Consultor Jurídico

Notícias

Direto na conta

STJ utiliza sistema de penhora online pela primeira vez

Pela primeira vez na história do Superior Tribunal de Justiça, um ministro da Corte penhorou ativos financeiros utilizando o sistema de penhora online (Bacen-Jud) — recentemente implantado na secretaria do tribunal.

Por causa de sucessivos descumprimentos de ordens judiciais e de diversas liminares concedidas, a ministra Nancy Andrighi, presidente da 3ª Turma do STJ, bloqueou R$ 60 milhões de uma empresa do Rio de Janeiro, do ramo de maquinário pesado.

O Bacen-Jud é um sistema automatizado que permite ao juiz, via internet, por meio do uso de uma senha criptografada, solicitar ao Banco Central, em tempo real, informações bancárias e determinar o bloqueio ou o desbloqueio de contas.

Atualmente, o sistema vem sendo mais utilizado pelos juízes trabalhistas, que responderam por quase 95% das ordens judiciais emitidas pelo Bacen-Jud no ano passado.

Caso concreto

No bloqueio, a ministra Nancy determinou a indisponibilidade dos R$ 60 milhões da empresa fluminense pelos sucessivos descumprimentos das determinações judiciais do STJ.

O caso envolve uma disputa societária entre dois grupos, que resultou na saída de vários sócios da empresa. Os que se retiraram celebraram um acordo de acionistas com os sócios remanescentes. O acordo obrigava a companhia a depositar dinheiro na outra empresa, formada pelos que saíram, o que nunca foi feito.

Os sócios dissidentes entraram com uma medida cautelar, pedindo o bloqueio dos ativos financeiros da empresa, para que ficasse assegurado o cumprimento do acordo celebrado. A ministra Nancy Andrighi, utilizando o novo sistema, concedeu a liminar pedida e bloqueou os valores, pelo menos até que suba o recurso ajuizado pela empresa contra a decisão que determinou o bloqueio do dinheiro.

Revista Consultor Jurídico, 16 de junho de 2005, 21h29

Comentários de leitores

1 comentário

Pq não tem competência?

Marcelo Cunha (Advogado Autônomo - Civil)

Pq não tem competência?

Comentários encerrados em 24/06/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.