Consultor Jurídico

Justiça do Trabalho

Devido à greve, OAB-SP pede suspensão de prazos no TRT-SP

A seccional paulista da OAB sugeriu à presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (São Paulo), juíza Dora Vaz Treviño, que suspenda os prazos processuais. Para a OAB-SP, a medida é necessária para que advogados e jurisdicionados não sejam prejudicados pela greve dos serventuários da Justiça Trabalhista, que atinge 45 das 90 varas da capital paulista.

A greve dos serventuários começou no dia 3 de maio em São Paulo, no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul. No dia 4, serventuários dos outros estados aderiram à paralisação.

“Embora considere justas as reivindicações dos serventuários da Justiça Trabalhista por reajuste salarial e pela instituição do plano de cargos e salários, a OAB-SP considera a alternativa da paralisação a mais danosa, porque tem um pesado ônus para a sociedade, que terá de esperar, por um prazo ainda maior, pela solução judicial de seus conflitos, e para os advogados, que serão impedidos de trabalhar”, afirmou o presidente da seccional, Luiz Flávio Borges D’Urso.

“Na última greve da Justiça Estadual, a paralisação de 90 dias trouxe um prejuízo de mais de mais de 1 milhão de novos processos represados, cerca de 450 mil audiências não realizadas e uma fila de três anos para colocar a pauta da Justiça em dia”, lembrou D´Urso.

Segundo o presidente, a OAB-SP vai acompanhar a mobilização dos serventuários de toda a Justiça Federal, além da Trabalhista, e entrará com pedido para suspensão de prazos processuais onde detectar que está havendo problemas nos serviços forenses.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 10 de maio de 2006, 18h38

Comentários de leitores

1 comentário

O presidente da OAB/SP está correto em sua preo...

Neto (Bacharel - Trabalhista)

O presidente da OAB/SP está correto em sua preoculpação com os prazos, parabenizo-o, pela inteligência de peddir a suspensão dos prazos, porém não devemos nos esquecer de que os trabalhadores da Justiça Trabalhista estão reivindicando um direito sagrado que é o aumento de seu salários. Assim, devemos dá a maior força a estes trabalhadores, que tão bem nos presta um seviço de grande valia. Quanto a morosidade, sabemos não ser culpa destes, mas da falta de serventuarios de todos os níveis. Portanto, que depois da greve seja abertos novos concurso para aumentar o efetivo da justiça do trabalho. Parabéns a estes dignos trabalhadores. Boa sorte em suas conquistas e até a vitória! netoadvogado2005@terra.com.br

Comentários encerrados em 18/05/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.