Consultor Jurídico

Notícias

Exame de Ordem

Bacharel só precisará ser aprovado na 1ª fase de Exame uma vez

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

41 comentários

Eu gostaria de acreditar que o Sr. D'Urso está ...

Luís Carlos dos Santos (Estudante de Direito)

Eu gostaria de acreditar que o Sr. D'Urso está realmente preocupado conosco (Acadêmicos e recém formados)e está tentando "facilitar" o exame da ordem; contudo, isso parece mais promessa de Campanha do que uma realidade. Também acreditava em Papai Noel quando criança. Luís Carlos-Capivari-SP

Infelizmente, alguns pseudos profissionais se p...

Adriano P. Melo (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Infelizmente, alguns pseudos profissionais se preocupam em simplesmente ostentar o status de "Advogados", achando que um ultrapassado e famigerado exame pode qualificá-los para o exercício da profissão. Basta ver que alguns ditos letrados se preocupam mais em demonstrar seu conhecimento do Latim do que efetivamente tentar retirar a túnica de Rábula que os acompanha. É lamentável que ainda existam pessoas que se sentem melhores ao verem a forma com que são tratados os aspirantes à Advogados, pois a meu ver, o que eles sentem mesmo é o pergio da concorrência.

Ave A.G. Moreira! De omnibus potuit intueor qu...

João Bosco Ferrara (Outros)

Ave A.G. Moreira! De omnibus potuit intueor quod te pertinet verba tua confirmatio est. Ad argumentandum non vales. Neque bonum studium habes. Ideo in vano argumento ad hominem succurreris. “vanitas vanitatis, omni vanitas” corrupta sententia, pura et incorrupta: “vanitas vanitatum, omnia vanitas.”

Eu preferiria não retornar a esse assunto. Toda...

Son 33 (Advogado Autônomo - Criminal)

Eu preferiria não retornar a esse assunto. Todavia, ao ler a prova corrigida da OAB/SP neste Consultor Jurídico, fiquei estarrecido com a sua facilidade. Para não me alongar, vou me restringir às três primeiras pergundas de Direito Constitucional, cujas respostas demandaria uma leitura superficial da CF/88. E ainda tem gente que fica com medo desse exame!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Trabalho no Departamento Jurídico de uma grande...

Carlinha (Bacharel - Empresarial)

Trabalho no Departamento Jurídico de uma grande empresa há 4 anos. Comecei como estagiária e depois que me formei fui efetivada como assistente jurídico. Atuo nas áreas trabalhista, cível e tributária, e apesar de ainda não ter conseguido passar no exame da ordem, acredito muita experiência e conhecimento. Acredito na minha competência, pois se assim não fosse a empresa não teria me efetivado e aguardando que eu consiga minha carteira da ordem. E enquanto estou aqui, na luta, sou obrigada a me deparar com "advogados" que não sabem o básico do básico ... que disparidade ...

Minha Posição Esse "son 33" que se diz a...

Andre Luis Augusto da Silva (Advogado Autônomo)

Minha Posição Esse "son 33" que se diz advogado, no caso,apresenta nesse foro seu posicionamento, contra a proposta do Presidente D'urso em alterar o Exame de Ordem, até ai tudo bem, o Dr. "son 33" tem todo o direito de expressar sua opnião, como prevê em nossa carta magna em seu art. 5º inciso IV, é livre a liberdade de pensamento. Porém, o Dr. fica se escondendo nesse nick, mas nem para apresentar o seu verdadeiro nome nesse foro teve coragem, lembar a ele que em nossa carta magna é livre a liberdade de pensamento, mas é vedado o anonimato,na verdade,o Dr. só quer mostrar sua posição mesquinha e ridicula sem querer paracer e se revelar. Vamos combinar o seguinte Dr, quando eu me formar, bem que nós poderiamos prestar juntos esse Exame de Ordem, para ver quem se sai melhor, não é uma excelente idéia ? Boa noite ao Dr. e sua familia e fiquem com Deus !!!! Atenciosamente André Luís.

A intensidade com que a legislação brasileira é...

Trans Sem Dente (Outro)

A intensidade com que a legislação brasileira é alterada não permite que se aceite a proposta aparentemente precipitada do Presidente da Seccional Paulista da OAB. Parece piada, mas há bacharéis em direito que precisam de anos para aprovação na segunda fase do exame da OAB, e mesmo assim não sem antes passar por "cursinhos" especializados nisso. Imagine se um desses bacharéis (que foi aprovado na primeira fase em 2006 e na segunda fase apenas em 2009) poderá advogar com dignidade... Depois a OAB reclama da AJUFE, cujo presidente jamais propôs essa afronta para os concursos de ingresso na magistratura.

ALÔ J. B. FERRARA : "VANITAS VANITATIS, OMNI...

