Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Argumento de defesa

Abin diz que documento sobre as Farc e PT é forjado

Por 

Mais de 60% do documento exibido nas televisões, que mostra ligações entre o Partido dos Trabalhadores e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), é forjado. É o que alegarão o general Jorge Félix, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, e o delegado Mauro Marcelo de Lima e Silva, diretor da Agência Brasileira de Inteligência, a Abin, para a Comissão de Controle de Atividades de Inteligência do Senado. Nesta quarta-feira (16/3), às 13h, eles explicarão o caso.

O assunto foi tratado pela primeira vez pela revista Veja esta semana e, depois, a imprensa em geral entrou no caso. Segundo a reportagem de Veja, um dos documentos da Abin obtidos mostra que, em dia 13 de abril de 2002, um grupo solidário com as Farc fez uma reunião numa chácara nos arredores de Brasília.

De acordo com o texto, “na reunião, que teve a presença de cerca de trinta pessoas, durou mais de seis horas e acabou com um animado forró, o padre Olivério Medina, que atua como uma espécie de embaixador das Farc no Brasil, fez um anúncio pecuniário. Disse aos presentes que sua organização guerrilheira estava fazendo uma doação de 5 milhões de dólares para a campanha eleitoral de candidatos petistas de sua predileção”. A reportagem lembra que faltavam menos de seis meses para a eleição.

O delegado e o general levarão documentação aos senadores para atestar que seria parcialmente forjado o relatório, timbrado pela Abin, que mostra a doação de US$ 5 milhões.

As Farc já tomaram 45% da Colômbia e sustentam sua guerrilha com dinheiro do narcotráfico de cocaína.

Félix e Mauro Marcelo vão mostrar aos senadores que o relatório exibido por um deputado federal, timbrado pela Abin, traz erros de português e desrespeita as 30 normas de datilografia que são secretas e conhecidas apenas pelos agentes da Abin.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 15 de março de 2005, 18h32

Comentários de leitores

2 comentários

não nos atenhamos ao que divulga a Veja. Seria ...

Victor Sarfatis Metta (Advogado Sócio de Escritório - Tributária)

não nos atenhamos ao que divulga a Veja. Seria muita condura da nossa parte. Procurem os fatos vcs mesmos e verão que o PT é ligado a um órgão supranacional chamado Foro de São Paulo (tem site, aliás). O primeiro secretário do grupo foi o próprio Presidente Da Silva. O grupo congrega toda a esquerda latino-americana, incluíndo os grupos terroristas Farc, MIR, Tupac Amaru, e por aí vai (sem contar a terrorista mór, Cuba, representada por Fidel, que lidera o grupo). O Foro discute meios de implementação do comunismo na america latina, organiza ações contra governos inimigos (uribe, da colômbia, p.ex.) e é muito articulado. E vcs acham q a relação entre PT e Farc foi só essa q a Veja retratou ?! Sim, esses sujeitos estão por trás de assassinatos e sequestros... mais informações no site www.midiasemmascara.org é só procurar

Bem, se 60% do documento foi forjado, então 40%...

Lourenço Neto (Advogado Assalariado - Administrativa)

Bem, se 60% do documento foi forjado, então 40% dele representa a verdade? Como pode um documento que não respeitou as regras secretas de datilografia ser falso apenas em parte? Os nossos arapongas, por outro lado, são imunes a erros de português, como se isso fosse evidência de que o documento não é da ABIN? Esta explicação está muito, mas muito confusa.

Comentários encerrados em 23/03/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.