Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Justiça do Trabalho

Devido à greve, OAB-SP pede suspensão de prazos no TRT-SP

A seccional paulista da OAB sugeriu à presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (São Paulo), juíza Dora Vaz Treviño, que suspenda os prazos processuais. Para a OAB-SP, a medida é necessária para que advogados e jurisdicionados não sejam prejudicados pela greve dos serventuários da Justiça Trabalhista, que atinge 45 das 90 varas da capital paulista.

A greve dos serventuários começou no dia 3 de maio em São Paulo, no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul. No dia 4, serventuários dos outros estados aderiram à paralisação.

“Embora considere justas as reivindicações dos serventuários da Justiça Trabalhista por reajuste salarial e pela instituição do plano de cargos e salários, a OAB-SP considera a alternativa da paralisação a mais danosa, porque tem um pesado ônus para a sociedade, que terá de esperar, por um prazo ainda maior, pela solução judicial de seus conflitos, e para os advogados, que serão impedidos de trabalhar”, afirmou o presidente da seccional, Luiz Flávio Borges D’Urso.

“Na última greve da Justiça Estadual, a paralisação de 90 dias trouxe um prejuízo de mais de mais de 1 milhão de novos processos represados, cerca de 450 mil audiências não realizadas e uma fila de três anos para colocar a pauta da Justiça em dia”, lembrou D´Urso.

Segundo o presidente, a OAB-SP vai acompanhar a mobilização dos serventuários de toda a Justiça Federal, além da Trabalhista, e entrará com pedido para suspensão de prazos processuais onde detectar que está havendo problemas nos serviços forenses.

Revista Consultor Jurídico, 10 de maio de 2006, 18h38

Comentários de leitores

1 comentário

O presidente da OAB/SP está correto em sua preo...

Neto (Bacharel - Trabalhista)

O presidente da OAB/SP está correto em sua preoculpação com os prazos, parabenizo-o, pela inteligência de peddir a suspensão dos prazos, porém não devemos nos esquecer de que os trabalhadores da Justiça Trabalhista estão reivindicando um direito sagrado que é o aumento de seu salários. Assim, devemos dá a maior força a estes trabalhadores, que tão bem nos presta um seviço de grande valia. Quanto a morosidade, sabemos não ser culpa destes, mas da falta de serventuarios de todos os níveis. Portanto, que depois da greve seja abertos novos concurso para aumentar o efetivo da justiça do trabalho. Parabéns a estes dignos trabalhadores. Boa sorte em suas conquistas e até a vitória! netoadvogado2005@terra.com.br

Comentários encerrados em 18/05/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.