Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Tarda mas não falha

Doleiro do ex-presidente Fernando Collor é preso em São Paulo

O doleiro uruguaio Najun Turner foi preso nesta quinta-feira (31/1) pela Polícia Federal em seu apartamento na zona sul de São Paulo. Turner, conhecido por atuar como operador financeiro de ex-presidente Fernando Collor de Mello, foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região a dez anos de prisão, em fevereiro do ano passado. Desde então ele estava foragido.

Pesam contra ele dois crimes contra o sistema financeiro: operar como instituição financeira não-autorizada pelo Banco Central e caixa-dois. As informações são da Procuradoria da República em São Paulo.

De acordo com o MP, Turner era dono de uma casa de câmbio e operava como pessoa física no sistema financeiro, aplicando recursos de terceiros em operações com dólares, ouro e na bolsa de valores. Uma das corretoras de valores usadas por Turner em seus negócios, afirma o Ministério Público, era a Split, envolvida posteriormente no que ficou conhecido como escândalo dos precatórios.

Ao estabelecer a pena de dez anos para Turner, o desembargador do TRF-3 Luiz Stefanini levou em consideração todos os outros casos envolvendo o doleiro, como o seu envolvimento na Operação Uruguai. A Operação Uruguai foi montada pelo ex-presidente Fernando Collor, e por seu secretário particular, Cláudio Vieira, em cumplicidade com o doleiro para justificar a existência de dinheiro de origem não explicada.

Pesaram também na decisão denúncia pelo crime de lavagem de dinheiro oferecida pelo MP, em 2003, referente ao caso dos precatórios, e uma prisão que chegou a ser decretada contra ele por ter sido depositário infiel em outro processo.

Revista Consultor Jurídico, 31 de março de 2005, 20h25

Comentários de leitores

2 comentários

Pena que a nossa Justiça tenh...

hammer eduardo (Consultor)

Pena que a nossa Justiça tenha a velocidade de uma "tartaruga baiana" e no final das contas , via de regra , termina apanhando apenas os "bagrinhos" . Sera que um dia veremos o dito cujo collor de melo sendo devidamente algemado em horario nobre depois de todo o sofrimento que impos ao Brasil durante 2 anos? Infelizmente parece pouco provavel em nosso oceano de lama ao qual ja nos acostumamos. Vide o restante da quadrilha, o "PC" foi devidamente "morrido" em Alagoas, aquela bruxa da zelia literalmente fugiu do Pais e agora "da consultorias em New York". O "resto" desapareceu ou se "adaptou" aos novos tempos como é o caso do camaleonico renan calheiros que mudou de pele varias vezes e ainda esta por ai , lembremos das defesas furiosas efetuadas por ele no plenario em Brasilia defendendo aquela canalhice que foi o confisco do dinheiro de todo mundo. Foi sofrimento gratuito a troco de nada , varias pessoas morreram em desespero e outras se suicidaram (sera que algum dia alguem da competencia de um Fernando Morais vai se debruçar sobre esse assunto de tamanha importancia? . Com certeza daria um livrão!). O proprio color se escondeu nas sombras e nos salões iluminados dos seus amiguinhos paulistas (nada contra o grande Estado , por favor) que continuam babando o escroque em regabofes em ambientes controlados é claro. Queria ver elle se arriscar a um passeio no calçadão de Copacabana num domingo de Sol , linchamento de judas ia perder feio. Pobre Pais o nosso que continua se afogando na hipocrisia nossa de cada dia e encarcerando os "mordomos" na falta de huevos para encanar os peixes grandes.

E os outros ondes estão?

Wilson Ignacio Oliveira (Escrivão)

E os outros ondes estão?

Comentários encerrados em 08/04/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.