Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Einstein já dizia: Que é mais fácil é quebrar u...

Meldireito (Advogado Autônomo - Família)

Einstein já dizia: Que é mais fácil é quebrar um átomo do que o preconceito! A mentalidade dos senhores e de todos aqueles que utilizam esses argumentos demonstram que Einstein estava certo!!! O problema não está nos homossexuais, está no coração e nas mentes de vocês que não querem ver, enxergar as realidades a redor. Vocês vivem fundamentando com bíblias, alcorão e etc. Mas esquecem de viver a vida prática do dia-dia e a respeitar as diferenças. A intolerância de vocês é igual a de Hitler e tantos outros que já existiram no mundo. Vocês não aceitando a realidade, tentam de todas as formas combatê-la, colocá-las em campos de concentração, matar, extinguir, exterminar. E a violência só gera violência. Já aprendemos com a história e com o passado que atitudes e pensamentos de incompreensão e intolerância só geram isso: dor, violência e guerra. Mas os senhores ainda não aprenderam isso.

Para ambos, tenho conhecimento sim sobre adoçã...

PEREIRA (Advogado Autônomo - Consumidor)

Para ambos, tenho conhecimento sim sobre adoção, a ponto de entender os sentimentos de uma criança na busca por um pai e uma mãe. Com todo o respeito, nào estou preocupado com o direito dos gays, na adoção ele é secundário, é o direito da criança que conta. Esse direito a uma familia e a sua proteção é Constitucional e prevalece sobre todo e qualquer direito. Ninguém pensa em esterilização do gay, isto seria Inconstitucional, porém, como dito, na adoção náo é o gay que prevalece mas sim a criança, será que ela realmente quer uma casal gay como pai.

Bom, em resposta ao comentário do colega JOSE A...

Emilleny Lázaro (Estudante de Direito)

Bom, em resposta ao comentário do colega JOSE APARECIDO PEREIRA, digo que a criança e o adolescente a serem adotados não buscam instituições (com afirmado abaixo), tenho como certo que se busca afeto e cuidados que só quem realmente os ama é capaz de transmitir, desculpe-me, mais não concordo contigo, como colocado por ti, incontitucional é negar ao menor o direito a ter direitos, a ser criado cercado por aqueles que os amam (e isso independe do sexo). José Aparecido, convido você a repensar o que disse e colocar-se no lugar de uma criança que vive em abrigos públicos, abandonado, à mercê da sorte, pense em quantos excedem a idade de 18 anos sem ter tido uma família. É muito fácil ser moralista (sem ofensas), no entanto, a vida excede o moral (que deve ser buscado, mas não colocado acima de tudo). Bem, era isso.

Acredito que não se permitindo a um casal de ho...

Biela (Advogado Autônomo - Civil)

Acredito que não se permitindo a um casal de homossexuais adotar uma criança, estar-se-ia ferindo direitos e garantias fundamentais, inclusive da proibição de qualquer espécie de discriminação, o que poderia dar ensejo a uma Ação de Indenização por Dano Moral pelo Casal.

A adoção no Brasil deve ser facilitada para...

Jose Aparecido Pereira (Advogado Autônomo - Civil)

A adoção no Brasil deve ser facilitada para os brasileiros, e em favor da criança, porque o que se tem feito no pais, na verdade, é uma burocracia insustentável criando depositos interminaveis de crianças nas instituições. Porém, dái, achar que é novo e bonito autorizar a adoção por casais gays é algo totalmente velho e ultrapassado. O novo e constitucional é proteger a criança. Assim, gostaria de entender a felicidade de uma criança adotada por um casal gay. Como seria bom para ela acordar de manhã e chamar um homem barbudo de mãe, ou uma mulher de pai. Encontrar como os amiguinhos na escola e rir com eles das piadas. Adotado, e por um casal gay, que maravilha, quantas crianças sonham com isso. Nascem de uma união entre um homem e uma mulher, vão parar em uma instituição por razões diversas, e, certamente devem alimentar um sonho maravilhoso de serem adotados por um casal gay. Gente, esse mundo não existe. Acordem, criança alguma sonha com isso em uma instituição. Elas não são filhos do vento, nascem da união entre a mulher e o homem, porque, privar-lhes a únida coisa que é possível com a adoção, ter, um pai e uma mãe de verdade e não um sonho infantil. Não é a relação homoafetiva que esta em jogo, mas o sonho e o futuro de uma criança. O novo nisso tudo é a proteção de uma criança e não de casais gays. Inconstitucional é negar a uma criança o mínimo que éla pode ter, ou seja, o sonho de um lar comum a toda criança, e dentro desse lar um pai e uma mãe, como todas as crinças. Não é possível negar ao adotado, só porque é adotado, esse direito. O casal gay que quiser ter filhos, faça, crie, invente ou invente sua aberração, já que a natureza lhes privou disso, talves sabiamente, mas não queira submeter um adotado a esse mico.

Comentar

Comentários encerrados em 12/09/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.