Consultor Jurídico

Notícias

Penhora online

Fiesp quer que empresários sejam ouvidos antes de penhora online

Comentários de leitores

11 comentários

Quem paga impostos e salários em dia e de acord...

RAFAEL ADV (Procurador do Município)

Quem paga impostos e salários em dia e de acordo com as regras legais... não tem a menor preocupação com a penhora on-line.... ... quem não deve não teme !!!!!!!

Como se diz lá no interior: "lamber a vaca", a ...

Armando do Prado (Professor)

Como se diz lá no interior: "lamber a vaca", a fiesp não quer, né? Esses empresários deveriam pagar corretamente àqueles que geram seus lucros e deixar de chorar lágrimas de crocodilo.

A Fiesp deveria incentivar seus associados a pa...

Ruberval, de Apiacás, MT (Engenheiro)

A Fiesp deveria incentivar seus associados a pagar corretamente as verbas trabalhistas aos empregados, ao invés de querer proteger essa corja que se enriquece à custa do trabalhador e do próprio Estado.

numa execução fiscal o devedor é citado, não pa...

Michael Crichton (Médico)

numa execução fiscal o devedor é citado, não paga e diz que não tem como pagar. uma empresa não é localizada no endereço fornecido ao fisco. mudou de lugar, encerrou as atividades e não comunicou. por que raios esperar que a empresa venha de onde está para somente então fazer uma penhora on line? melhor acabar com qualquer cobrança. o conjur precisa conhecer de PERTO o funcionamento judicial para não ficar embarcando em história da carochinha.

rubens leite filho (Advogado Autônomo 25/11/200...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

rubens leite filho (Advogado Autônomo 25/11/2006 - 13:24 Este projeto de Lei que a Confederação Nacional da Indústria apresentou e está nas mãos do Dep. Eduardo Cardozo, mesmo que prospere, jamais haverá de ser acolhido pela Justiça do Trabalho, que se lastreia em outros princípios protetivos ao Trabalho, que não os "bons negócios " do neoliberalismo, como já disse o Presidente do TST. O Capital que assuma sua posição de "assumir o risco da atividade empresarial" e evite se locupletar de verbas alimentares que até cadeia dá num país mais civilizado! O engraçado disso tudo, é o DÚrso ter ido no debate no Templo das Indústrias e no dia seguinte é lançada essa nota do grande empresariado. Será que faz parte da campanha do referido candidato na testa da OAB São Paulo? Advogados, abraço de urso é afinado com a FIESP e todo o restante do patronato, incluindo farsantes sindicais os velhos pelêgos!

São Paulo, 26 de outubro de 2.006. At.: ...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

