Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Promoção inexistente

Loja de eletrodomésticos é condenada por propaganda enganosa

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma rede de lojas de eletrodomésticos por propaganda enganosa. A rede terá de depositar a indenização de 50 salários mínimos no Fundo Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor. A ação foi proposta pelo Ministério Público mineiro.

Em 2001, a empresa publicou anúncio para informar sobre a promoção. No dia seguinte ao anúncio, duas lojas da rede venderiam dois modelos de celulares, Nokia 2.160 e 5.120, por R$ 29,90 cada. No entanto, consumidores que estiveram na loja que fica no município de Contagem foram informados de que os modelos anunciados já estavam esgotados.

De acordo com os autos, os clientes acionaram o Procon. O órgão procurou o gerente do estabelecimento, que não quis se identificar e disse que o Procon poderia recorrer à Justiça. Com isso, o MP ajuizou Ação Civil Pública para pedir que a rede fosse responsabilizada pela publicidade enganosa.

A empresa alegou que no anúncio constava que a validade da promoção estava vinculada à disponibilidade de peças no estoque. Sustentou que os vendedores instruíram os consumidores, que não conseguiram comprar os aparelhos, a procurar outras lojas onde poderiam participar de tal promoção. Na inicial, a empresa anexou cópias de notas fiscais dos aparelhos em promoção que teria vendido.

Em primeira instância, o juiz entendeu que ficou caracterizada a propaganda enganosa. Segundo ele, funcionários afirmaram que a loja não tinha em seu estoque o modelo 5120, mais procurado pelos clientes.

A empresa recorreu ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O TJ confirmou a decisão de primeira instância. Em seu voto, o desembargador Fernando Caldeira Brant destacou que nenhuma venda do aparelho 5120 foi feita em Contagem, conforme as notas fiscais anexadas nos autos. Além disso, segundo Brant, o anúncio não especificou quais lojas estariam aptas a participar da promoção.

Processo 1.0079.01.011207-0/001

Revista Consultor Jurídico, 5 de julho de 2006, 7h01

Comentários de leitores

4 comentários

50 SALÁRIOS MÍNIMOS. ISTO É UMA PIADA???? A EM...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

50 SALÁRIOS MÍNIMOS. ISTO É UMA PIADA???? A EMPRESA LESA MILHARES DE PESSOAS E A MULTA É ESTA????? VAMOS CONTINUAR PRATICAR CRIMES, PELO JEITO COMPENSA.

Por que o nome da rede não é divulgado?

C.B.Morais (Advogado Autônomo)

Por que o nome da rede não é divulgado?

sem falar nas letras miudas...10 peças..ou no c...

Bira (Industrial)

sem falar nas letras miudas...10 peças..ou no caso de veiculo..chassi numero....mera atração de consumidor...pratica dolosa...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 13/07/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.