Consultor Jurídico

Artigos

Os limites do MP

Eduardo Jorge e a maioridade do Ministério Público

Comentários de leitores

7 comentários

O Eduardo Jorge é um herói da democracia. Se o ...

LUÍS  (Advogado Sócio de Escritório)

O Eduardo Jorge é um herói da democracia. Se o Conselho prestar para alguma coisa, o que veremos em breve, vai acatar o pedido.

O sr. (ou sra.) ABAPORU comete equívoco ao fal...

olhovivo (Outros)

O sr. (ou sra.) ABAPORU comete equívoco ao falar em impunidade de Eduardo Jorge. Na realidade o MPF não chegou sequer a ingressar com ação penal contra ele, porque nenhum fato tinha sustentação em qualquer prova, apesar do barulho. Assim, não se trata de impunidade, mas de um direito de não ser considerado culpado por algo que não tinha fundamento fático nem para uma denúncia. Em que Código Penal o sr. (ou sra.) se baseia ? No Código Penal indígena ?

É bom que os colegas levem em consideração que ...

Reginaldo (Advogado Autônomo)

É bom que os colegas levem em consideração que o Sr. Eduardo Jorge foi absolvido de todas as acusações. O Presidente, recentemente, disse que daria uma cheque em branco ao Sr. Roberto jeferson, nem por isso afirma-se que este estava mancomunado com a corja que roubou descaradamente o país. Ademais, excesso de poder fere a democracia, e isto vem ocorrendo em relação ao Ministério Pùblico. No caso da polícia, por exemplo, os processos são públicos, e temos o próprio Ministério Público e o Judiciário a vigiá-la, porém, quem vigiará ou melhir, punirá os excessos do MP? Este próprio? Como está o caso Blat? Por que os paretes do garoto assassinado no litoral vem reclamando de tratamento processual diferenciado? Há de se ter equilibrio.

O Ministério Público tem um papel relevante num...

Armando do Prado (Professor)

O Ministério Público tem um papel relevante numa sociedade democrática. Entretanto, alguns a diminuiem. Agora mesmo, um famoso promotor de S.P., sairá candidato a deputado. Seria normal, não fosse o partido escolhido. Qual o partido? Evidentemente, será pelo PSDB, o partido ao qual boa parte dos promotores são acusados de ajudar. E por quê? Em função da ação de uns poucos. Quanto aos procuradores citados no artigo, data venia, são profissionais que engrandeceriam a justiça ou procuradoria de qualquer país sério. O senhor Eduardo Jorge teve a sorte de ter problemas num período em que as CPI's eram sistematicamente engavetadas. Nada se investigou, nada se apurou. Modestamente, saúdo Luiz Francisco e Guilherme Schelb, lutadores por causas que só engrandecem os agentes políticos e a res publica. Quanto à publicação que agasalha o artigo - Primeira Leitura - deveria ser a última leitura, pois são useiros e vezeiros na defesa da direita neoliberal e predadora.

Se no final da reportagem não constasse a autor...

Ruberval, de Apiacás, MT (Engenheiro)

Se no final da reportagem não constasse a autoria de um jornalista, já estava certo de que se tratava de texto redigido por algum advogado criminalista (contratado pelo sr. Eduardo Jorge) ou algum político que está sendo processado pelo procurador Luis Francisco de Souza ou por algum “mensaleiro” que tenta desprestigiar a atuação do MPF. Mas respeito a opinião do colega jornalista. Comungo com o entendimento do colega Embira. Nada foi apurado no governo FHC, sobretudo por causa daqueles que hoje integram a oposição, outrora “situação”. Ademais, muito bem lembrado o depoimento do sr. Eduardo Jorge, em que alegou não conhecer o sr. Fabio Monteiro. Memória fraca aquele rapaz, não é verdade? rs

O comentarista Embira comete o mesmo erro em qu...

olhovivo (Outros)

O comentarista Embira comete o mesmo erro em que incidem, no afã de acusar, os procuradores afoitos e despreparados: fulano conhecia beltrano? O fato de conhecer ou receber ligações telefônicas (principalmente quando se exerce cargo político) não é e nunca foi indício de crime. Nem mesmo ter amizade ou "relações" com alguém supostamente envolvido em algum delito o transforma em cúmplice. Quanto à atuação do CNMP, está em boa hora mostrar para que veio. As acusações estrepitosas, prematuras, sem base e holofoteiras levarão, mais dia menos dia, à delimitação das prerrogativas de toda a instituição por culpa de alguns, principalmente pela omissão.

Eduardo Jorge sofreu pouco constrangimento porq...

Embira (Advogado Autônomo - Civil)

Eduardo Jorge sofreu pouco constrangimento porque no governo FHC não houve nenhuma CPI para investigar denúncias de corrupção. O fato de ter, a convite do Senado, prestado depoimento naquele órgão e conseguido negar seu envolvimento com o desvio de verbas para a construção do prédio do TRT paulista, já foi uma grande vitória para ele. Nesse depoimento o ex-assessor presidencial disse que não conhecia o empresário Fábio Monteiro de Barros, mas, o senador José Eduardo Dutra, do PT, lembrou-lhe que na quebra do sigilo telefônico daquele empresário constavam cinco ligações suas para o depoente. Mesmo com esse deslize, ele conseguiu fazer com que a Veja lhe pagasse R$ 50.000,00 de indenização, por danos morais. Talvez não mereça esse prêmio extra, mas, a Veja, talvez, mereça o castigo, pelo conjunto da obra. Agora, o MP deveria fazer uma investigação mais acurada dessa estória de que o referido personagem não conhecia o empresário Fábio Monteiro de Barros. Conhecia ou não conhecia?

Comentar

Comentários encerrados em 6/05/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.