Consultor Jurídico

Elas estão chegando

Mulheres conquistam espaço e poder no mundo Jurídico

Por 

52

Total

1.181

513

30


A procuradora Luiza Nagib Eluf acredita que as mulheres estão indo à luta. “As mulheres estão prestando mais concurso público. Antigamente, elas eram vetadas porque os examinadores acreditavam que a carreira no MP só deveria ser seguida por homens. Hoje o quadro vem mudando e não somos mais discriminadas”, explica

Janice Arcari, procuradora do Ministério Público Federal paulista, afirma que em São Paulo o número de mulheres que atuam no MPF já ultrapassou o dos homens. “Trabalhamos em absoluta igualdade e com a mesma responsabilidade. Nós somos mais charmosas, é isso que diferencia nosso trabalho”.

A procuradora explica que a rotina da mulher procuradora, advogada ou juíza deixa ainda mais clara a característica multifuncional da mulher. “Acordo às 6h e durmo à meia-noite. Tenho de me dividir entre minha casa, meu marido e meu filho. Muitas vezes não sobra tempo para eu me cuidar como gostaria. Estou aqui na procuradoria e ligo para o meu filho para saber se ele já fez a lição de casa. O que nos faz forte é que temos a capacidade, pela nossa própria natureza, de sermos multifuncionais”.

Juíza e Mulher

As estatísticas mostram, porém que o crescimento da presença feminina tem-se dado muito às custas de mulheres solteiras, em busca de independência e afirmação profissional. Para elas a cosntituição da família pode esperar. Isso porque, pessoas como Janice Ascari, capazes de conciliar a condição de mãe, mulher e profissional do Direito ainda são a exceção.

Outra exceção à regra é a juíza federal <b>Kátia Balbino</b>, de 40 anos, que coleciona funções: atua no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, faz arte de uma comissão de mulheres juízas para participar de um encontro na Austrália, preside o processo eleitoral da Associação dos Juízes Federais, ale de ser mãe de um garoto de 13 anos e viver o segundo casamento.

“Hoje penso que dá para ser mãe, mulher e juíza. O importante é ter ao seu lado pessoas que entendam sua rotina e respeitem isso. Acordo cedo, levo meu filho para a escola, depois o busco, mais tarde tenho de encontrar tempo para levá-lo e busca-lo das aulas de inglês, procuramos almoçar juntos e ainda preciso encontrar tempo para o lazer”, diz a juíza.

Ela explica que a receita está em fazer uma negociação familiar. “Fiquei três meses trabalhando em Brasília, com a minha família na Bahia. Eles não agüentaram e pediram pra eu voltar. Aceitei a proposta. Mais tarde tive de retornar ao Distrito Federal e dessa vez todos vieram comigo. Ter tripla jornada significa saber fazer escolhas e essa é a parte mais difícil para a mulher.”

Kátia Balbino acredita que a participação feminina nos Tribunais Superiores é pequena porque a ocupação é bastante recente. Hoje, o Supremo Tribunal Federal conta com uma mulher, a ministra Ellen Gracie, que atualmente tomará posse como presidente da Corte. No Superior Tribunal de Justiça dos 30 ministros, quatro são mulheres — Denise Arruda, Eliana Calmon, Nancy Andrighi e Laurita Vaz.

“É interessante observar a jurisprudência firmada por uma mulher. Nota-se que as decisões tomadas pelas ministras são mais duras, têm a caneta mais pesada, como costumamos chamar. Isso mostra que o que vem sendo conquistado não é igualdade com os homens, mas sim espaço de trabalho”, finaliza a juíza federal.




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 8 de março de 2006, 7h00

Comentários de leitores

3 comentários

As mulheres não dominam o mundo, uma vez que já...

Luís da Velosa (Advogado Autônomo)

As mulheres não dominam o mundo, uma vez que já o dominaram. Condolezza que o diga.

LUIZ COSTA - Acho importante que as mulheres ga...

------- (Advogado Autônomo)

LUIZ COSTA - Acho importante que as mulheres ganhem, ocupem espaços. São parceiras dos homens e devem sê-lo em tudo em que for possível. Acho que as mulheres humanizam os ambientes, acalmam os ânimos. Devem crescer mais ainda, sair mais da cozinha, sem, no entanto, se esquecerem/largarem por conta não se sabe de quem, os filhos. Estes são mais importantes que os homens e as mulheres. Valem o que nada mais no mundo vale. Isso é o que deve ser lembrado sempre. Salve as mulheres que vieram e as que estão chegando.

Em nosso Escritório também as mulheres formam a...

Eneas de Oliveira Matos (Advogado Sócio de Escritório)

Em nosso Escritório também as mulheres formam a grande maioria de nossa equipe. Parabéns a todas advogadas.

Comentários encerrados em 16/03/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.