Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Morte de advogado

OAB cobra empenho na investigação de morte de advogado de Goiás

A Ordem dos Advogados do Brasil cobrou empenho do governo de Goiás para esclarecer o assassinato do advogado Adalberto Teixeira da Silva, morto em 22 de novembro de 2004. O presidente da OAB nacional, Roberto Busato, encaminhou ofício ao governador Marconi Perillo cobrando uma posição oficial sobre o andamento das investigações.

Busato disse saber que o inquérito policial foi instaurado, mas cobrou “empenho no sentido de que o órgão responsável” pelas apurações agilize seus procedimentos. Cópia do ofício foi encaminhada ao secretário de Segurança Pública e Justiça de Goiás, Jônathas Silva.

Adalberto Teixeira da Silva foi morto aos 40 anos com quatro tiros à queima roupa em frente à sua casa, no bairro de Santa Luzia, em Goianésia, a 166 quilômetros de Goiânia. Dois tiros atingiram seu maxilar e outros dois, o olho e a cabeça.

O advogado militava nas áreas criminal e trabalhista, atuava como procurador da Câmara Municipal de Goianésia e trabalhava na Rádio Sociedade Vera Cruz AM. À época do assassinato, a Polícia trabalhava com a suspeita de acerto de contas.

Leia o ofício

Senhor Governador.

Como é do conhecimento de V.Exª, no dia 22 de novembro de 2004, na cidade de Goianésia, Estado de Goiás, foi brutalmente assassinado o Advogado Adalberto Teixeira da Silva, inscrito na Seccional goiana sob o nº 10.817.

Sabe-se que o inquérito policial foi instaurado, mas até a presente data a OAB não tem notícias oficiais do andamento das investigações, o que muito interessa a esta Instituição, até mesmo porque o episódio, afora a violência que por certo provocou certa instabilidade e comoção social, vitimou profissional do Direito.

Solicito, pois, a V.Exª, empenho no sentido de que o órgão responsável seja acionado para ultimar o procedimento inquisitorial com agilidade e presteza, de modo a viabilizar a aplicação da Justiça e o oferecimento de uma resposta à família do Advogado, aos seus pares e à própria comunidade onde militou por anos.

No aguardo de suas providências, colho o ensejo para renovar a V.Exª os protestos de elevada estima e distinta consideração.

Atenciosamente,

Roberto Busato

Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil

Revista Consultor Jurídico, 21 de março de 2005, 15h38

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/03/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.