Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Invasão de escritórios

Aleixo diz que operação da PF violou prerrogativas de advogados

O advogado Rogério Aleixo, sócio do Aleixo Pereira, objeto de uma operação de busca e apreensão por parte da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (30/6), informou que, ao contrário do que afirmam o ministro da Justiça e as autoridades da Polícia Federal e do Ministério Público, os alvos da operação em seu escritório foram clientes e não advogados.

Segundo Aleixo, tratou-se de uma invasão, semelhantes às que ocorreram anteriormente em outros escritórios, em flagrante desrespeito à inviolabilidade da advocacia. “Fomos vítimas de uma arbitrariedade”.

O advogado diz que o mandado de busca e apreensão, expedido pela Justiça Federal do Rio de Janeiro, era genérico e abrangente, não especificando os objetos ou documentos a serem apreendidos “Se quisessem, poderiam ter levado o escritório inteiro”, diz Aleixo.

Entre os documentos apreendidos está uma apostilha de um curso promovido pelo escritório Oliveira Neves, alvo principal da operação policial, e documentos de empresas estrangeiras clientes do escritório. “Mas não é crime ter empresas estrangeiras como cliente”, diz Aleixo.

Rogério Aleixo disse que informou à OAB, à Aasp — Associação dos Advogados de São Paulo e ao Iasp — Instituto dos Advogados de São Paulo sobre o ocorrido e que pretende levar o caso à Justiça. “Queremos resolver esta situação na forma da lei. Não vou sofrer calado este tipo de violência e não vou permitir que joguem o nosso nome na lama. Vou levar o caso às ultimas conseqüências”, desabafou.

Aleixo esclareceu que junto ao escritório de advocacia funciona o escritório de contabilidade da família, que não foi objeto das investigações e das medidas judiciais.

Revista Consultor Jurídico, 30 de junho de 2005, 16h12

Comentários de leitores

1 comentário

Querido Abaporu, Seu apelido foi muito bem es...

Mguima ()

Querido Abaporu, Seu apelido foi muito bem escolhido. Esse é o nome de um quadro de Tarsila do Amaral retratando um indivíduo cuja anatomia se agiganta 'a medida que se aproxima do pé. A cabeça é minúscula, consequentemente, o cerebro tambem deve ser.

Comentários encerrados em 08/07/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.