São Paulo, 26 de outubro de 2.006. At.: Dr. RUI CELSO REALI FRAGOSO: Recebemos por e-mail em nosso Escritório, mensagem contendo resultado de uma pesquisa eleitoral para Presidente da OAB/SP, que causou muita estranheza. É possível acreditar numa pesquisa que informa que de cada 10 advogados, 07 estão absolutamente satisfeitos com o atual Presidente da entidade e não querem nenhuma mudança? Mais, é possível acreditar que neste mesmo grupo de 10 advogados, menos do que 1 quer mudanças radicais na direção da OAB, votando na OPOSIÇÃO ? A nós parece não ser possível acreditar. Mas é isso que tenta fazer crer a mencionada pesquisa, quando informa que 70% dos advogados votam no D´Urso e 08% votariam numa chapa encabeçada por você (menos que 1 voto num grupo de 10). Como é do seu conhecimento, nós que militamos na área eleitoral estamos acostumados a ouvir falar das pesquisas eleitorais promovidas por essa Empresa (Brasmarket), que não demonstra ter um reconhecimento muito grande no mercado, já que não se ouve falar na sua contratação pelos grandes veículos de comunicação, grandes rádios, televisões e revistas, por exemplo. Mais ainda, temos em andamento, patrocinados pelo nosso Escritório, processos na Justiça Eleitoral questionando o trabalho desta Empresa na eleição municipal de Santo André, onde há fortes indícios de manipulação de resultados. A Justiça vai decidir, mas há elementos de convencimento nos autos. Há caso famoso e de repercussão no Nordeste, onde essa mesma Empresa também foi processada por questionamentos em pesquisa divulgada e que mais tarde revelou-se completamente equivocada ante o resultado das urnas. Se voltarmos um pouquinho no tempo, vamos relembrar que esta mesma Empresa já fazia trabalhos para o D´Urso, sempre dando a ele inatingível vantagem, que depois, nas urnas, verificou-se ser absolutamente incorreta. Ele não foi eleito com APENAS 25% do total de votos possíveis? Já naquele tempo a pesquisa apontava uma vantagem praticamente inatingível. E o resultado foi de APENAS 1/4 da votação possível. Outro fato curioso que não pode ser esquecido, é que um dos principais responsáveis pela assessoria jurídica da Empresa é HOJE membro do Conselho da OAB, escolhido pelo D´Urso em pessoa. Será simples coincidência que o principal advogado da Empresa contratada pelo D´Urso para fazer suas pesquisas (na eleição anterior e na atual) é membro do seu Conselho ? E que os resultados sejam tão otimistas em seu favor? Como a informação é pública, basta uma pesquisa no site do TSE e do TRE/SP, em nome da Empresa, para verificar quem é o advogado aqui mencionado. Para responder eventuais questionamentos nós já cuidamos de imprimir as pesquisas e arquivá-las. Como se já não bastasse o uso do dinheiro da OAB para fazer campanha, a defesa do paralegal (contra os interesses dos advogados), e outras atitudes já objeto de representações junto à Comissão Eleitoral, somos tratados com desrespeito, quando forçados a ler o resultado de uma pesquisa obviamente equivocada. E não é porque ela não nos favorece, e sim pela impossibilidade de se acreditar que, dentre 10 advogados, 7 estejam completamente satisfeitos com as coisas do jeito que estão. É difícil de acreditar. Só pensamos em 2 hipóteses para o resultado da pesquisa estar correto: os entrevistados fazem parte dos aquinhoados com os empregos distribuídos na OAB ao longo da atual gestão, ou a coleta de dados foi feita no condomínio onde mora o Dr. D´Urso !!! Só assim a pesquisa poderia estar correta. Assim, Dr. Rui Celso, independentemente de novas representações que venham a ser propostas em face desta pesquisa, aceite nossa manifestação de solidariedade em face de resultados tão surreais. Certamente este tipo de atitude – de tentar enganar os advogados – demonstra o desespero de quem quer continuar a defender outros interesses, que não os dos advogados. Atenciosamente Alberto Luis M Rollo OAB número 114.295 – SP.

Nas eleições de 2003, uma das mensagens...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

Nas eleições de 2003, uma das mensagens mais calorosas do candidato Luiz Flávio Borges D'Urso foi transmitida na seguinte afirmação: "precisamos reduzir o valor da anuidade". Esta bandeira eleitoral, na realidade prática da gestão, traduziu-se no inverso. A atual gestão beneficiou-se de atos do Conselho Federal que reduziu a contribuição a ele devida, de 15% para 10% do valor da anuidade e a da Caixa, de 27,5% para 20%. Ao invés de levar à prática os seus cânticos de redução da contribuição dos colegas, reduzindo a anuidade na mesma proporção, resolveu empregar estes importes em outras escolhas. Como se a finalidade da OAB fosse atender às necessidades da OAB. Nunca se viu tanta indiferença quanto à situação aflitiva em que se encontram um quinto dos advogados que não consegue obter renda suficiente para fazer seus pagamentos à entidade. Além de não repassar aos advogados esta vantagem, o candidato que fez aquela promessa reajustou o que é pago pelos inscritos em 9,09% em 2005 e em 2006 reajustou o valor, novamente, em mais 5%. Aliás, segundo a própria diretoria declara, computando-se, também, os ajustes na taxa de desconto, o reajuste global atinge 28,8%. Bem se vê que aquele que se candidatou afirmando que "precisamos reduzir o valor da anuidade", acabou por aumentá-la em quase um terço do seu valor. Passada a eleição, foram notificados 55.000 advogados para recolher as contribuições em atraso e, destes, onze mil foram chamados às barras do Tribunal de Ética. Transformaram a crise da advocacia em infração disciplinar. E como foi empregado tanto dinheiro? A natureza das escolhas da atual direção, é bem delineada se for observado, por exemplo, que nos dois primeiros anos, a "nova" OAB-SP-, apenas, em viagens e em comunicação, gastou quase dezoito milhões de reais (17.774.919,00). No orçamento de 2006, está previsto que serão gastos mais oito milhões de reais nestas duas rubricas. Foi para estas finalidades que os advogados foram tão penalizados no valor da anuidade? É preciso que a advocacia faça uma escolha em 30 de novembro, decidindo se foi bom pagar um terço a mais de anuidade para que os seus dirigentes gastem vinte e seis milhões de reais em muitas viagens e farta "comunicação"?

