Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Carneiro - adv - É, sem dúvida, questionável a ...

Wanderley Gonçalves Carneiro (Advogado Autônomo)

Carneiro - adv - É, sem dúvida, questionável a decisão que negou a guarda da neta à avó. Sem entrar no mérito, até pela ausência de conhecimento da matéria, entendo que os avos são juricamente fatores subsidiários na educação dos netos,

Discordo veementemente da referida decisão, sen...

Nilton Cesar de Araujo (Advogado Autônomo)

Discordo veementemente da referida decisão, sendo que para o sustento da do criança,a avó é lembrada e cobrada, quando muitas vezes é acionada pela Justiça,além disso, em alguns casos a avó mal conhece o neto, quando aparece um meirinho em sua porta, citando para pagar a pensão de alimentos, afinal, quem assume o ônus, tem o direito de colher o bônus. Ademais, se os pais da criança fossem tão responsáveis e dignos não precisariam depender da avó para criar o filho. Além disso, essa conversa de que os avós tem o dever de cuidar e zelar pelo futuro dos netos é pura demagogia, já que os avós não são convidados para a festa da feitura do neto, mas são cobrados para pagarem a conta da festa.

Lamentável que alguns colegas resumem a criação...

Sonia de Oliveira (Advogado Autárquico)

Lamentável que alguns colegas resumem a criação de uma criança a um mero fator financeiro, sem considerar o fator emocional e psiquico do menor, sem considerar ainda a complexidade que envolve a criação e desenvolvimento saudável de uma criança, onde a presentça materna e paterna são fundamentais, caso fosse a questão financeira essencial como se explicaria o sucesso de muitos adultos que tiveram uma vida de dificuldades e privações e no entanto são hoje adultos dignos como qualquer outro.

Devo discordar veementemente da decisão do Exmo...

Louiz (Estudante de Direito)

Devo discordar veementemente da decisão do Exmo. Desembrargador Carlos Escher. Reconecendo a condição de genitora pura e simplesmente, desconsidera o fato que esta não tem a condição de dar à crinaça futoro promissor provendo com alimentação e educação dignos, uma vez sendo esta incapaz de assumir os gastos. De tal decisão poder-se-a casusar a ruptura do relacionamento assegurador, gerando mais um desconforto familiar. Caber-se-ia sim, um provimento parcial, satizfazendo então o bem-estar desta criança.

Comentar

Comentários encerrados em 31/08/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.