Consultor Jurídico

Notícias

Combate ao ódio

Livros anti-semitas são apreendidos em editora em São Paulo

Comentários de leitores

14 comentários

Para quem quer realmente saber, dicas: 1. A AS...

Ana Só (Outros)

Para quem quer realmente saber, dicas: 1. A ASSUSTADORA HISTÓRIA DO HOLOCAUSTO, de Michael Marrus. 2. As obras de Raul Hindenberg e de Primo Levi. Para o dr. Henrique Diesel, um possível motivo da perseguição aos judeus pelo menos por parte de Hitler, aí vai: Hitler ergueu o PARTIDO Nacional-Socialista DOS TRABALHADORES (nacional-socialista = apelido, nazista)com o primeiro capital conseguido a partir de um roubo a banco. Durante todo o regime nazista, os judeus foram saqueados. Eles eram considerados "raça impura" por Hitler, mas os castiçais de ouro, os quadros raros, os objetos de arte e todos os bens dos judeus não eram "impuros", foram por Hitler muito bem saqueados e aproveitados... É só ler os bons historiadores (citados acima), está tudo registrado. Com farta documentação nos museus e etc. Alguns, movidos por inveja, tomam pela força o que outros conseguem adquirir com talento.

Confesso que não consigo entender essa milenar ...

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Confesso que não consigo entender essa milenar perseguição a judeus. Nunca ouvi falar de perseguições a chineses, esquimós, ucranianos, etc Não seriam os próprios judeus que se isolam das sociedades onde vivem, na medida em que não admitem casamento de judeus (judias) com seres de outras raças/religiões ? E afinal, judaísmo é raça ou religião ? O STF diz que é raça, mas a ciência diz que todos descendemos das bactérias e que temos 99% do DNA dos gorilas.

Prezado Dr. Adriano, nobre colega: faço minhas ...

Lu2007 (Advogado Autônomo)

Prezado Dr. Adriano, nobre colega: faço minhas as suas palavras. A coisa mais difícil de se suportar é que a Natureza colocou, morando no mesmo planeta, pessoas cultas juntamente com ignorantes. A ignorância humana é algo difícil de suportar!!!!!Se não existissem os ignorantes, não existiria racismo!!!!

Os prezados leitores se esquecem que não se tra...

Adriano P. Melo (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Os prezados leitores se esquecem que não se trata de queimar obras literários com cunho duvidoso. Estes escritos apócrifos são, desde longa data, considerados racistas e trazem em seu bojo conteúdo amplamente divulgado e conhecido. Defender a liberdade de expressão, em alguns casos, é o mesmo que aceitar que o filho fume maconha ou se drogue de outra forma com o intuito de que ele mesmo perceba o que deve e o que não deve assimilar como bom ou ruim. Qualquer obra que se revele uma ferramenta de incentivo a qualquer forma de discriminação deve ser banida do meio social, e para isso o proprio exemplo da história será o maior especialista para indicar qual obra é de contedo impróprio. A menos que comecemos a achar normal nossos jovens se interessarem por obras nazistas e afins. Em tempo: Entendo que para alguns, que vivem em um olimpo de ignomínia e soberba, seja difícil entender o conceito de racismo. Agora atrelar isso ao fato de a ciência fazer (muito sabiamente, diga-se de passagem) a afirmação de que raça nãao existe é de uma oligofrenia desesperadora. O racismo de que trata o ordenamento brasileiro e o entendimento mundial nada tem de científica, e recebe este termo como uma forma (tão somente figurativa) que busca a fácil compreensão, haja vista a dificuldade que algumas pessoas tem de perceber o opressão que as minorias viveram ao longo da história.

Agora, sobre o livro(s)... quem queimava liv...

Celsopin (Economista)

Agora, sobre o livro(s)... quem queimava livros que não gostava era Hitler... e aí vem os oprimidos por ele e fazem a mesma coisa? estranho, muito estranho!

cientificamente, raça é um conceito inexistente...

Celsopin (Economista)

cientificamente, raça é um conceito inexistente... logo, se não existem raças... não existe racismo... isso tudo não passa de uma guerra de tribos!

Por ser totalmente contra qualquer tipo de disc...

Alcides Vergara (Advogado Autônomo - Civil)

Por ser totalmente contra qualquer tipo de discriminação (para deixar bem claro que não tenho nenhuma simpatia pelo anti-semitismo e por seus praticantes) é que fico pensando: quanto tempo levará para que cmecemos a queimar livros em fogueiras públicas? E quem será o "todo poderoso" que irá definir o que a população pode ou não ler? Esse brasil (minúsculo mesmo) continua na contramão do mundo, ao invés de dar as pessoas a possibilidade de pensar e refutar uma obra deste tipo pela sua total inutilidade, não, eles conseguem fazer o inverso e despertar o interesse com esse tipo de decisão. Adeus século XXI, bem-vindo século XIII, espero conseguir escapar da Inquisição.