rubens leite filho (Advogado Autônomo 25/11/200...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

rubens leite filho (Advogado Autônomo 25/11/2006 - 13:24 Este projeto de Lei que a Confederação Nacional da Indústria apresentou e está nas mãos do Dep. Eduardo Cardozo, mesmo que prospere, jamais haverá de ser acolhido pela Justiça do Trabalho, que se lastreia em outros princípios protetivos ao Trabalho, que não os "bons negócios " do neoliberalismo, como já disse o Presidente do TST. O Capital que assuma sua posição de "assumir o risco da atividade empresarial" e evite se locupletar de verbas alimentares que até cadeia dá num país mais civilizado! O engraçado disso tudo, é o DÚrso ter ido no debate no Templo das Indústrias e no dia seguinte é lançada essa nota do grande empresariado. Será que faz parte da campanha do referido candidato na testa da OAB São Paulo? Advogados, abraço de urso é afinado com a FIESP e todo o restante do patronato, incluindo farsantes sindicais os velhos pelêgos!

Nas eleições de 2003, uma das mensagens mais ca...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

Nas eleições de 2003, uma das mensagens mais calorosas do candidato Luiz Flávio Borges D'Urso foi transmitida na seguinte afirmação: "precisamos reduzir o valor da anuidade". Esta bandeira eleitoral, na realidade prática da gestão, traduziu-se no inverso. A atual gestão beneficiou-se de atos do Conselho Federal que reduziu a contribuição a ele devida, de 15% para 10% do valor da anuidade e a da Caixa, de 27,5% para 20%. Ao invés de levar à prática os seus cânticos de redução da contribuição dos colegas, reduzindo a anuidade na mesma proporção, resolveu empregar estes importes em outras escolhas. Como se a finalidade da OAB fosse atender às necessidades da OAB. Nunca se viu tanta indiferença quanto à situação aflitiva em que se encontram um quinto dos advogados que não consegue obter renda suficiente para fazer seus pagamentos à entidade. Além de não repassar aos advogados esta vantagem, o candidato que fez aquela promessa reajustou o que é pago pelos inscritos em 9,09% em 2005 e em 2006 reajustou o valor, novamente, em mais 5%. Aliás, segundo a própria diretoria declara, computando-se, também, os ajustes na taxa de desconto, o reajuste global atinge 28,8%. Bem se vê que aquele que se candidatou afirmando que "precisamos reduzir o valor da anuidade", acabou por aumentá-la em quase um terço do seu valor. Passada a eleição, foram notificados 55.000 advogados para recolher as contribuições em atraso e, destes, onze mil foram chamados às barras do Tribunal de Ética. Transformaram a crise da advocacia em infração disciplinar. E como foi empregado tanto dinheiro? A natureza das escolhas da atual direção, é bem delineada se for observado, por exemplo, que nos dois primeiros anos, a "nova" OAB-SP-, apenas, em viagens e em comunicação, gastou quase dezoito milhões de reais (17.774.919,00). No orçamento de 2006, está previsto que serão gastos mais oito milhões de reais nestas duas rubricas. Foi para estas finalidades que os advogados foram tão penalizados no valor da anuidade? É preciso que a advocacia faça uma escolha em 30 de novembro, decidindo se foi bom pagar um terço a mais de anuidade para que os seus dirigentes gastem vinte e seis milhões de reais em muitas viagens e farta "comunicação"?

São Paulo, 26 de outubro de 2.006. At.: ...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

