Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Greve da lei

Desembargadores de Minas param em defesa do nepotismo

Os 120 desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais anunciaram que farão greve nesta segunda-feira (20/3) por discordar da Resolução 7 do Conselho Nacional de Justiça, que proíbe o Nepotismo no Poder Judiciário e contra a decisão que fixou em R$ 24,5 mil o teto salarial. A paralisação vai durar um dia e tem como objetivo servir de advertência. Minas Gerais foi um dos estados que mais resistiu à Resolução 7 do CNJ.

De acordo com os desembargadores, a resolução do CNJ “afronta a Constituição mineira, gerando uma situação de desestímulo de todas as suas atividades em prol da Justiça e da sociedade de Minas Gerais”. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

O TJ-MG cumpriu a resolução do CNJ que acabou com o nepotismo no Judiciário, mas não incluiu no anúncio de afastamento dos 363 servidores os nomes de cem parentes de desembargadores, entre os quais três filhos do presidente da Corte, Hugo Bengtsson Júnior.

Segundo o conselheiro do Tribunal de Contas, Sylo Costa, os salários no TJ mineiro ultrapassam o teto fixado. Ele disse à Folha de São Paulo que os salários dos conselheiros do TCE são os mesmos recebidos pelos desembargadores. Sylo Costa, que disse receber R$ 27 mil por mês, negou rumores que circularam em Brasília de que há conselheiros que recebem salários superiores a R$ 50 mil.

Revista Consultor Jurídico, 17 de março de 2006, 10h50

Comentários de leitores

8 comentários

Só uma palavra: Canalhas! Desculpe o desabafo!

Mauro Garcia (Advogado Autônomo)

Só uma palavra: Canalhas! Desculpe o desabafo!

Alguém sabe qual foi uma das estratégias do Rud...

Fernando Lacerda (Advogado Autônomo - Civil)

Alguém sabe qual foi uma das estratégias do Rudolph Guiliani (ex-prefeito de Nova Iorque) para acabar com a criminalidade, a chamada "Tolerância Zero" ? Foi a contratação de bons Advogados para atuarem como defensores da cidade (como Promotores de Justiça. Aqui os magistrados se julgam os "donos da lei" (não rara as vezes, acima dela) como se vindos diretamente do Olimpo. É a chamada "lei da carteirada", do "você sabe com quem está falando ?". A que saiba, não existe país de primeiro mundo sem um judiciário atuante; e só pode haver judiciário atuante com a valorização do Advogado. Podemos falar muito dos EE.UU. - opinião não se discute - porém, não se pode negar que é a maior potência do mundo. Coincidência ? Acredito que não. Fossem os juízes igualmente eleitos, não teríamos esse tipo de problema.

isso tem nome: "juizite!". Que tal a lei nesse ...

Armando do Prado (Professor)

isso tem nome: "juizite!". Que tal a lei nesse pessoal, ou a lei é apenas para os inimigos, pretos, pobres e prostitutas?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/03/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.