Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mudança de rumo

Rosana Chiavassa se candidata para Presidência da OAB-SP

A advogada Rosana Chiavassa deixou a candidatura de vice na chapa do Rui Celso Reale Fragoso e decidiu lançar sua própria candidatura à presidência da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil. A inscrição oficial dos candidatos deve ocorrer somente em outubro, um mês antes das eleições.

Além de Rosana, já anunciaram suas candidaturas o atual presidente Luiz Flávio Borges D’Urso, Roberto Ferreira e Rui Celso Fragoso.

Rosana Chiavassa foi a primeira mulher candidata à Presidência da OAB-SP na última eleição da Ordem em 2003. Rosana se formou em 1984 na Universidade de São Paulo. Em 1987 ajudou a fundar a OAB Mulher Estadual. É ex- Conselheira Federal da OAB.

Em 1993, conseguiu, junto com a advogada Vilma Pastro, a primeira liminar no Brasil que obrigou um plano de saúde a atender um portador do vírus HIV. Obteve ainda uma das primeiras sentenças judiciais concedendo também indenização por danos morais a um consumidor que teve atendimento médico-hospitalar recusado por seu plano de saúde, quando, até então, somente os custos do tratamento (danos materiais) eram reconhecidos.

A ex-conselheira Federal da OAB, que participa da Ordem desde 1986, afirma que em todas as campanhas ouve-se o mesmo discurso sobre valorização da advocacia, defesa das prerrogativas, fechamento do mercado e tantos outros pontos de relevo, mas, ao final das gestões, percebe-se que nada ou muito pouco mudou. Por isso, ela acha que devem ser analisados não só o discurso, que terá pontos em comum, mas os candidatos, suas histórias, para saber quem poderá dirigir a Ordem com independência.

A proposta da sua candidatura é “acabar com o continuísmo e fazer cumprir o que se ouve ao longo de todos esses anos que é o resgate da dignidade, cumprimento das prerrogativas e resgatar o papel da Ordem na defesa da Justiça”, afirma a candidata.

Revista Consultor Jurídico, 21 de março de 2006, 17h05

Comentários de leitores

21 comentários

Não existe um "discurso da desqualificação" em ...

Raul Haidar (Advogado Autônomo)

Não existe um "discurso da desqualificação" em minhas manifestações sobre a possível candidatura da dra. Rosana, advogada que respeito e admiro.O que existe é a CONSTATAÇÃO de que, em sua candidatura anterior, ela optou por formar uma chapa que NA MINHA OPINIÃO não poderia atender às necessidades da Advocacia. Quanto à proliferação de Faculdades, a OABSP sempre fez o que pôde. A gestão anterior, contudo, prestigiou algumas faculdades novas, criadas sem muito critério. Na gestão do dr. Approbato, da qual a dra. Rosana fazia parte, apresentei ao Conselho proposta no sentido de que a OABSP promovesse convênios com as Faculdades, para que pudesse fazer esforços no sentido de melhorar a qualidade do ensino. A dra. Rosana não se manifestou a respeito. Preferiu, sim, criticar minha atuação na Corregedoria do Tribunal de Ética, quando eu decidi mandar ao arquivo processos que estavam prescritos há muitos anos. Ela queria, em evidente equívoco, que processos prescritos dessem ensejo a sindicâncias inúteis. Aliás, não me lembro de nenhuma proposta relevante que a dra. Rosana tenha feito quando estava no Conselho. O que me parece mero "discurso da desqualificação" são as afirmativas atuais, quando, em entrevista numa emissora de rádio, ela reclama contra os baixos valores dos honorários pagos aos Advogados. Pena que,no Conselho, ela não tenha feito qualquer proposta para corrigir isso à época. Seria muito interessante que pudéssemos conhecer sua proposta para melhorar a remuneração dos advogados, para impedir novas faculdades, etc. etc. etc....Falar é fácil, prometer, mais ainda...

Discussões à parte... lembrem-se, só a atual ge...

ZAKIMI (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Discussões à parte... lembrem-se, só a atual gestão da OAB capitaneada pelo Dr. D'URSO é que despontam com recordes e mais recordes de realizações (desde a área cultural, até o cuidado com a saúde do advogado...). Que bom que a decisão mais coerente é o BIS... sim... "A ADVOCACIA PEDE BIS" que D'URSO seja reeleito para o equilíbrio, respeito e seriedade da advocacia paulista.

Walter Vieira Ceneviva - Advogado Com a cand...

walter vieira ceneviva (Advogado Sócio de Escritório)

Walter Vieira Ceneviva - Advogado Com a candidatura de Rosana Chiavassa votar dará gosto. Rosana é o contrário do que se vê no processo político da Ordem dos Advogados. Não é produto de um conchavo: é ela mesma a líder de sua própria campanha. Com seu carisma e qualidades de pessoa humana e advogada notável, amealhou apoios por ser quem é: uma grande advogada. Não é o “candidato-da-vez” dos grandes caciques da advocacia. É candidata da classe, apoiada por advogados, conhecida de todos há anos. Não é o ‘produto’ marketologicamente concebido para ser ‘vendido’ em campanhas milionárias. É uma profissional que tem legitimidade para pleitear a Presidência da Ordem dos Advogados, para cumprir seu compromisso de melhorar as condições de nossa classe. A chapa de Rosana será um reflexo disso: gente da classe dos advogados, com compromisso com a própria classe. Rosana Chiavassa advoga e, bem por isso, sabe que a Ordem precisa mudar, para aumentar o amparo aos advogados diante das arbitrariedades perpetradas contra as prerrogativas da advocacia. Por advogar e percorrer o Estado, Rosana conhece as demandas e as necessidades da advocacia. Sabe da fragilidade econômica do advogado e tem ouvido e formulado alternativas que propiciem melhores condições à classe, em bases realistas. Rosana Chiavassa combaterá a proliferação de faculdades, que despejam bacharéis iludidos com o diploma universitário. Esse combate é exigência da classe e, mais que isso, é exigência de cidadania: não é possível que tantos brasileiros sejam iludidos pelas escolas de esquina, riquíssimas à custa da reputação de nossa profissão. Nessa medida, lamento os equivocados comentários do colega Raul Haidar: a chapa de Rosana é chapa de advogados, para advogados. O discurso da desqualificação é batido, ultrapassado. Convoco aos colegas para que se envolvam com o processo eleitoral, conheçam e avaliem os candidatos. Tenho certeza de que o voto concebido, refletido, pensado, o voto do advogado consciente, fará mudar o rumo da advocacia de São Paulo. Por isso estou com Rosana Chiavassa.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/03/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.