Consultor Jurídico

Comentários de leitores

27 comentários

O concurso para o ingresso na magistradura é ab...

Emerson Watanabe ()

O concurso para o ingresso na magistradura é aberto aos servidores,quemdiz o direito deve ter capacidade juisdicional.Qualquer decisão contra os servidores é vista como ilegal,inconstitucional,imparcial. Caros servidores doutrinadores do direito porque vocês não usaram esta incrivel capacidade juridica para fundamentar os mandados de segurança.Visto que inúmeros servidores são bacharéis espero encontrar seus nomes ns listas de aprovação do concurso para a magistradura,certamente vai faltar vaga para juiz.Não sabia que furar,carimbar e entregar papéis proporcionava ao funcionário qualidades de jurisconsultos.

Uma vez mais, vamos parar com as ofensas.. ao v...

Jose Carlos Moreira (Advogado Assalariado - Administrativa)

Uma vez mais, vamos parar com as ofensas.. ao verdadeiros colegas servidores, NÃO retruquem ofensas ou criicas..uma vez que todo ser humano com um minimo de inteligencia e bom senso sabe as nossas condições de trabalho e o porque dessa bagunça toda.. Quanto ao insucesso dos MS, ao contrario da ação da OAB, não foi julgada com a devida imparcialidade... Ou vcs discordam? A OAB e alguns advogados equivocaram-se e partiram para uma briga que não é deles.. Nao vamos brigar com os advogados, muito menos com a OAB.. Nossa patrão é o Estado, que deveria refletir o povo.. mas infelizmente isso não ocorre.. Lógico que há exceções....

O Presidente do Superior Tribunal de Justiça de...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

O Presidente do Superior Tribunal de Justiça deveria também dizer, se é legal o comportamento da omissa presidência do TJSP que tem a exclusividade na iniciativa de Projeto de Lei nº 479/04, que concede 26,39% aos servidores em greve. Aliás, desde abril deste ano o Órgão Especial, lastreado em parecer da Comissão Permanente de Orçamento do TJSP, autorizou tal reajuste... A greve é grave pela omissão das autoridades em conceder direitos aos trabalhadores, e não como disse certo Presidente DÚRSO, ontem em discurso na inauguração das salas das entidades no Fórum Rui Barbosa: "...nós advogados estamos prejudicados, por movimento grevista de servidores que mal ganham R$ 1.500,00..." Ë o pior de tudo, é que a claque do reacionário Presidente o aplaude num clímax de falsidade e inconseqüência.

16:07 15/9/2004 Retenção ilegal TJ-PB manda ...

Jose Carlos Moreira (Advogado Assalariado - Administrativa)

16:07 15/9/2004 Retenção ilegal TJ-PB manda estado pagar salário de defensores em greve O desembargador Marcos Souto Maior, do Tribunal de Justiça da Paraíba, determinou o pagamento dos salários dos defensores públicos em greve. Os contracheques dos grevistas foram retidos no início do mês pelo secretario de Adm do Est, Gustavo Nogueira, e pelo defensor público geral, Francisco de A Gomes. O desembargador ressalta na liminar que essa retenção é ilegal e abusiva. De acordo com ele, os salários são verbas alimentícias, que não podem sofrer suspensão sem que haja motivo para esse ato extremo. O M de Segurança solicitando a liberação dos contracheques foi impetrado pelo Sindicato dos Defensores Públicos do Est da Paraíba. Segundo o TJ-PB, os defensores estão em greve há 131 dias e, desde o início da paralisação, a Procuradoria-Geral do Estado protocolou um pedido de decretação de ilegalidade do movimento, mas o processo ainda está em trâmite. Panorama O presidente do Sindesp, Levi Borges Lima, informou que o governo do estado pressionava os defensores a assinarem um documento sem autenticidade, que garantiria a volta para o trabalho. Isso garantiria a liberação dos contracheques. "É uma pressão indevida, sem amparo na lei, afinal essa greve não foi declarada ilegal", comentou. Para ele, os maiores prejudicados com a greve são os carentes, que deixam de ser auxiliados. A maioria dos atendimentos feitos pelos defensores está relacionada a pedidos de pensões alimentícias, divórcios, separações, defesas de apenados e pedidos de revisão de penas. A agilidade no pedido de revisão de penas foi, inclusive, uma das principais reivindicações dos apenados no último princípio de motim feito no presídio do Roger, há duas semanas. "Não temos o exato volume do patrocínio de presos por defensores públicos, mas o fato é que, ao todo, mais de 45 mil processos estão paralisados", disse. Até o início de setembro, pelo menos 85% dos defensores, ou seja, quase todos os cerca de 300 servidores da categoria, haviam aderido à paralisação. Levi Borges explicou que, com a pressão que o estado vem fazendo para que os funcionários voltem ao trabalho, o número de adeptos pode ter reduzido. A categoria reivindica o cumprimento da CF no que diz respeito aos vencimentos. Segundo o Sindicato, a Emenda Constitucional nº 41, de dezembro de 2004, determina o salário equivalente entre defensores públicos, membros do Ministério Público e Poder Judiciário.