A.G. Moreira (Consultor)

ALÔ J. B. FERRARA : "VANITAS VANITATIS, OMNI VANITAS EST" . A arrogância e a vaidade são companheiras inseparáveis daqueles que nunca poderão ter qualquer poder sobre os outros. - A história nos mostra os "estragos" que este tipo de gente causou à humanidade ! Não seria necessário desenterrar o "endeusado" Aristóteles ( que nunca fez Exame da Ordem) nem , muito menos , toda uma "parafernália latínica" ( que não aparece [ ou não deveria aparecer ] no Exame da Ordem ) e se encontra, devidamente, sepultada em todas as culturas do mundo . Até a própria, vetusta e conservadora, Igreja Católica ( que cultuou o latim , por muitos séculos ), desde há muito que o aboliu de seus ritos comuns hodiernos , para melhor se comunicar com os povos . Atualmente, somente os que lidam com o DIREITO , "acham bonito" o uso de "frases feitas",(a maioria delas, sem qualquer significado prático moderno), sem qualquer consonância com as coisas, as práticas e o mundo em que vivemos. Já está perto o tempo, em que a LEI impedirá que o Advogado, Juiz ou qualquer serventuário do povo, use idioma ou dialeto diferente da língua oficial do país.

Escrevo novamente para dizer que acredito que e...

Jaque (Bacharel)

Escrevo novamente para dizer que acredito que esta proposta do D'Urso não passa de uma especulação barata. Ele sempre defendeu o exame de ordem, criticou os cursos jurídicos, mas só complicou a vida dos estudantes. Os advogados reclamam do judiciário, mas também pararam no tempo... os ilibados "doutores" pararam em 1993, na ocasião da instituição do exame de ordem. Pagamos uma taxa consideravelmente alta para a realização do exame de ordem, e as provas continuam no papel. Hoje a maioria dos advogados utilizam um computador para suas petições. Eles podem corrigir seus erros com a tecla "delete" , podem "enfeitar" suas peças, pesquisar inúmeras jurisprudências, etc. Por que a OAB não cria um curso preparatório presencial e opcional de uns 6 meses ou mais com uma boa carga horária para os bacharéis que vão exercer a advocacia? Certamente terá mais utilidade do que estes exames com conteúdo de "decoreba" . É o que tenho a dizer.

Acho que esta nova medida não será "ajudinha" d...

Jaque (Bacharel)

Acho que esta nova medida não será "ajudinha" da OAB aos bacharéis, pois não será extinta nenhuma etapa do exame. Acredito que o candidato que não estiver apto não vai passar na 2a fase, pois esta sim exige muita técnica do candidato. Certamente, esta nova medida, se aprovada, trará mais tranquilidade aos estudantes, já que muitos fazem a segunda fase preocupados em ter que fazer a primeira etapa novamente. Quanto ao voto do Ilmo Sr. Presidente D'urso, quanto estiver inscrita nos quadros da OAB, certamente não terá meu voto caso ele se candidate, uma vez que complicou a vida dos bacharéis nos últimos exames. A propósito V.Sa já viu o exame aplicado ontem? Por falar em D'urso, assim como ele existem centenas de advogados sem qualquer preparo, conseguiram a carteira antes da obrigatoriedade do Exame de Ordem. Já que a advocacia exige constante atualização, porque não aplicam uma prova de avaliação para estes "doutores" que pagam uma miséria aos estagiários que são explorados e humilhados por estes que são egocêntricos a ponto de olharem para o próprio umbigo. Acho que esqueceram que um dia sentaram nos bancos universitários e passaram por tudo isso. Ô ego inflamado!!!! DIREITOS HUMANOS DOS BACHARÉIS - JÁ !!!!

Olá Jaque Antes de qualquer coisa eu me solida...

Son 33 (Advogado Autônomo - Criminal)

Olá Jaque Antes de qualquer coisa eu me solidarizo com você. Todavia você está confundindo as coisas. Todas as pessoas que passam por um exame ficam nervosas, são cobradas, etc. Isso não é motivo para aprovar a conduta da OAB/SP, cujo presidente D' Urso traiu os advogados de São Paulo, razão pela qual não terá o meu voto nas próximas eleições.

Caros colegas, Eu sou Bacharel em Direito,...

