Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Debate na ordem

OAB paulista discute Direito Intelectual no jornalismo

Advogados e jornalista se reúnem em agosto para discutir a Propriedade Intelectual e o Jornalista. O debate que será promovido no dia 8, às 19h30, pela Comissão de Propriedade Imaterial da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil.

O evento conta com a participação do advogado Walter Ceneviva, articulista da Folha de S. Paulo; Luis Nassif, colunista e membro do Conselho Editorial da Folha de S. Paulo e diretor superintendente da Agência Dinheiro Vivo; Márcio Chaer, diretor da revista Consultor Jurídico; Hélio Gurovitz, diretor de redação da revista Época; e Ana Paula Sousa, da CartaCapital.

Segundo Eliane Abrão, presidente da comissão, o debate busca definir o alcance da propriedade intelectual no exercício do jornalismo e como o profissional da mídia trata o tema. O debate será no Salão nobre da OAB-SP, que fica na Praça da Sé, 685 – São Paulo. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site www.oabsp.org.br.

Revista Consultor Jurídico, 21 de julho de 2006, 12h09

Comentários de leitores

2 comentários

A questão envolvendo o exercício da função de j...

legalista (Outros)

A questão envolvendo o exercício da função de jornalista, merece merece um exame retrospectivo para se entender o objetivo da criação do Diploma. Sou jornalista desde 1959 quando o jornalismo era exercido sem fins lucrativos. Os proprietários de Jornais tinham lucros sem remunerar os jornalistas que os sustentavam, pois para lidar com as Letras não existe Diploma que capacite, pois essa capacitação nos acompanha desde o útero. No governo de Juscelino foi criado o diploma de Jornalista como forma de profissionalizar a função, segundo pensaram os intelectuais da época, mas sem o objetivo de policiar a Imprensa, mas mesmo assim, não existia Faculdade de Jornalismo. Foi requerido que os já exerciam a função, apresentassem três publicações como prova do exercio jornalístico. No governo Militar houve alteração na Lei para redefinir os objetivos. A nossa conclusão é que para ser jornalista não há diploma que possa capacitar, pois isso é nato, exceto no que tange a funções técnicas, mas nem para isso é necessário Diploma Universitário, mas uma capacitação técnica em vista do desenvolvimento tecnológico. Athaydes

Prezados, Não consegui encontrar o link para...

Lucas  (Advogado Autônomo)

Prezados, Não consegui encontrar o link para participar deste evento. Alguém poderia me enviar no e-mail lucas@trip.com.br Agradeço. Att. Lucas Hernandez do Vale Martins Advogado Trip Editora e Propaganda S/A

Comentários encerrados em 29/07/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.