Consultor Jurídico

Rio sem nepotismo

Recontratação de servidores no TJ-RJ foi regular, diz CNJ

O Conselho Nacional de Justiça considerou regulares nesta segunda-feira (19/6) as recontratações de servidores feitas pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Os conselheiros revogaram decisão anterior de Alexandre de Moraes, por sua própria recomendação.

A decisão determinava a suspensão da nomeação de 23 servidores do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Os servidores haviam sido exonerados com base na Resolução 7 do CNJ, que proíbe a contratação de parentes. Mas foram recontratados dias depois.

Segundo Alexandre de Moraes, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro prestou todas as informações necessárias para a conclusão de que não havia irregularidade na recontratação dos servidores. Os 23 funcionários são concursados e ocupam cargos de comissão, mas não nos gabinetes de seus parentes.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 19 de junho de 2006, 21h52

Comentários de leitores

1 comentário

É verdade, do ponto vista legal não há irregula...

Ana Paula (Servidor)

É verdade, do ponto vista legal não há irregularidade na nomeação em cargos comissionados de parentes de desembargadores para auxílio nos gabinetes de outros desembargadores... mas, moralmente falando, é uma VERGONHA, pois não deixa de ser o chamado "nepotismo cruzado"! Oras, continua tudo como estava, e agora, dentro da legalidade... Incrível é como o DNA faz a diferença, não é mesmo? Transfere-se, através dele, o "notável saber jurídico"... lamentável!

Comentários encerrados em 27/06/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.