Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Código do Graal

Autor de Código da Vinci é julgado por plágio em Londres

Dan Brown, autor do polêmico best seller O Código da Vinci, deve ser julgado na próxima terça-feira (7/3), em Londres. Ele é acusado de plagiar o livro O Santo Graal e a Linhagem Sagrada, de Michael Baigent e Richard Leigh. As informações são do portal Estadao.com.br.

Baigent e Leigh afirmaram que Brown copiou a tese do livro deles, escrito em 1982, e publicado pela editora, Random House, a mesma editora de O Código da Vinci. No livro Baigent e Leigh defendem a tese de que Jesus sobreviveu à crucificação e casou com Maria Madalena. Segundo essa teoria, seus descendentes se casaram com reis franceses e há uma sociedade secreta na França que pretende repor essa linhagem não só no trono desse país, mas também de outras nações européias. Em seu livro, Dan Brown trata de uma idéia similar.

Na segunda sessão do julgamento, no Tribunal Superior de Justiça em Londres, o advogado que representa a editoria, John Baldwin, disse que Michael Baigent e Richard Leigh "pretendiam monopolizar uma informação que já é de domínio público".

Ele acrescentou que em O Código da Vinci não aparecem as duas idéias centrais de O Santo Graal e a Linhagem Sagrada: a existência de uma sociedade secreta que pretende restaurar os descendentes de Jesus nos tronos europeus e o fato de que a crucificação de Jesus foi falsa e ele conseguiu sobreviver.

Revista Consultor Jurídico, 1 de março de 2006, 14h50

Comentários de leitores

2 comentários

Ainda não entendi como um "simples livro de fic...

Camillo (Bacharel)

Ainda não entendi como um "simples livro de ficção" pode atormentar a tantos. Qual a possibilidade das teorias levantadas tornar-se realidade?! O conhecimento de informações referentes ao Graal está para os que o buscam na mesma proporção com que os Católicos aceitam os mistérios da Fé. Discuções a parte, a noticia só veio a tona, ou melhor o processo por plágio só existe pelo fato de que Dan Brown vendeu e vende muitas cópias de sua obra e por este motivo, pode, em tese, pagar grande monta em indenização por plágiar outra obra que defende tese, digamos analoga. Todos tem direito a expressar-se, desde que não o façam mediante prejuízo a outrem. Da mesma forma, todos tem direito a acreditar na narrativa de Brown ou repudia-la. Agora, tomar medidas judiciais pedindo indenização por plágio frente a um livro que vendeu mais que pastel em feira é covardia, principalmente por achar, como é o caso dos autores da ação, que desenvolveram uma tese desconhecida de todos, pois é de domínio popular a busca pelo Graal e as teses existentes são muito, mais muito antiga, talvez tão antiga quanto o proprio Graal. Este mesmo autores devem ter bebido em fontes que diversas para produzir suas obras. Gostaria de saber se o mesmo ajuizaria ação similar se a novela de Brown tivesse naufragado, sem obter lucros e exposição em midia?!

Caríssimos leitores, como um livro que não t...

JOSÉ ALVES (Professor Universitário)

Caríssimos leitores, como um livro que não tem bases sólidas nenhuma pode causar tamanha polêmica na sociedade globalizada que somos. É notório que este livro " o código de Da Vinci" trata apenas de ficção e mentira. analizem por favor tantos estudos já foram feitos sobre a vida do Filho de Deus - Jesus Cristo e até o momento a ciência tem se curvado, pois os mistérios da Fé não serão provados pelos livros e muito menos por livro tão sem graça e mentiroso como este e outros que andam por aí, insensato é aquele que compra um livro deste, para enriquecer um louco que não oferece sustento nenhum no que escreve naquele livro.

Comentários encerrados em 09/03/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.