Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Indisciplina leve

Preso não comete falta grave por portar celular, diz STJ

O Superior Tribunal de Justiça reafirmou o entendimento de que não comete falta grave o preso que possui telefone celular. Com base nisso, a 5ª Turma do STJ determinou que seja retirada a anotação de falta grave na folha de antecedentes de um detento que foi pego com celular.

O telefone foi encontrado com o preso Douglas Rodrigues de Oliveira, condenado a 20 anos de reclusão por crime contra o patrimônio e latrocínio. A falta foi considerada grave e anotada na ficha criminal do detento. A defesa de Oliveira, então, entrou com pedido de Habeas Corpus para retirar a anotação.

Segundo o relator, ministro Felix Fischer, a Lei de Execuções Penais classifica as faltas disciplinares dos sentenciados em leves, médias e graves. O artigo 49 da lei determina que cabe ao legislador local definir a faltas leves e médias. Assim, para o ministro, fica excluída a possibilidade de o legislador local enumerar outras condutas como sendo de natureza grave.

O ministro considerou que o estado de São Paulo, onde Oliveira está preso, inovou indevidamente poder conferido pela lei ao estabelecer como sendo falta grave o porte de aparelho de telefonia celular ou de seus componentes no interior do presídio, o que não lhe é autorizado.

HC 49.163

Revista Consultor Jurídico, 7 de julho de 2006, 7h00

Comentários de leitores

5 comentários

Nosso judiciário, em todos os níveis, mostram-s...

jorge.carrero (Administrador)

Nosso judiciário, em todos os níveis, mostram-se injustos, sem credibilidade e desdenham das aspirações do povo. Mesmo um possível entendimento de que não ensejaria crime portar um celular, deveria prevalecer o ordenamento do bom senso. Mas, acho, seria pedir muito. Pobre de nosso país vivendo essa vergonha ratificada pela justiça brasileira.

Se não comete falta grave, deveria cometer, iss...

Victor (Estudante de Direito - Criminal)

Se não comete falta grave, deveria cometer, isso é evidente. Esse dispositivo da LEP é absurdo. Nossa crise maior não é de segurança pública, e sim institucional. No campo econômico temos a impressão de sucesso, mas de que adianta investimentos se não há distribuição de renda? Quer dizer, de que adianta aplicar uma legislação se ela é falha e não satisfaz a sociedade?

Mais uma decisão "perolar" do nosso judiciario....

Bira (Industrial)

Mais uma decisão "perolar" do nosso judiciario. O detento só tem o celular para pedir pizza, enviar torpedos para o faustão e chamar garotas de programa. Agentes mortos, rebelioes, crimes encomendados..imagina..só tem a posse...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/07/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.