São Paulo, 26 de outubro de 2.006. At.: Dr. RUI CELSO REALI FRAGOSO: Recebemos por e-mail em nosso Escritório, mensagem contendo resultado de uma pesquisa eleitoral para Presidente da OAB/SP, que causou muita estranheza. É possível acreditar numa pesquisa que informa que de cada 10 advogados, 07 estão absolutamente satisfeitos com o atual Presidente da entidade e não querem nenhuma mudança? Mais, é possível acreditar que neste mesmo grupo de 10 advogados, menos do que 1 quer mudanças radicais na direção da OAB, votando na OPOSIÇÃO ? A nós parece não ser possível acreditar. Mas é isso que tenta fazer crer a mencionada pesquisa, quando informa que 70% dos advogados votam no D´Urso e 08% votariam numa chapa encabeçada por você (menos que 1 voto num grupo de 10). Como é do seu conhecimento, nós que militamos na área eleitoral estamos acostumados a ouvir falar das pesquisas eleitorais promovidas por essa Empresa (Brasmarket), que não demonstra ter um reconhecimento muito grande no mercado, já que não se ouve falar na sua contratação pelos grandes veículos de comunicação, grandes rádios, televisões e revistas, por exemplo. Mais ainda, temos em andamento, patrocinados pelo nosso Escritório, processos na Justiça Eleitoral questionando o trabalho desta Empresa na eleição municipal de Santo André, onde há fortes indícios de manipulação de resultados. A Justiça vai decidir, mas há elementos de convencimento nos autos. Há caso famoso e de repercussão no Nordeste, onde essa mesma Empresa também foi processada por questionamentos em pesquisa divulgada e que mais tarde revelou-se completamente equivocada ante o resultado das urnas. Se voltarmos um pouquinho no tempo, vamos relembrar que esta mesma Empresa já fazia trabalhos para o D´Urso, sempre dando a ele inatingível vantagem, que depois, nas urnas, verificou-se ser absolutamente incorreta. Ele não foi eleito com APENAS 25% do total de votos possíveis? Já naquele tempo a pesquisa apontava uma vantagem praticamente inatingível. E o resultado foi de APENAS 1/4 da votação possível. Outro fato curioso que não pode ser esquecido, é que um dos principais responsáveis pela assessoria jurídica da Empresa é HOJE membro do Conselho da OAB, escolhido pelo D´Urso em pessoa. Será simples coincidência que o principal advogado da Empresa contratada pelo D´Urso para fazer suas pesquisas (na eleição anterior e na atual) é membro do seu Conselho ? E que os resultados sejam tão otimistas em seu favor? Como a informação é pública, basta uma pesquisa no site do TSE e do TRE/SP, em nome da Empresa, para verificar quem é o advogado aqui mencionado. Para responder eventuais questionamentos nós já cuidamos de imprimir as pesquisas e arquivá-las. Como se já não bastasse o uso do dinheiro da OAB para fazer campanha, a defesa do paralegal (contra os interesses dos advogados), e outras atitudes já objeto de representações junto à Comissão Eleitoral, somos tratados com desrespeito, quando forçados a ler o resultado de uma pesquisa obviamente equivocada. E não é porque ela não nos favorece, e sim pela impossibilidade de se acreditar que, dentre 10 advogados, 7 estejam completamente satisfeitos com as coisas do jeito que estão. É difícil de acreditar. Só pensamos em 2 hipóteses para o resultado da pesquisa estar correto: os entrevistados fazem parte dos aquinhoados com os empregos distribuídos na OAB ao longo da atual gestão, ou a coleta de dados foi feita no condomínio onde mora o Dr. D´Urso !!! Só assim a pesquisa poderia estar correta. Assim, Dr. Rui Celso, independentemente de novas representações que venham a ser propostas em face desta pesquisa, aceite nossa manifestação de solidariedade em face de resultados tão surreais. Certamente este tipo de atitude – de tentar enganar os advogados – demonstra o desespero de quem quer continuar a defender outros interesses, que não os dos advogados. Atenciosamente Alberto Luis M Rollo OAB número 114.295 – SP.

Este projeto de Lei que a Confederação Nacional...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

Este projeto de Lei que a Confederação Nacional da Indústria apresentou e está nas mãos do Dep. Eduardo Cardozo, mesmo que prospere, jamais haverá de ser acolhido pela Justiça do Trabalho, que se lastreia em outros princípios protetivos ao Trabalho, que não os "bons negócios " do neoliberalismo, como já disse o Presidente do TST. O Capital que assuma sua posição de "assumir o risco da atividade empresarial" e evite se locupletar de verbas alimentares que até cadeia dá num país mais civilizado! O engraçado disso tudo, é o DÚrso ter ido no debate no Templo das Indústrias e no dia seguinte é lançada essa nota do grande empresariado. Será que faz parte da campanha do referido candidato na testa da OAB São Paulo? Advogados, abraço de urso é afinado com a FIESP e todo o restante do patronato, incluindo farsantes sindicais os velhos pelêgos!so

Comentar

Comentários encerrados em 3/12/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.