Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Palavra de juízes

Apamagis representará OAB nacional e OAB-SP por causa de lista

A Associação Paulista de Magistrados (Apamagis) vai representar formalmente a OAB nacional e a OAB paulista. O motivo é a lista de inimigos feita pela OAB-SP. A lista tem 174 pessoas, entre juízes, promotores, policiais, vereadores e jornalistas, condenadas internamente pela entidade por violar prerrogativas de advogados. Segundo a OAB paulista, caso essas pessoas peçam a inscrição na Ordem para exercer a advocacia, terão o pedido negado.

A Apamagis também informou que o seu departamento jurídico está à disposição daqueles que pretendem ingressar com medida judicial por constarem na lista. A iniciativa foi apoiada pela Associação dos Juízes Federais do Estado de São Paulo (Ajufesp), pela Associação dos Magistrados do Trabalho da 2ª e da 15ª Região (Amatra 2 e Amatra 15). Para os interessados no serviço disponibilizado pela entidade, basta ligar no telefone (11) 3292-2200.

Em nota de repúdio à composição da lista, a Apamagis diz o método usado pela OAB-SP é “próprio dos regimes de exceção” e viola de modo evidente o Estatuto da Advocacia, “que se limita a conceder o desagravo e em lugar nenhum autoriza a entidade a execrar publicamente qualquer pessoa”.

A notícia da existência da lista foi publicada, no dia 3 de novembro, pela revista Consultor Jurídico, sob o título OAB de São Paulo faz lista de inimigos da advocacia. A OAB-RJ também começou a montar a sua lista, desde setembro.

Leia a nota:

NOTA DE REPÚDIO

As Associações de Magistrados subscritoras manifestam de público seu respeito e louvor pela advocacia responsável, parceira indispensável para a sobrevivência do regime democrático e pela preservação dos direitos e garantias individuais.

Porém, é necessário alertar aos veículos de comunicação e à comunidade em geral, que a elaboração e divulgação de listas construídas unilateralmente por entidade de classe, sob o pretexto de tornar público os desagravos concedidos e os realizados em favor de profissionais, como bandeira eleitoral no momento da renovação do seu corpo diretor, traz, para nós Juízes, que um dia estivemos inscritos naquele Órgão, que o defendemos em épocas muito mais complicadas, o sentimento de profundo desapontamento, ao verificarmos a utilização pela atual Direção de método próprio dos regimes de exceção, para discriminar até mesmo agentes policiais, violando de modo evidente o Estatuto da Advocacia, que se limita a conceder o desagravo e em lugar nenhum autoriza a entidade a execrar publicamente qualquer pessoa.

A publicidade exigida de entidade regida substancialmente pelo direito público, não chega ao ponto de permitir cultivar o ódio e a discriminação. Por tudo isto, em nome do respeito que nutrimos pela Advocacia, pelo Estado Democrático e pela Cidadania, é que lançamos apelo ao bom senso e ao espírito público dos responsáveis para que cesse a violação aos mais elementares direitos do cidadão.

Apamagis — Associação Paulista de Magistrados

Ajufesp — Associação dos Juízes Federais do Estado de São Paulo

Amatra 2 — Associação dos Magistrados do Trabalho da 2ª Região

Amatra 15 — Associação dos Magistrados do Trabalho da 15ª Região

Revista Consultor Jurídico, 11 de novembro de 2006, 7h00

Comentários de leitores

13 comentários

Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Du...

Lally (Advogado Autônomo)

Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 Dursoé12 www.dursodenovooabsp.com.br

Eduardo Elias, professor universitário e crimin...

Eduardo Elias (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Eduardo Elias, professor universitário e criminalista: Se as Corregedorias destas instituições não fossem corporativistas, agindo como os tribunais devem agir; se as Corregedorias não se postassem de forma autoritária, simplesmente ignorando os reclamos que espolcam aqui e acolá; se os membros de tais instituições ATENDESSEM às citações para suas defesas nos procedimentos da OAB, com a prepotência de quem simplesmente IGNORA e NÃO QUER DAR A MÍNIMA, não se teria esta idéia, errada, de exceção. Exceção seria se não fosse dada a oportunidade de defesa e palavra. Esta é dada mas é ignorada, pois estes se sentem mais reais do que o próprio rei, ignorando os chamados e minimizando o instrumento de desagravo. É simples entender: não atenderam, guarda similitude com a revelia e/ou preclusão. Seria o mesmo, a seguir esta desculpinha, que alguém revel entender que viesse édito contrário como Tribunal de Exceção. Chega a ser patético. Que guardassem o dever do respeito aos advogados, na mesma forma que exigem para si.

A OABnunca este tão certa e em seu estado norma...

Fábio Manzano (Advogado Autônomo - Família)

A OABnunca este tão certa e em seu estado normal de sanidade, pois, há tempo que defendo que a OAB tinha que tomar uma posicão dura como essa, pois, a Magistratura e o Parquet terão que entender que ou nos trata com o devido respeito ou terá o nome de seus membros em outras listas. Fico feliz de ter um presidente da OAB que bate no peito, arregaca as mangas e defende a nossa Classe, aliás, como nunca antes feito por nenhum dos preseidente anteriores, hoje, me sinto forte e respeitado ao entrar numa sala de Audiência, pois HOJE SOMOS RESPEITADOS E "RESPEITO É BOM E EU GOSTO"

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/11/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.