Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

P.S: Aliás, doutor Manoel, diante de sua acusaç...

Saeta (Administrador)

P.S: Aliás, doutor Manoel, diante de sua acusação(velada) de que haveria má-fé na minha mensagem, só posso depreender que o senhor está acometido de estultice sexagenária.Portanto, está desculpado...

Muito bem,Doutor Manoel. Sei o que ocorreu, ce...

Saeta (Administrador)

Muito bem,Doutor Manoel. Sei o que ocorreu, certamente mais detalhadamente que o senhor.Aliás, alguns dos heróis daquele tempo estão aí, mandando na política hoje. Não se discute o fato, já escreví isso.Mas, basear uma sentença que gere pagamento com dinheiro do povo, sem que hajam indícios ou algo mais que a simples afirmação da vítima, é o fim do mundo. A vítima e,por acaso, é sua cliente?

Na condição de advogado e com 68 anos de idade,...

Florencio (Advogado Autônomo)

Na condição de advogado e com 68 anos de idade, posso afirmar que certamente o Sr. Victor Saeta é muito jóvem para ter apenas uma idéia do que ocorria naquela época em que se deu o fato ou então age de má-fé tentando proteger aqueles que se colocaram naquele período acima da lei e até pensaram que poderiam se colocar acima de Deus. Mas a justiça pode tardar mas não falta.

As ações que pedem indenizações por supostos da...

Saeta (Administrador)

As ações que pedem indenizações por supostos danos sofridos ao tempo da ditadura continuam a ser mais motivo para vergonha que de regozijo por ressarcimento moral. Será que só as supostas "vítimas" tem culpa no estelionato em que isso se transformou? Não haverá uma indústria de indenizações bem azeitada por tras destas vergonhosas ações que reclamam pagamentos por hipotéticos "danos morais" ocorridos a mais de trinta anos, cuja autoria é duvidosa? Segundo a douta desembargadora- "a dor e o sofrimento vivenciados até hoje pela autora dispensam comprovação. "Não é crível aceitar que alguém possa passar por uma experiência desse porte sem sofrer abalos emocionais"-. Não se discute as emoções de uma vítima de estupro,óbviamente, mas, dispensar quaisquer comprovações sobre a existência ou não do fato é algo inadmissível. Certamente o pai da "vítima" que pleiteia indenizações e a formalização de Declaração de Anistiado Político tambem será aquinhoado com parte do formidável tesouro destinado aos pobres "perseguidos da ditadura" e administrado muito mal pelas comissões de anistia e parte da justiça brasileira..

Comentar

Comentários encerrados em 10/06/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.