Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acerto de contas

Balanço da violência: 39 policiais e 38 suspeitos mortos

A Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo informou no inicio da noite desta segunda-feira (15/5) que 91 suspeitos de participar de atos de violência em São Paulo foram presos desde a noite de sexta-feira (12/5), quando teve início a onde de ataques atribuídos à facção criminosa Primeiro Comando da Capital. A Secretaria também informou, que na noite de segunda-feira, todoso os presídios do estado estavam sob controle das autoridades, sem nenhuma rebelião em curso.

No balanço da Secretaria 81 pessoas foram mortos, dos quais 39 são policiais, quatro civis e 38 suspeitos de participar dos ataques. Foram incendiados 56 ônibus e oito agências bancárias foram atacadas. Outros alvos foram: prédios públicos, bases comunitárias da Polícia, além de servidores públicos de corporações militares, civis e estaduais.

Dos policiais assassinados, 22 são PMs, além de seis policiais civis, três guardas civis metropolitanos, oito agentes de segurança penitenciária, e quatro civis que, de alguma forma, estiveram envolvidos em conflitos.

Estão feridos: 49 policiais militares, seis policiais civis, oito guardas civis metropolitanos, um agente de segurança penitenciária e 15 civis. O total de criminosos feridos já está incluído entre os 91 presos pela Polícia.

Balanço das ocorrências até a noite de segunda-feira

• Número de ataques: 180

– inclui 56 a ônibus e 8 a bancos

• Total de presos: 91

• Total de mortos: 81

– Policiais militares: 22

– Policiais civis: 6

– Guardas Metropolitanos: 3

– Agentes Penitenciários: 8

– Cidadãos: 4

– Suspeitos: 38

• Total de feridos: 49

– Policiais militares: 19

– Policiais civis: 6

– Guardas Municipais: 8

– Agentes Penitenciários: 1

– Cidadãos: 15

• Presídios rebelados: 0

Revista Consultor Jurídico, 15 de maio de 2006, 20h54

Comentários de leitores

12 comentários

Será que os os idiotas, defensores dos direitos...

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Será que os os idiotas, defensores dos direitos humanos, estão pensando em fazer alguma coisa em favor dos policiais moortos?

Concordo plenamente tanto com o Enzo como com o...

Reginaldo (Advogado Autônomo)

Concordo plenamente tanto com o Enzo como com o Augusto. Nenhum direito é absoluto e, as prerrogativas, bem como os direitos humanos não devem ser instrumentos para a vilânia e a torpeza. Da minha parte não voto em mais ninguém, e, ninguém me convence de que o governo não negociou. Agora, todos os políticos aparecem na televisão dizendo que a polícia paulista é boa, eficiente, mas na hora de dar uma remuneração digna, alegam tudo quanto é bobagem. Embira citou o "Um Conto de Duas Cidades", mas para espelahr bens os políticos brasileiros trago a baila a Revolução dos Bichos. Quem nunca leu, leia pois reconhecerá muito político brasileiro. Alckim de adeus à presidência.

E um absurdo como a inércia governamental, a fa...

Enzo Scavone Junior (Contabilista)

E um absurdo como a inércia governamental, a falta de pulso para combater o crime organizado e a incapacidade de nossos governantes de conduzir uma politica de segurança pública acarretem para a população o transtorno e o clima de guerra que nossa cidade viveu ontem, dia 15/05/2006. Nas propagandas dos partidos vemos pela televisão só promessas e pseudo-realizações que não ajudam a população. E lamentável como PTs, PSDBs, e outros Pes da vida no fundo ludibriam os eleitores com vãs promessas. Ontem deu para chegar a uma só conclusão as grandes metropoles vivem nas mãos e no comando do crime organizado. Iso e vergonhoso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 23/05/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.