Consultor Jurídico

Notícias

No cravo e na ferradura

Fiesp apóia combate à corrupção mas condena excessos da PF

Comentários de leitores

4 comentários

A imprensa erra muito, sim. Às vezes, comete il...

Fábio Carvalho (Jornalista)

A imprensa erra muito, sim. Às vezes, comete ilegalidades: calunia, injuria, difama. Outras tantas vezes, revela um modus operandi condenável. É o caso da associação de equipes de reportagem com arapongas-cidadãos-jornalistas, articulados com o submundo dos interesses comerciais contrariados. Sinto-me açoitado quando vejo alguns acreditarem que isso é jornalismo investigativo. Outras tantas vezes, a imprensa é antiética. Não há ilícito em pagar R$ 300 mil a um jornalista para compensar os serviços daquele que diz oportunizar ao "outro lado" o sagrado direito de ser ouvido. É apenas antiético vender matéria. Mas nada pune a falta de ética. Quando se tentou discutir um conselho profissional para julgar casos assim, toda a orquestração midiática conseguiu arquivar a idéia sem discuti-la. A proposta poderia não ser perfeita, poderia ser aperfeiçada, poderia até ser derrotada. Mas quem está disposto a enfrentar os pouquíssimos donos da mídia? A OAB esteve disposta a enfrentar essa discussão importante, fundamental à sociedade democrática. Foi ponderada e razoável na discussão do polêmico conselho profissional de jornalistas. A Polícia Federal também comete seus excessos - que devem ser denunciados e punidos nos rigores da lei. A lei vale para todos, esse é o mais elementar entendimento que tenho de um verdadeiro Estado Democrático de Direito. Denunciem abusos e arbitrariedades policiais. Exijam punição. Sempre. Mas, do jeito que foi conduzido esse protesto, não me convenceu. Não mesmo. Os policiais federais têm meu apoio.

Quando Eugênio Chipeckevich, o médico pediatra ...

Rossi Vieira (Advogado Autônomo - Criminal)

Quando Eugênio Chipeckevich, o médico pediatra acusado de atentado violento ao pudor, foi escrachado na mídia como monstro, preso sem mandado, linchado pelo sociedade, nos idos 2003 eu já advertia tudo isso....precisou a Daslu ser invadida, escritórios famosos serem invadidos, para a situação tomar rumo certo. Basta que se cumpra a Lei e que a mídia respeite a imagem alheia. Só isso. otavio

É difícil crer que alguns operadores jurídicos,...

Francisco de Paula Bernardes Jr (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

É difícil crer que alguns operadores jurídicos, ao invés de apoiarem um movimento em pról de fortificações de direitos constitucionais, conseguem manter-se atrelados a pensamentos mesquinhos, esquecendo-se de que ao defender tais prerrogativas, está se defendendo o estado de Direito, alcançando a sociedade como um todo, independente de ter-se iniciado o movimento após este ou outro fato. Caros colegas que atacam a classe abastada, não seria a hora certa de apoiar este movimento? Lutando para que o seu alcance seja o mais amplo possivel, defendendo- se em igual forma a aplicação desses direitos à classe mais miserável da sociedade?

Todos somos titulares de direitos humanos, cert...

Luiz Fernando T de Siqueira (Advogado Autônomo - Civil)

Todos somos titulares de direitos humanos, certo? Em tese. Algemas, exposição indevida do detido às câmeras de TV e às lentes dos fotógrafos, pré-julgamentos na mídia ... Isso sempre foi uma rotina quase que despercebida pela indiferença da turma dos endinheirados e poderosos, até que estes, flagrados com a mão na massa (ou na mala), passaram a vivenciar na própria pele esses dissabores. A defesa dos direitos humanos é sempre importante e desejável, mas neste caso soa como mera hipocrisia.

Comentar

Comentários encerrados em 26/07/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.