Jaque (Bacharel)

Caros colegas, Eu sou Bacharel em Direito, formada em SP. Assim como muitos bacharéis, estou em busca da tão sonhada carteira. Venho de uma família muito humilde, lutei muito para conseguir realizar o sonho de concluir um curso universitário. Comecei a trabalhar cedo, com 13 anos de idade, e como sempre estudei em colégio do Estado enfrentava longos periodos de greve. Também não tive condições financeiras para fazer um curso pré-vestibular , isto tornou ainda mais distante a possibilidade de entrar numa USP. Assim que saí do colégio prestei vestibular em uma universidade particular com um bom conceito provão do MEC e com muito sacrifício consegui concluir o curso de direito. Fiz o último exame de ordem e consegui obter sucesso na primeira etapa, na segunda, estava nervosa e coloquei tudo a perder. Os ilibados doutores que já possuem a tão sonhada carteira vermelha nas mãos, devem pensar no aspecto psicológico do bacharel. Muitos, assim como eu, dependem da carteira para não serem demitidos do trabalho. A pressão psicológica da mídia em geral, a família e o trabalho são os maiores responsáveis pela reprovação no exame de ordem. Deve ser levado em consideração tb os imprevistos que podem ocorrer com o candidato entre uma etapa e outra, por exemplo, tenho um amigo que foi aprovado na 1a etapa do exame de ordem e, dois dias antes da 2a fase, perdeu a família num acidente automobilistico. Certamente, ele nao teve condições para fazer uma boa prova. Os senhores acham justo ele ter que prestar a 1a fase novamente? Desta forma, acho que o canditado que conseguiu aprovação na 1a fase, nao precisa fazê-la novamente caso não obtenha sucesso na 2a fase. PENSEM NISSO SENHORES, NÃO SE ESQUEÇAM QUE NÓS SOMOS HUMANOS...

Os bahcaréis estão corretos, e certamente eles ...

Leonardo Almeida (Advogado Autônomo)

Os bahcaréis estão corretos, e certamente eles candidatos, como alunos aplicados e que bem frequentaram as aulas do curso de Direito, não terão dificuldades em serem aprovados no Exame da Ordem. Mesmo que alguns não acreditem: os advogados que amam a profissão torcem por vocês. Tenham uma certeza: vocês verão que é muito bom quando deparamos com colegas qualificados e bem preparados nas lides processuais, pois o aprendizado em nossa profissão é constante. Bom preparo e boa sorte aos aspirantes.

Bom Dia, Infelizmente, acredito que se os "atu...

Andreia (Bacharel)

Bom Dia, Infelizmente, acredito que se os "atuais" advogados (inscritos uns 10 anos atrás)se submetessem novamente ao exame da ordem...não tenho certeza se todos continuariam a advogar....Sustento que o exame deveria ser denitifivo por etapa. Atenciosamente,

Os antigos advogados não se preocupem com os no...

Ricardo Mignone (Advogado Sócio de Escritório)

Os antigos advogados não se preocupem com os novos, se vocês forem competentes, seus lugares ao sol está garantido. Se o novo advogado não for bom suficiente para esta tão difícil profissão, fiquem tranquilo, o próprio mercado se encarrega de engoli-los.... Não precisa de conclamar conselheiros federais... Nem tanto mestre.

Prezados senhores Estou de pleno acordo com o ...

Son 33 (Advogado Autônomo - Criminal)

Prezados senhores Estou de pleno acordo com o comentarista Rodrigo. Tal como acontecerá com os médicos, seria interessante que os advogados se submetessem a um exame de reciclagem, tendo em vista as mudanças legislativas dos últimos anos (novo Código Civil, as várias modificações no Código de Processo Civil, Reforma do Judiciário, etc). Mas agora imaginem os protestos que isso iria ocasionar, tendo em vista os protestos que já existem em relação ao exame da OAB.

Prezados senhores. O Exame de Ordem é uno, e, ...

Antonio Carlos BELLINI JÚNIOR (Advogado Sócio de Escritório)

Prezados senhores. O Exame de Ordem é uno, e, sendo assim, mister que seja realizado como um todo. Candidato não aprovado em exame anterior, no novo certame, deverá prestar todo o concurso. Infelizmente, a explosão quantitativa dos cursos de direito implicou em uma significativa diminuição da qualidade dos bacharéis em direito. Assim, não se pode flexibilizar o Exame de Ordem. É necessário que o rigor seja absoluto. Com isso estaremos garantindo que somente os bacharéis bem preparados estarão aptos ao exercício da advocacia. É preciso lembrar que o profissional despreparado não conseguirá defender os interesses de seus clientes. Conclamo os senhores conselheiros federais a rechaçarem a proposta apresentada pelo Dr. D´Urso. Atenciosamente, Antonio Carlos Bellini Júnior Bellini Júnior e Advogados Associados www.bellinijunior.com.br Rua Dr. Sampaio Ferraz n. 319 Cambuí - Campinas - SP Fone: +55 19 3295.6633

Pelos comentários dar para ter uma idéia dos in...

Rodrigo (Advogado Assalariado - Trabalhista)

Pelos comentários dar para ter uma idéia dos inscritos na OAB. Faço uma sugestão: o que acham de realizarmos uma prova a todos os advogados. Aqueles que não aprovados fariam alguns cursinhos de reciclagem... o que acham??? Não sobrará pedra, sob pedra...

