Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

Poderiamos relatar o bisonho inci...

hammer eduardo (Consultor)

Poderiamos relatar o bisonho incidente como mais uma "função" do Gran-Circo Brasilis em que se transformou nosso desmoralizado Pais. Em qualquer outra republiqueta bananeira , um ato de tal gravidade faria literalmente "cair a republica" , aqui parte-se para o ja conhecido modelo operacional Brasileiro, pega-se o "flagrado" e atira-se o elemento aos leões da Imprensa , a sequencia não muda nunca , tudo para se preservar os "nove dedos" restantes do mais espetacular despreparado que ja habitou o planalto central. Comparando-se o Ministerio original com o que sobrou hoje , da vontade de chorar , e vejam que não sairam por opção e sim por terem sido pilhados de forma indiscutivel em bandalheiras pesadas.Enquanto isso a inteligencia do Povo é agredida por aquele hipopotamo de vestido amarelo rindo deslavadamente de nossas caras estupefatas. Como sempre , o despreparado-mor da nação nunca sabe de nada o que em qualquer lugar serio ja o desqualificaria automaticamente para o cargo e conduziria a sua renuncia ou impeachment. Aqui não , vai se atirando os "cumpanheirus" um a um na fogueira desde que o palhaço central seja preservado, e absurdo dos absurdos , ele quer se reeleger! Como desde o regime militar que atrasou o Brasil 21 anos o modelito não muda , lamento concluir que as chances de reeleição do nescio-mor existem e sim , para a desgraça dos Brasileiros que possuem Q.I acima de 15 ( as galinhas tem 14). Pobre Brasil de homunculos e desinformados em geral.

Não, não é intrigante Embira (aí em baixo). É v...

Patrícia Sigaud Furquim (Advogado Sócio de Escritório)

Não, não é intrigante Embira (aí em baixo). É vergonhosa a quebra do sigilo bancário sofrida por um cidadão comum no nosso país. Esse pessoal que está envolvido não tem a mínima ética! É o fim da picada!

Em Portugal dizem que no Brasil se faz muita fo...

Embira (Advogado Autônomo - Civil)

Em Portugal dizem que no Brasil se faz muita fofoca. Nada mais injusto: primamos pela discrição e detestamos o vazamento de informações sobre a privacidade das pessoas. No Congresso, quando vem a lume qualquer irregularidade, a primeira pergunta que se faz é: quem vazou a informação? Se o brasileiro acredita que realmente existe crime hediondo, esse só pode ser o vazamento de informação sobre qualquer delito. O crime em si é de somenos: importante é que não vaze a informação. Ora, quem depositou a grana (R$ 38.000,00?) na conta do caseiro? Quem é esse benemérito “pai biológico” que deposita a indenização sem ser acionado judicialmente? Há, se fossem todos assim! Nem as nossas incontáveis revistas de fofoca se interessaram pelo assunto. Será que o “pai biológico” pagou para Francenildo depor na CPI? Não é intrigante?

Fernando Loureiro Lima Coelho. O que aconteceu ...

Duda (Bacharel - Consumidor)

Fernando Loureiro Lima Coelho. O que aconteceu com o nosso País é lamentável. Espero que o povo brasileiro esteja anotando no caderninho os personagens envolvidos em todos esses escândalos, na certeza de que nas eleições o caderninho poderá ser muito útil.

O corporativismo da mídia não tem parâmetros. C...

olhovivo (Outros)

O corporativismo da mídia não tem parâmetros. Como bem observou o colega Jales, a CEF concede verbas vultosas de propaganda para a ÉPOCA, e esta participa do expediente criminoso que tentou desmoralizar o caseiro. Nenhum veículo da mídia apontou a sem-vergonhice da colega. Afinal, imprensa não lincha imprensa. É o pacto da impunidade.

Não tenhamos dúvidas. Não vamos olvidar os merc...

Luís da Velosa (Advogado Autônomo)

Não tenhamos dúvidas. Não vamos olvidar os mercadores. Deve ter gente no governo que não lhe quer governo.

... Senhores vejam isso: Coincidências da vid...

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

... Senhores vejam isso: Coincidências da vida Das 3 três principais revistas semanais, "Época" trouxe uma novidade neste domingo: um encarte de 12 páginas, em papel especial, da Caixa Econômica Federal. Custa caro um anúncio desses. Certamente, é coisa acertada há algum tempo, pois tal operação não se faz de uma semana para a outra. A observação é importante, pois "Época" foi a revista que na semana passada teve acesso exclusivo ao extrato bancário do caseiro Nildo. A conta bancária do rapaz era na... Caixa Econômica Federal. Só para registro, a CEF é o 3º maior anunciante estatal federal. De 2001 a 2004 (2 anos de FHC e 2 anos de Lula), o bancão torrou R$ 433,3 milhões para lustrar sua imagem. Esse valor inclui apenas o gasto com veiculação de propaganda. Não é divulgado pelo governo a despesa com produção dos comerciais nem com pagamento de patrocínio. Como manda o bordão, "vem pra Caixa você também. Vem!" Escrito por Fernando Rodrigues às 16h26 http://uolpolitica.blog.uol.com.br/index.html

Pelas circunstâncias do caso e por ser um servi...

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

Pelas circunstâncias do caso e por ser um servidor público em uma instituição também que se diz pública, seis anos seria o ideal. Esperamos que o Ministério Público Federal acompanhe a ação de indenização contra CEF, para efeito do § 6º, do art. 37, da CF. Vamos ver para crer.

Comentar

Comentários encerrados em 4/04/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.