Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pelas costas

Juiz que matou vigia em Sobral é afastado e tem prisão decretada

Por 

O juiz Pedro Percy Barbosa de Araújo foi afastado do cargo e teve a prisão preventiva determinada pelos desembargadores do Pleno do Tribunal de Justiça do Ceará nesta terça-feira (1º/3). Ele matou, com um tiro, o vigia José Renato Coelho Rodrigues, funcionário de um supermercado da cidade de Sobral, a 230 quilômetros de Fortaleza (CE). O crime aconteceu no domingo (27/2), dentro da loja.

Araújo queria fazer compras quando o supermercado já estava fechado e foi impedido de entrar pelo vigia. O juiz solicitou a presença do gerente da loja que, ameaçado, permitiu sua entrada. “Ele disse que se eu falasse muito também, ele iria me prender e prender o meu funcionário porque era uma autoridade”, afirmou o gerente Assis Viana.

Quando entrou na loja, Araújo atirou no vigia pelas costas. O disparo foi registrado pelo circuito interno de segurança. Uma imagem, exibida na segunda-feira (28/2), pelo Jornal Nacional, mostra que o vigia não pôde se defender.

“Aprovo a decretação da prisão diante da situação de clamor popular, em decorrência da forma como o crime foi praticado e em atenção aos comandos da lei processual penal, assim como em respeito à ordem pública, que foi ultrajada”, afirmou o desembargador Ernani Barreira Porto, relator do pedido.

José Renato tinha 33 anos, era casado, tinha um filho e trabalhava no supermercado há uma semana. De acordo com o TJ-CE, Percy Barbosa ingressou na magistratura em 1994. Em 1996 trabalhou na comarca de Jaguaribe e há sete anos era juiz da 2ª Vara de Sobral.

Além do assassinato do vigia, Araújo também é alvo de duas outras investigações por parte do Tribunal de Justiça. Uma de caráter criminal, que tem como relator o desembargador Edmilson da Cruz Neves, e outra administrativa, a cargo do desembargador João de Deus Bringel, corregedor-geral de Justiça.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 1 de março de 2005, 18h05

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 09/03/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.