Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Chefe do Parquet

MP-DF forma lista tríplice para procurador-geral de Justiça

O promotor de Justiça Leonardo Azeredo Bandarra foi o preferido pela maioria dos membros do Ministério Público do Distrito Federal para chefiar a instituição. Mas a prerrogativa para escolher o procurador-geral de Justiça do DF é do presidente da República.

A lista tríplice para o cargo de procurador-geral de Justiça do Distrito Federal já foi encaminhada ao procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza. A eleição foi encerrada às 18h30 desta segunda-feira (12/6). Cabe ao PGR encaminhar a lista ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que escolherá o nove chefe do MP-DF.

A lista foi composta pelos três candidatos mais votados: o promotor de Justiça Leonardo Azeredo Bandarra (com 202 votos), o procurador de Justiça Eduardo Albuquerque (157) e o promotor Diaulas Costa Ribeiro (119).

Neste ano, a votação foi feita por meio eletrônico. Dos 348 membros do MP-DF que compunham o colégio eleitoral, 314 votaram. O número total de votos chegou a 773, uma vez que os eleitores tiveram a opção de votar em até três candidatos. Não houve votos brancos ou nulos.

Seis candidatos disputaram o cargo de chefe da instituição em eleição interna. Além dos integrantes da lista tríplice, concorreram os promotores Antonio Marco Dezan (que obteve 113 votos) e Maurício Miranda (98) e o procurador da Justiça Amarildo Radeu Freesz de Almeida (com 84 votos).

O procurador-geral de Justiça detém a prerrogativa de processar secretários e deputados distritais, além de juízes e promotores de Justiça. Na última eleição para chefe do MP do Distrito Federal, o presidente da República escolheu o segundo colocado na lista tríplice e na preferência do eleitorado da instituição, Rogério Schietti.

Revista Consultor Jurídico, 13 de junho de 2006, 15h36

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/06/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.