Apoio o Sr. João Bosco. Tudo na vida que conseg...

Leonardo Almeida (Advogado Autônomo)

Apoio o Sr. João Bosco. Tudo na vida que conseguimos com dificuldade é mais legítimo e mais valorizado. Sempre ficaremos agradecidos àqueles que nos exigem superação própria.

A.G. Moreira, Eu não deveria sequer perder tem...

João Bosco Ferrara (Outros)

A.G. Moreira, Eu não deveria sequer perder tempo escrevendo essas linhas, que são especificamente dirigidas ao senhor, pela simples razão já identificada por Aristóteles há 2.500 anos: "contra negantem principia non est disputandum." Porém, o senhor desfere um ataque generalizado. Tenta desqualificar os comentaristas que se rebelam contra a atitude da OAB paulista, no que incide no argumento "ad hominem" ofensivo, qualificando-os pejorativamente como "'PALADINOS' da ética, moralidade valorização da classe", com o propósito de se contrapor à opinião por eles (entre os quais me incluo) expendida. É natural, quando não se tem argumentos para confrontar o argumento alheio, deslocar o debate e partir para a ofensa pessoal. É próprio dos fariseus, que não dispõem de nenhum preparo para um debate isento de paixões. Mais adiante, o senhor profere outra afirmação tão leviana quanto equivocada, a qual bem demonstra sua absoluta falta de conhecimento e o quão desaconselhável é uma pessoa ingressar numa discussão para expressar uma opinião calcada em alicerces falsos, como um castelo de areia. Se estiver errado, então responda, concretamente, com exemplos indicativos, quais dos comentaristas neste fórum, que propugna maiores dificuldades para o ingresso na carreira de advogado, é ou foi causídico mal sucedido e que por essa razão buscou o abrigo seguro da função pública? Ademais, a discussão sequer cogitou, em qualquer instante, o sucesso profissional deste ou daquele debatedor. Isso porque se trata de matéria despicienda, que nada tem a ver com o tema aqui tratado. O senhor formula uma proposição universal quando afirma que advogados bem sucedidos não nutrem "rancor" ou "xenofobia" em relação a novos advogados. Aí está implicitamente afirmando que todos os que não são bem sucedidos são rancorosos e xenófobos, o que é uma grande besteira. O senhor não tem dados concretos que o autorizem fazer tal afirmação. Pelo menos, não acredito que os tenha. Se tiver, desafio-o a apontá-los! Na pior das hipóteses o senhor estará incorrendo na falácia da generalização apressada, ou do acidente convertido. Pode haver advogados bem ou mal sucedidos cujas opiniões sejam motivadas pelo rancor ou “xenofobia”, do mesmo modo como pode ocorrer de uns e outros formarem sua opinião escoltados em argumentos racionais sérios e bem estruturados. Como pode ter certeza de que todos os advogados bem sucedidos não são favoráveis a uma recrudescência do rigor para aprovação de novos profissionais no exame de ordem? Como pode perceber, o seu raciocínio está repleto de falhas. Falhas grosseiras, que qualquer cultor da lógica poderá apontar e simplesmente derruir todo o seu pensamento e sua opinião. Agora, se o senhor se satisfaz em emitir uma opinião que mais parece um desabafo, carregado de emotividade, sem nenhuma atenção para a racionalidade e o encadeamento lógico de suas proposições, isso é um direito seu, mas saiba que o argumento assim construído cai na vala da mediocridade e não suscita vontade de dar continuidade ao debate porque nada acrescenta aos interlocutores. É como discutir com um fanático, cujos argumentos assentam numa crença e não na razão. A razão, já dizia também Aristóteles, é para poucos; não é um característico do homem; é um privilégio de alguns, pois que não é natural, mas exige do homem um lavor sobre si mesmo para aprender a usar a inteligência, por isso que a razão é uma operação da inteligência, que tem na lógica seu mais fabuloso instrumento de realização. O senhor se expôs desnecessariamente, pelo menos para mim, demonstrou que não está à altura dos que aqui expressaram seus pensamentos de forma polida, educada e respeitosa, sem partir para a agressão pessoal, que, no seu caso, é ainda mais grave, porque generalizou apressadamente e sem conhecimento de causa. Sugiro que encerremos por aqui, porque depois da mostra de total despreparo para enfrentar o assunto, não me interessa mais saber o que o senhor pensa ou deixa de pensar, nem se o senhor é ou não um recalcado que foi preterido na advocacia por não ter logrado ser aprovado em algum exame de ordem pregresso. Nada disso mais me importa. Satisfaço-me em saber que o senhor é a comprovação viva e encarnada da tese peripatética: "contra negantem principia non est disputandum".

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

Comentar

Comentários encerrados em 28/01/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.