Consultor Jurídico

Sem origem declarada

Ex-diretor do Banco Santos é preso pela Polícia Federal

A Polícia Federal prendeu, na terça-feira (6/6), Ricardo Ferreira de Souza e Silva, ex-diretor do Banco Santos e sobrinho de Edemar Cid Ferreira. Segundo a PF, o ex-diretor foi preso porque foram encontrados US$ 390 mil em seu poder, sem origem declarada, o que pode caracterizar crime de lavagem de dinheiro.

Ricardo Ferreira foi levado para a sede da Superintendência da PF em São Paulo, mas vai permanecer preso até sábado (10/6) em um centro de detenção provisória. As informações são da Agência Brasil.

No mesmo dia, a PF paulista executou a chamada Operação Violeta, em que foram cumpridos 22 mandados de busca e apreensão contra uma rede de doleiros, em escritórios e residências na capital, e em outras cidades da Grande São Paulo, em Valinhos e em Americana, no interior do estado.

Onze pessoas foram presas temporariamente para interrogatório. Além de computadores e documentos, foram apreendidos 13 automóveis, uma motocicleta e, em dinheiro, R$ 355 mil, US$ 616 mil e 14 mil euros.

Segundo a Polícia Federal, “as investigações tiveram início há três meses” e “a rede de casas de câmbio atuava na troca irregular de moedas e na remessa ilegal de dinheiro ao exterior”. Os envolvidos podem ser processados por funcionamento desautorizado de instituição financeira, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e formação de quadrilha.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 7 de junho de 2006, 19h16

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 15/06/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.