Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Liberação de dados

Delegados pedem divulgação da lista de mortos pela polícia

"Não há porque não liberar os laudos. As ações da Policia Civil foram todas realizadas dentro da legalidade. O mesmo deve ter ocorrido nas ações realizadas pela Policia Militar." A declaração é de André Di Rissio, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, sobre a demora do governo do estado em tornar pública a lista com o nome das pessoas mortas pela polícia depois dos atentados violentos na cidade.

Rissio afirmou, ainda, que a demora do IML na liberação dos laudos não ocorreria caso o instituto estivesse subordinado à Polícia Civil. "É imprescindível que haja transparência na manipulação dos dados mantidos sob o controle do IML. Já não há mais espaço para posturas que lembrem as atrocidades cometidas outrora", argumentou em referência à manipulação de laudos no IML durante o regime militar.

Rissio acredita que a demora na divulgação dos dados leva a especulações sem fundamentos. Segundo ele, “esconder os dados faz com que a população deixe de apoiar o trabalho da polícia". E concluiu que todas as mortes devem ser esclarecidas por meio de inquérito policial.

Revista Consultor Jurídico, 24 de maio de 2006, 18h37

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/06/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.