Consultor Jurídico

Notícias

Caso Richthofen

Acusação vai pedir 50 anos para Suzane e irmãos Cravinhos

Comentários de leitores

4 comentários

50 anos é muito pouco para quem tira a vida de ...

Helena Fausta (Bacharel - Civil)

50 anos é muito pouco para quem tira a vida de quem lhe deu a própria vida, amparo e educação. Esta assassina deixa para nossos filhos um triste exemplo de crueldade, junto com uma justiça pífia como a nossa. Nos USA os meninos que mataram outro menino estão presos desde então, porque no Brasil pode matar e roubar a vontade? È um istituto que se chama IMPUNIDADE, viçosa como erva daninha nada acaba com ela....

Mais uma vez está instalado o show de mediocrid...

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

Mais uma vez está instalado o show de mediocridades atrás dos holofotes da mídia, disputando, às cotoveladas, um lugar no pedestal da tragédia humana para exibir suas vaidades. Embora o fenômeno seja universal, continua a chocar as consciências dos quem vêem tais tragédias com a reserva que a inteligência cristã aconselha. O jornalista Luiz Nassif, cuja ponderação avança muito além de sua declinada especialidade que é a economia, na edição de hoje, da Folha de São Paulo, revela, com toda a sua intensidade, o drama humano que estamos observando. A absoluta anormalidade dos fatos obriga a uma reflexão profunda sobre as ações e reações envolvidas. De todas, a que menos deve impressionar a curiosidade pública é o da aparência. Pessoas costumam agir de modo socialmente previsível, circunstância que nos obriga a invocar a prudência para examinar aqueles atos que fogem a essa previsibilidade. Lembro-me do saudoso amigo Raimundo Pascoal Barbosa quando bradava para o Conselho de Sentença: “que matou, matou, quero saber porque?”, indagação que abria caminho para o seu sempre profundo estudo comportamental dos atores da tragédia que estava em julgamento. A mídia já julgou os três jovens, uma psicóloga(?) escreveu um livro sobre a personalidade deles e as enquêtes sobre o resultado do julgamento só perdem para aquelas envolvendo a Copa do Mundo. Estamos só no início do aspecto econômico do caso que deverá render dividendos a muitos mais “interessados”.

Dijalma Lacerda - Pres. O/A/B/Campinas/Cosmópol...

Dijalma Lacerda (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Dijalma Lacerda - Pres. O/A/B/Campinas/Cosmópolis/Paulínia/SP. Concordo com o Armando. Além disso, o mais preocupante é a confissão pública de desconhecimento (ou esquecimento?) do chamado "Cúmulo Jurídico", pelo qual ninguém cumprirá mais de 30 anos !!!! Aliás, qualquer que seja a sentença além de 20 anos, Suzane terá direito a novo Júri. Eu discordo de muita gente que quer crucificar Suzane, e acho que ela sofreu a influência nefasta de Daniel Cravinhos e seu irmão. Acho sim que ela deverá ter uma reprimenda, porém não exagerada (aliás já pagou em grande parte pelo que fez) com possibilidade de repensar e reconstruir sua vida . Vamos aguardar a soberana decisão do Júri.. Dijalma Lacerda.

Por que certos operadores do direito não conseg...

Armando do Prado (Professor)

Por que certos operadores do direito não conseguem se controlar diante de um microfone ou câmera? O que os atrai? Seria vaidade, ou exibicionismo? Depois de algum tempo como operador do direito, aparecem como candidatos a deputado. Encontro da profissão fim ?

Comentar

Comentários encerrados em 13/06/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.