Consultor Jurídico

Operação Mercúrio

PF prende 18 policiais rodoviários por corrupção no AM

O chefe de Policiamento e Fiscalização da Polícia Rodoviária Federal no Amazonas, Jones Andrade de Menezes, e mais 17 policiais rodoviários federais foram presos nesta segunda-feira (27/6) na Operação Mercúrio, que investiga um esquema de cobrança e pagamento de propinas no setor de transporte rodoviário. Cerca de 20 empresários e funcionários do setor de transporte de cargas também foram detidos.

Menezes foi exonerado de sua função nesta terça-feira (28/6). O delegado coordenador da operação, Osmar Melo, afirmou que Menezes era o líder do esquema de corrupção. “Ele ditava as regras. As irregularidades verificadas nos postos de fiscalização eram levadas a seu conhecimento, para que determinasse quais seriam liberadas”. As informações são da Agência Brasil.

Os 18 policiais foram indiciados pelos crimes de extorsão qualificada, formação de quadrilha e corrupção passiva. O assessor de comunicação da PRF, Ricardo Torres, informou que o corregedor-geral da Polícia Rodoviária, Marcelo Gladson Pires, solicitou à PF cópias de alguns documentos para que seja aberto um processo administrativo-disciplinar contra os policiais detidos.

A assessoria informou ainda que nos 44 mandados de busca e apreensão executados na segunda-feira foram apreendidas 62 carretas nos pátios de empresas transportadoras, todas elas adulteradas, com modificações no chassi ou na placa.

Segundo o delegado Osmar Melo, há indícios de que essas transportadoras estejam envolvidas com contrabando de madeira e de carvão e com roubo de veículos. As transportadoras investigadas são: Chibatão, Cometa, Thimbar, M.L.F Transportadora, Aerotrans, Translog, Hebron, Transcearense, J.R. Transportes, Oliva Pinto e Amatur.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 28 de junho de 2005, 15h07

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/07/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.