Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Com toda razão, caro Dr. Hélder. Parece que o T...

Marcelo Augusto Pedromônico (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Com toda razão, caro Dr. Hélder. Parece que o TJ piorou após a unificação com os Tribunais de Alçada. Vaidades e conceitos extremamente atrasados. Com relação a Paulo Maluf, não me parece "desarrazoado" o argumento. Afinal, escrevemos estes comentários como CIDADÃO, e não como profissionais do Direito. E este é sim o sentimento. HC para "figurões" é apreciado de uma forma tão rápida, que até para nós Advogados a coisa é "incompreensível".

Por que ninguém fala nada do TJ Paulista que ma...

Hélder Braulino Paulo de Oliveira (Advogado Autônomo - Criminal)

Por que ninguém fala nada do TJ Paulista que manteve a prisão? O TJ, data maxima venia, tornou-se uma corte cujas decisões assombram pela incoerência: verdadeira instância de procedibilidade recursal para Brasíla. Um horror!

...sim, é certo que cada caso é um caso, mas o ...

Augusto Vinícius Fonseca e Silva (Procurador do Município)

...sim, é certo que cada caso é um caso, mas o argumento segundo o qual os Malufs puderam ser soltos e esta senhora não pôde, com todo respeito, é no mínimo, desarrazoado. A ponderação deve ser inexoravelmente levada em conta. E o Direito deve ser interpretado, sempre, pelas lentes constitucionais, partindo-se do princípio da dignidade da pessoa humana. É uma pena que ainda não se leia primeiro a Constituição. Se assim houvesse feito, certamente o digno magistrado paulista não teria dado uma decisão infeliz como esta. É torcer para que o STF, joeirando a questão pelo devido filtro constitucional, reforme a decisão.

Com a devida vênia, o juiz José Guilherme di Ri...

Carlos Alberto Costa Silva (Advogado Associado a Escritório)

Com a devida vênia, o juiz José Guilherme di Rienzo Marrey representa o que há de mais atrasado e insensível no mundo jurídico brasileiro. Alguém já disse que de perto ninguém é normal. Aqueles que se julgam o "chicote de deus", querendo ser mais realistas que o rei,autômatos e impiedosos, escondem por trás da toga preconceitos, recalques e outros desvios que, vindo à luz, os colocaria em posição piór que supostos criminosos, apenados ainda sem julgamento. Se S. Excelência entende que deva aplicar a fria letra da lei, deveria então, pela hierarquia das normas, aplicar a regra constitucional que garante ao cidadão o direito de ser considerado inocente até o transito em julgado de decisão condenatória. Então vamos nos dedicar a trazer à luz todos os desvios dessa criatura perfeita, vamos passa-lo pela lupa tão rígida quando a dele própria, assim veremos quem é piór. Com a palavra a população de Campinas e os operadores do direito da região.

A inteligência, faz a diferença! A aplicação m...

Ottoni (Advogado Sócio de Escritório)

A inteligência, faz a diferença! A aplicação mecânica da regra é trabalho de amanuense. Investido de um dos Poderes do Estado e protegido por uma série de predicamentos que o habilitam a cumprir a sagrada missão de distribuir JUSTIÇA, o juiz é bem mais do que um autômato aplicador de carimbos. Para a aplicação cega do regulamento, melhores serviços presta o computador.

Esse País não é sério. É carecedor de homens, q...

João Roberto de Napolis (Advogado Autônomo)

Esse País não é sério. É carecedor de homens, que tenha amplitude de raciocínio, que seja despojado na interpretação da natureza humana, que busque o equilíbrio e ponderação, de nada serve a formação acadêmica, se não houver sido criada, cultivada a maturidade no cotidiano da vida em sociedade.

Comentar

Comentários encerrados em 6/12/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.