Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Contato com a Justiça

Ouvidoria do TJ-SP recebe mais de mil chamadas em maio

A Ouvidoria do Tribunal de Justiça de São Paulo recebeu 1.070 manifestações em maio. Desse total 54% foram reclamações, 37% pedidos de informações, 3% elogios e 3% sugestões.

Cerca de 90% dos contatos foram feitos por formulário eletrônico, disponível no site do TJ no link da Ouvidoria. Outros meios de contato foram cartas, fax e pessoalmente. A média diária foi de 35 atendimentos. O anonimato das manifestações não é permitido, mas o sigilo é assegurado e 84% das pessoas o solicitaram. Os assuntos mais abordados foram a página do TJ na internet, o arquivo terceirizado e o processamento de segunda instância.

O número de manifestações de maio foi um pouco maior que dos meses anteriores. Em abril foram registrados 914 contatos e em março 1.110. O número de reclamações de abril para maio aumentou 4 pontos percentuais. Desde sua instalação, em 14 de abril de 2004, a Ouvidoria já recebeu mais de 15.500 manifestações. Só nesse ano já foram 4.896 contatos.

A Ouvidoria é um canal de comunicação entre o Tribunal de Justiça e seus funcionários, advogados e usuários, que tem como objetivo aproximar a Justiça do cidadão e aprimorar os serviços prestados. Cabe ao setor receber as manifestações e encaminhá-las aos departamentos competentes, que tomarão as providências necessárias. O ouvidor do Tribunal de Justiça de São Paulo no biênio 2006/2007 é o desembargador aposentado Paulo Sunao Shintate.

Revista Consultor Jurídico, 14 de junho de 2006, 15h16

Comentários de leitores

2 comentários

Concordo com o Armando.

Lucas  (Advogado Autônomo)

Concordo com o Armando.

Agora, carece do TJ-SP abrir canal direto com o...

Armando do Prado (Professor)

Agora, carece do TJ-SP abrir canal direto com o povo. Talvez, ouviria que é preciso acabar com a bobagem de limitar a idade para concursos para juiz em 45 anos. É um absurdo que senhores na provecta faixa entre os 50 e 65 anos de profícuos trabalhos e, ainda produzindo muito, tolhem o acesso de jovens de mais de 45 anos de idade. Senhores vamos parar com essa discriminação que, além de inconstitucional, é antipática. Em tempo: não tenho pretensão de ser juiz.

Comentários encerrados em 22/06/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.