Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Lista de processos

ONG divulga nomes de candidatos que respondem a ações penais

A relação dos candidatos que buscam a reeleição e que respondem a processos criminais deve ser publicada, até o final de julho, no site da ONG Transparência Brasil. A informação é do diretor da entidade, Cláudio Weber Abramo, durante o 33º Encontro do Colégio de Presidente dos Tribunais Regionais Eleitorais, que começou nesta quinta-feira (13/7), em Cuiabá, e vai até sábado.

De acordo com Abramo, a idéia é divulgar o histórico parlamentar e judicial de cada candidato à reeleição, de cada estado. O objetivo é que a população conheça seu candidato antes de votar. Para o diretor, essa é uma das contribuições da Ong que desenvolve trabalho voltado ao combate à corrupção no país.

Durante o encontro, Cláudio Abramo lembrou de uma pesquisa que foi publicada em 2005. Ela revelou que 185 parlamentares do Congresso Nacional respondiam a 185 processos criminais. Entre as infrações estavam contrabando, assassinato e tráfico de drogas.

Abramo criticou as novas regras eleitorais que, na sua opinião, não vão acabar com o caixa dois. Para o diretor da ONG, o quadro da corrupção no país é tão alarmante que só uma fiscalização permanente da Receita Federal poderá coibir tal prática.

Revista Consultor Jurídico, 13 de julho de 2006, 19h20

Comentários de leitores

7 comentários

Nãpo importa a coloração ideológica dessa ONG, ...

GRILO FALANTE (Advogado Sócio de Escritório)

Nãpo importa a coloração ideológica dessa ONG, se ela se porta de modo indiscriminado contra a corrupção: merece os nossos aplausos e apôio. Não pode caber dúvida que candidato a cargo político deve ser insuspeito. Não se trata de pré-julgar do ponto de vista criminal, que isto é mister do Judiciário. Trata-se, isto sim, de julgar POLITICAMENTE. O julgamento político é sempre pré-jurídico, é julgamento de conveniência. Quando o eleitor tem a oportunidade de escolher entre um candidato suspeito e um candidato insuspeito é claro que escolher este último implica julgamento político do primeiro, mesmo que que este primeiro venha a ser inocentado no plano criminal após o devido processo legal. Mas, na condição de suspeito, não merece a confiança de eleitor nenhum. Bem fará a ONG e4m publicar a lista dos supeitos para que o eleitorado tenha a opção consciente de negar o seu voto aos suspeitos. Estes, que cresçam (isto é, respondam e provem a sua inocência) e apareçam candidatos quando a sua inocência tiver sido reconhecida. A presunção de inocência é salutar principio de Direito Penal, não votar em suspeitos é salutar princípio de Direito Eleitoral.

Muito engraçado, Sr. José Eduardo R. Camargo. ...

Richard Smith (Consultor)

Muito engraçado, Sr. José Eduardo R. Camargo. Quer dizer que se algum(ns) membro(s) ou dirigentes da referida ONG tem problemas com a "justa" a referida lista não presta? E qual a alternativa? Nenhuma? Ora, com um velho advogado com que trabalhei há alguns anos eu ouvi (e nnca esqueci): "O ÓTIMO É INIMIGO DO BOM". Será que não é exatamente o caso? Se a tal lista contiver erros ou omissões caberá à sociedae e a cada qual injustamente prejudicado reivindicar a sua correção. Agora, suspeitar da falta de lisura na elaboração da mesma de antemão é favorecer os safados que buscam o mandato para acobertar crimes e cometer outros, além da "mamadinha" básica de R$ 15 mil por mês, por quatro anos. è pouco? Então, na falta de pena e piche (e de culhões por parte do povo), pelo menos LISTA!

O quadro de corrupção no país é e sempre foi "a...

José Eduardo R. de Camargo (Professor)

O quadro de corrupção no país é e sempre foi "alarmante" desde abril de 1500. Quanto à essa ONG, há um problema sério! Alguns de seus associados também possuem ficha criminal por corrupção. Assim, parafraseando Cristo: "os incorruptíveis que atirem a primeira pedra!". Não é o caso de alguns deles. Será que os fundadores fazem vista grossa com seus associados? Assim, fica difícil confiar na seriedade desta ONG.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 21/07/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.