Consultor Jurídico

Notícias

Ato discricionário

Direito de andar armado existe nos EUA e não no Brasil

Comentários de leitores

8 comentários

poigi

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

poigi

E os outros comentários?

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

E os outros comentários?

ghunm

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

ghunm

Órion, meu comentário foi para o autor do texto...

Priscila -JFSP (Outros)

Órion, meu comentário foi para o autor do texto. Para vc, digo o seguinte: tive o mesmo problema, mandei email pro Conjur e nada de resposta....acho que essas coisas são só pra inglês ver.....Abs

Tem gente que não possui raciocínio mesmo....eu...

Priscila -JFSP (Outros)

Tem gente que não possui raciocínio mesmo....eu heim?! credo! Nem adianta tentar explicar....

ATENÇÃO EDIÇÃO. Este é o terceiro comentário...

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

ATENÇÃO EDIÇÃO. Este é o terceiro comentário que faço nesta artigo. O primeiro não saiu. Fiz outro. Sairam ambos, separados da matéria. Certamente, quando este atual for remetido, sugirão os três, na mesma página(?) onde estão os outros dois. Não é a primeira vez que isso ocorre. Agradeço sua atenção.

Alerta!!! O referendo trata, tão só, de COMERC...

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

Alerta!!! O referendo trata, tão só, de COMERCIALIZAÇÃO. Tudo o mais que consta da campanha do SIM já está proibido desde a promulgação do Estatuto do Desarmamento. Posse, uso, guarda e tudo mais. O referendo visa obstar a concorrência que nossas armas de pequeno calibre fazem aos grandes fabricantes internacionais. Os Taurus são os revolveres mais vendidos nos EUA. O problema é muito mais grave: é de crime lesa pátria promovido pelo próprio governo e os inocentes úteis do SIM.

A posição do governo é, no mínimo, suspeita. O...

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

A posição do governo é, no mínimo, suspeita. O Rio Grande do Sul seria o Estado líder entre aqueles com número de armas particulares, no entanto, também lidera a lista daqueles de menor índice de mortes por arma de fogo. Submeto à devida correção daqueles que têm profundidade no estudo do Direito Tributário Internacional, a notícia que circula no sentido de que a legislação de vários países, inclusive os EUA, proibem a importação de produtos proibidos nos seus países de origem. O sucesso dos nossos Taurus e Rossi representaria, assim, um sério concorrente das indústrias de armas desses países. Isso é verdade? Se for, a campanha pelo desarmamento ganha foros de lesa pátria.

Comentar

Comentários encerrados em 20/10/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.