Consultor Jurídico

Setor elétrico

Bolsa do Rio recebe seminário sobre leilões de energia

O cenário de leilões, licitações e vendas no setor elétrico estarão em pauta nesta sexta-feira (17/6) na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Promovido pela Internews, o seminário Leilões da Energia Nova — Investimentos em Geração 2005 abordará os programas de investimento, financiamentos, garantias e investidores do setor.

Durante o encontro, os palestrantes irão expor quais os ajustes necessários e vantagens do modelo em vigor e quais são as ações estratégicas competitivas que podem ser implantadas frente aos investimentos na geração de energia. O seminário tem em vista o resultado da habilitação das empresas a participarem do leilão, previsto para ser divulgado no dia 10 de julho pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

Entre os palestrantes estão o advogado Guilherme Guerra Schmidt, sócio do escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice; Ricardo Pigatto, presidente da Associação dos Pequenos e Médios Produtores de Energia; Antônio Carlos Fraga Machado, presidente do Conselho de Administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica; Luiz Fernando Leoni Vianna, presidente da Associação dos Produtores Independentes de Energia Elétrica; Mário Menel, presidente da Associação Brasileira dos Investidores em Auto Produção de Energia Elétrica, entre outros.

Veja a programação

8h30 – Recepção, café e entrega de material

8h50 – Abertura

O Leilão Da Energia Nova – O Cenário: Otimismo Sobre A Oferta E Demanda Até 2011?

9h – A grande cartada na geração de oportunidades de negócios – Os investimentos em geração de energia elétrica e as condições para a implementação da oferta necessária

9h50 – Quais os programas de investimentos em curso – Uma análise sobre os pontos fortes dos principais programas de incentivo a geração e transmissão, diante da necessidade de expansão da geração de energia elétrica para a implementação da oferta necessária - Ricardo Pigatto, presidente APMPE – Associação dos Pequenos e Médios Produtores de Energia

10h35 – Coffee Break

FUNCIONAMENTO DO NOVO MODELO DO SETOR - Investimentos, Ambiente Regulado e Ambiente Livre

Quais os principais ajustes e adequações necessárias do novo modelo do setor elétrico – A influência nos investimentos de geração e o movimento dos agentes no ambiente regulado e ambiente livre

10h50 –- Ambiente Regulado: Análise sobre a situação para os principais agentes e a relação com o leilão da energia nova e os reflexos dos leilões já realizados - Antônio Carlos Fraga Machado, presidente do Conselho de Administração CCEE – Câmara de Comercialização de Energia Elétrica e Luiz Fernando Leoni Vianna, presidente da APINE – Associação dos Produtores Independentes de Energia Elétrica

11h35 – O papel dos Autoprodutores (APE’s) na atual matriz de oferta do sistema elétrico brasileiro - Mário Menel, presidente da ABIAPE – Associação Brasileira dos Investidores em Auto Produção de Energia Elétrica

12h05 – Ambiente livre: Como o novo modelo está influenciando os negócios dos agentes, quais as condições especiais, adequações e ajustes no modelo para estimular e ampliar os negócios no ambiente livre - Paulo Ludmer, diretor Executivo da ABRACE – Associação Brasileira dos Grandes Consumidores de Energia, Emílio Lacerda, diretor da AES Infoenergy e Walfrido Ávila, vice-presidente da ABRACEEL – Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia Elétrica

13h – Almoço

14h – Análise do cenário Brasil e das oportunidades de negócios – Como medir as ações e posicionamento do governo para atrair investidores, especialmente do setor elétrico, e garantir a efetivação de resultados financeiros - Laércio Dias, consultor

14h50 – Quais os principais pontos das questões ambientais no novo modelo do setor elétrico e, principalmente, para os investimentos em geração de energia decorrentes dos leilões da energia nova - Victor Zular Veibil, secretário de Qualidade Ambiental nos Assentos Urbanos

do Ministério do Meio Ambiente

15h50 – Coffee Break

16h10 – Fatores de garantia para investidores e agentes como forma de viabilizar as negociações e obter resultados competitivos e financeiros - Guilherme Guerra Schmidt, sócio do Machado, Meyer, Sendaz e Opice Advogados

17h – Da quantia de R$ 21 bilhões para a infra-estrutura, o setor elétrico detém uma posição privilegiada – Como o BNDES está preparado para atender a demanda da ministra Dilma Rousseff, especialmente para os resultados esperados para o leilão da energia nova, que venha atender as expectativas dos "players" e agentes do setor - Márcia Leal, gerente Departamento de Energia Elétrica do BNDES

18h – Encerramento




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 16 de junho de 2005, 18h13

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 24/06/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.