incidentes ocorridos em aeroportos. O entendimento é da 5ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. A Turma reformou decisão de primeira instância, que condenou a Infraero a indenizar os prejuízos causados pelo furto, no aeroporto internacional do Rio de Janeiro Santos Dumont, de equipamentos da empresa Intertrust Planejamento.

Conforme esclareceu o relator do caso, juiz federal convocado Guilherme Couto de Castro, tem de ficar claro a relação entre o dano e a culpa da empresa.

A ação foi proposta pela Intertrust. De acordo com o processo, os equipamentos foram furtados de um dos aviões da empresa, que estava estacionada no aeroporto Santos Dumont. A primeira instância concedeu a indenização e a Infraero recorreu com a alegação de que agiu adequadamente e que não ficou comprovada falha na segurança.

O relator da ação no TRF-2 acolheu os argumentos. “Uma coisa é afirmar que equipamentos de um avião foram subtraídos, e outra, completamente diversa, é imputar o ocorrido à falta de vigilância ordinária por parte dos funcionários do aeroporto.”

Guilherme de Castro ressaltou ainda que não havia sinais de arrombamento na porta da aeronave, levando a crer que ela foi aberta com a chave do próprio avião. “O autor do processo não provou que agentes da Infraero permaneciam na posse das chaves do avião, ou, de algum modo, tinham acesso a seu interior”, sustentou.

“Em suma, deixou o apelado de exibir provas mínimas da quebra do dever de guarda da Infraero quanto à custódia do bem. Assim, restam vagas a inconsistentes as informações veiculadas na inicial”, concluiu o juiz.

Processo 1992.51.01.002591-0

Visite o blog Consultor Jurídico nas Eleições 2006.

Revista Consultor Jurídico, 6 de outubro de 2006, 15h03

Comentários de leitores

2 comentários

5ª Turma ou 5ª categoria ??. Um empreendim...

Simão, Wilson (Outros)

5ª Turma ou 5ª categoria ??. Um empreendimento desse tipo tem tudo para dar certo. A vitima tem que passar por ali mesmo, só resta uma duvida; onde fica o direito do consumidor . Nós otários pagamos uma taxa de embarque para quem ?

Então que contrate uma seguradora para ressarci...

Luiz P. Carlos (((ô''ô))) (Comerciante)

Então que contrate uma seguradora para ressarcir o prejuizo dos usuarios. Fala serio...

Comentários encerrados em 14/10/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.