Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conta no exterior

Justiça paulista divulga nota sobre depoimento de Maluf

A Justiça paulista divulgou, nesta segunda-feira (20/2), nota à imprensa sobre o depoimento do ex-prefeito paulistano Paulo Maluf e sua mulher, Sylvia. Eles prestaram depoimento para o juiz substituto Douglas Camarinha Gonzáles, da 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo, na sexta-feira (17/2).

Maluf e sua mulher confirmaram que possuem uma única conta bancária na França e afirmaram que tudo foi declarado no Imposto de Renda. Sobre as demais acusações, Maluf alegou que é “perseguição” do Ministério Público.

Na nota, a Justiça explica que Maluf e Sylvia responderam apenas ás perguntas do juiz. Não quiseram responder ás questões apresentadas pelo Ministério Público alegando “perseguição política”. O juíz lembra que o processo corre sob segredo de Justiça e, portanto, não é possível fornecer mais informações.

Leia a íntegra da nota.

A 2ª Vara Federal Criminal esclarece, através desta Assessoria de Imprensa que, em relação aos depoimentos de Paulo Maluf e sua esposa, Sylvia, ocorridos no dia 17/02/2006 (última sexta-feira):

1) Os depoentes responderam às perguntas do juiz, mas não responderam às perguntas do Ministério Público Federal, alegando perseguição política;

2)Trata-se de uma nova denúncia relativa a contas bancárias no exterior e a suposta declaração ao Fisco por parte de Paulo Maluf e sua mulher, Sylvia Maluf. Na denúncia só há valores referentes a uma conta bancária — de Sylvia Maluf — no valor de 70 mil euros.

Informamos que não será possível a obtenção de maiores detalhes, já que o processo corre em sigilo. As informações acima visam esclarecer dados à imprensa em geral.

Atenciosamente,

Seção de Divulgação Social - SUDS

Seção Judiciária do Estado de São Paulo


Revista Consultor Jurídico, 20 de fevereiro de 2006, 20h50

Comentários de leitores

1 comentário

E se nao fossem homens publicos, estaria assim ...

Luiz Antonio Mores (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

E se nao fossem homens publicos, estaria assim tão interessado o Ministério publico???

Comentários encerrados em 28/02/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.