Consultor Jurídico

Notícias

Plano de recuperação

Vara de Falências paulista julgará ações contra a Vasp

Comentários de leitores

4 comentários

O plano de recuperação da Vasp é uma alternativ...

André Luiz Bella Christofoletti - BC ADVOCACIA (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

O plano de recuperação da Vasp é uma alternativa legal, mas a empresa já está a mais de 2 anos sem alçar vôo, será que haverá energia e capital suficiente para retomar as atividades comerciais, sem afetar os futuros passageiros/consumidores? A experiência recente da Varig nos mostra que o caminho é tortoso e cheio de espinhos, mas é possível a reabilitação lenta e dolorosa.Nesse sentido, esperamos que as autoridades acompanhem de perto as operações da "nova" VASP, caso ela relmente retorne a voar.

O negocio é processar o Brasil no exterior por...

veritas (Outros)

O negocio é processar o Brasil no exterior por desrespeito aos direitos humanos. Permite que suas cocessionarias de serviços públicos não quite os salarios dos funcionarios, lá não tem essa historia de ficar rico sem causa ( desculpa para diminuir uma indenização justa ) La escreveu e nao leu o pau comeu. Começa contar de um milhao de dolares para cima. Quem diria seculo XX1 e trabalho escravo a luz do dia.

Querem acabar mesmo com a Justiça do Trabalho !...

veritas (Outros)

Querem acabar mesmo com a Justiça do Trabalho !!!! Será que a lei Aurea ainda esta em vigor ? Essa Lei de Falencia não só pegou como derrogou parte consideravel da Constituição da Republica , eta lei porreta para ferrar trabalhador . Esta na mão do trabalhador , na proxima assembleia de credores ( que tem mais força que o Congresso Nacional ) de uma grande emnpresa é só dizer não para o plano de recuperação e garantir pelo menos 150 sm , se disser sim leva calote. Eta Brasil

A saudosa empresa Paulista ja se encamin...

hammer eduardo (Consultor)

A saudosa empresa Paulista ja se encaminha para o seu segundo ano consecutivo de paralização . Como num passe de magica , alguem "tirou a tomada da parede" e da noite para o dia a frota inteira foi abandonada pelos aeroportos principais do Brasil sendo Congonhas , na qualidade de base operacional principal, o que ficou com a maior quantidade de esqueletos de aluminio que se deterioram lentamente ao sabor das intemperies. Os valorosos Funcionarios , "só para variar um pouco" , ficaram a ver navios com suas devidas indenizações trabalhistas e salarios atrasados nunca pagos , alias parece que com o mais recente caso da Varig , a moda se consolidou para desmoralização da Justiça. O bizarro de se observar é o fato de que a verdadeira "quadrilha de laranjas" comandada por wagner canhedo , saiu de campo com a bola embaixo do braço e literalmente NADA de concreto aconteceu com nenhum deles , surpresa apenas para algum turista recem-chegado do Nepal ou do Tibet que não saiba como as coisas "não funcionam" no Brasil. A privatização "entre-amigos" da VASP no inicio daquela bandalha do des-governo collor de mello , ja rendeu um livro do Deputado Salomão da bancada do PDT do Rio de Janeiro ( Vôo 171 , a historia da privatização da Vasp - o titulo em si ja encerra maiores considerações.....). Voltando a "bandalhocracia" do des-governo collor , a privatização exigia alguem de confiança para tocar a empresa paulista dentro de um megalomano plano de expansão para o qual ela não estava preparada , o objetivo final era no longo prazo transformar a Vasp "apenas" na unica empresa de grande porte no Brasil , a Varig era ( ja naquela epoca, com os petralhas so piorou) a bola da vez que deveria ser defenestrada o mais rapido possivel. Aviões foram arrendados as dezenas dentro de um irrealidade total em vista do mercado , Tripulantes foram treinados as pressas e linhas internacionais disparadas de qualquer maneira com infraestrutura capenga , para quem nunca fora alem de Manaus , de repente o mundo ficara pequeno com novos nomes na malha como Seul, Barcelona, Bruxelas, Casablanca, Los Angeles , Frankfurt , New York , Zurich , Miami e onde mais fosse possivel , dinheiro nunca seria problema. Ocorre que para a Vasp voar para o exterior , os acordos bilaterais foram modificados e principalmente as americanas ( american, united , delta e continental) desembarcaram por aqui com força total ( alias ainda estão ate hoje) asfixiando sem muita cerimonia quem "achava" que poderia abraçar o mundo com as pernas sem maiores consequencias. Não funcionou e apenas 2 anos depois de ter a frota literalmente dobrada da noite para o dia, as maquinas começaram a ser todas retomadas devido a um "pequenino detalhe" chamado de falta de pagamento dos leasings pelas firmas de arrendamento atraves dos aeroportos brasileiros, em Guarulhos então chegaram a ter que bloquear um patio inteiro para estacionar a frota retomada na Justiça. Em Campinas havia outro tanto. Sobraram apenas as aeronaves proprias ja bem cansadas mas que haviam sido adquiridas nos bons tempos de vacas gordas quando ainda era estatal , são esses aviões que hoje apodrecem ao tempo abandonados Brasil afora , alguns como sempre, devidamente depenados e sem motores e outros componentes caros que historicamente ( no Brasil) parecem ter vida propria e saem "voando por ai"........ Faço votos de que o processo de recuperação judicial tenha exito apesar de que vão enfrentar "forças ocultas" terriveis tal qual ocorre no atual processo da VARIG em que os petralhas despreparados que "ganharam de presente" a ANAC e literalmente sentaram em cima do processo de liberação da CHETA ( perdão pelo nome mas é esse mesmo) . As atuais "irmãs poderosas" com suas caudas ornadas de cores alegres , devidamente instaladas em São Paulo , não querem de forma alguma que qualquer uma das duas retorne ao mercado que consideram ( com a devida anuencia não declarada do des-governo) , propriedade privada de papel passado. A estrada vai ser longa mas com a devida observancia do processo que é tocado pelo Juiz Ayoub do Rio de janeiro , muitos atalhos podem ser devidamente tomados. Boa sorte ao valoroso grupo de Funcionarios da Vasp , eles tem todo o direito de voltar!

Comentar

Comentários encerrados em 24/11/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.