Pequena correção: onde se lê "adaptarem a situa...

Guilherme G. Pícolo (Advogado Autônomo - Civil)

Pequena correção: onde se lê "adaptarem a situação e suas convicções à lei...", o correto é "preocupam-se em adaptar à lei às suas convicções do que, em sentido contrário, aplicar a lei sobre a situação conreta".

Parafraseando Voltaire: "Não concordo com uma s...

Guilherme G. Pícolo (Advogado Autônomo - Civil)

Parafraseando Voltaire: "Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defendo até a morte o direito de dizê-las". Como editor, acho temerário e tendencioso este tipo de julgamento - mostra que a segurança jurídica no Brasil é muito relativa e depende muito do poder de lobby dos grupos e interesses envolvidos numa disputa... O conteúdo do livro em questão, por sinal fácil de encontrar em muitos sites da Internet hospedados no país, não merece credibilidade por suas mirabolantes teorias conspiratórias, não há dúvidas. Mas nem por isso muitos livros deste e outros gêneros deixam de ser comercializados no país. Qual será o próximo passo? Proibir Nietzche porque Hitler usava de seus livros para tentar justificar sua loucura? Proibir o "rock and roll", porque "é coisa do diabo!?!". Queimar as bruxas? Olha, me desculpem mas eu acho que o Judiciário precisa ser mais isento, primar pela objetividade, atentar mais à literalidade da lei... Ninguém se perguntou, em nenhum momento, se estes livros contém, por exemplo, uma apologia ao crime direta, como: "Matem tal pessoa, agrida tal grupo...", que restaria devidamente enquadrada na tificação penal. Em vez disso, preocupam-se em adaptar a situação e suas convicções à lei, em vez de fazerem o contrário, ao extremo de definirem os judeus como "raça", esta sim uma verdadeira ofensa e discriminação aos devotos de qualquer religião. Enfim... já estou até imaginando os ministros de fone e ouvindo álbuns de heavy metal ao contrário para detectar possíveis "mensagens satânicas"...

Além da "demonstração de força" e espírito domi...

Mário de Méroe (Outros)

Além da "demonstração de força" e espírito dominador visível, como as risíveis alegações para a indesculpável apreensão dos livros, há uma outra atividade perniciosa e pouco conhecida: o boicote realizado junto às livrarias e distribuidoras de livros, algumas das quais, sob a notória influência do grupo repressor, em represália às publicações retiraram, indiscriminadamente de seus catálogos TODOS OS TÍTULOS DA EDITORA CENTAURO! Assim, obras de Direito, Filosofia e História, como as de minha lavra, que contribuem para a cultura jurídica do país foram suprimidas dos catálogos, inviabilizando sua aquisição pelos interessados. Já superamos a ditadura militar; teremos,de fato, a obrigação legal de suportar mais essa sórdida tirania?.

Concordo com o Professor Antônio Prado, o julga...

Paracelsus Bombastus (Advogado Sócio de Escritório)

Concordo com o Professor Antônio Prado, o julgamento parte da natureza da pessoa que lê. Li "Os Protocolos" e nem por isso deixei de gostar de algumas coisas, (músicas, histórias,e meus bons amigos), todas judias. O direito de conhecer e expressar os pensamentos é universal, qualquer que sejam eles. Quanto à raça, não vejo o povo judeu como uma raça, pois eles aceitam, por exemplo para casamento, que qualquer pessoa se converta à sua religião. Além disso, existem judeus negros e até com traços asiáticos, estes sim, exemplos de raças humanas.

Sabias as palavras de Armando Prado. Se o conte...

Reginaldo (Advogado Autônomo)

Sabias as palavras de Armando Prado. Se o conteúdo é racista, deve-se processar o autor e os editores, mas não se pode negar o direito do povo de ler. Por este critério vamos censurar todo os filmes americanos onde arabes aparecem explodindo bombas, matando, etc. Agora, muito triste é saber que o homem tem conhecimento para enviar uma sonda a Plutão e ainda valoriza a pessoa em razão da cor da sua pele, da sua opção sexual ou religiosa.

Francamente, essa história de confisco de livro...

Armando do Prado (Professor)

Francamente, essa história de confisco de livros,me remete imediatamente a tempos de chumbo não recomendáveis. Por que sequestrar livros? Por que não deixar a livre opinião dos leitores decidir o que interessa ou não? Sei não. Tem cheiro de autoritarismo, com disfarce de cumprimento constitucional.

Pelos conceitos externados nos seus comentários...

Lino (Advogado Assalariado)

Pelos conceitos externados nos seus comentários, percebe-se que o "Superzémanénanet, né!" não escolheu este domínio por acaso. Lamentável!

Comentar

Comentários encerrados em 26/01/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.