PRESIDENTE DO STJ DIZ QUE PARALISAÇÃO EM SP É I...

Rubens Alves Pereira ()

PRESIDENTE DO STJ DIZ QUE PARALISAÇÃO EM SP É ILEGAL Por favor, alguém poderia perguntar-lhe se o fato de os funcionários do Tribunal de Justiça ficarem 11 anos sem reajuste nos seus salários é LEGAL!? Rubens. SJC,15-09-04(14:07h).

Injusto é trabalhar para que a Justiça se faça ...

Fabiano ()

Injusto é trabalhar para que a Justiça se faça na melhor forma e ser injustiçado dentro do seu próprio trabalho. Injusto é querer nossa reposição (reposição salarial não é aumento), nossa data base, que é direito de todo trabalhador, nosso plano de carreira, melhores condições de trabalho e o Tribunal novamente informar que não tem verba. Injusto é procurar atender e servir à população e aos advogados com presteza, educação e rapidez e nesta hora onde estamos apenas querendo que nos dêem o que é nos é de direito, estes são os primeiros a repudiar a nossa luta. É uma pena, Doutores, que eu esteja lhe causando tantos problemas, que eu esteja prejudicando às pessoas erradas, mas garanto-lhe que não quero fazer justiça com as próprias mãos, quero apenas trabalhar, mas com condições, para poder continuar prestando-lhe o melhor serviço, assim como à comunidade.Quero apenas pagar minhas contas, pois, além de ser funcionário do judiciário sou uma pessoa que como outra qualquer, tem contas a pagar também.Quero poder trabalhar com satisfação e me orgulhar de pertencer ao Poder Judiciário, que deveria fazer Justiça primeiramente com os seus.

Confesso que não sei o que é mais ilegal: Se é ...

Fabiano ()

Confesso que não sei o que é mais ilegal: Se é a greve em si, ou ver uma colega de trabalho falecer aguardando receber uma verba que lhe era devida (férias vencidas, FAM, precatório, reposição, etc), que provavelmente a ajudaria no tratamento de sua doença. Se é solicitar o conserto de uma impressora ou um computador e ouvir da Administração do Fórum, que não há verba para consertos, e se eu quiser terei que pagar do próprio bolso, para continuar trabalhando e servindo os nobres causídicos e a população. Se é ter que pagar pela água, pelo papel higiênico, pelo ventilador, fazendo "vaquinhas", para se ter condições decentes de trabalho. Se é ter que comprar às próprias expensas, materiais como furadores, grampeadores e outras coisas necessárias para cumprir um processo, e procurar fazer com que a Justiça não seja ainda mais lenta do que já é. Não sei se não é mais grave ainda ver um colega de trabalho, pedir empréstimos, vender férias (que nem tão cedo irá receber), antecipar 13º salário, antecipar restituição do Imposto de renda, comprometer seus rendimentos e até recorrer à agiotas para poder continuar sustentando sua família. Saber que os Magistrados e Desembargadores, têm recebido todos os reajustes e férias e FAM e tudo o que tem direito, e ainda assim, ouvir do Presidente do Tribunal que não há verba, para pagar o que deve aos servidores. Ver colegas Oficiais de Justiça usarem seus próprios veículos (quando tem um) para cumprirem os mandados e terem seus patrimônios danificados, sofrendo agressões e correndo, as vezes, risco de vida no cumprimento de sua tarefa, aguardando o pagamento de suas diligências pagas com atraso pelo Tribunal. Concordo, quando diz que é injusto receber sem trabalhar, mas mais injusto ainda é ter que pagar para trabalhar...Mais injusto ainda, é não conseguir tirar férias, por saber que não há funcionários suficientes, e vendê-las para não receber. Injusto é ver o Tribunal criar novas Varas e Cartórios e relocar funcionários, desfalcando mais ainda o quadro que já é tremendamente desfalcado (O Sr. sabia que o Tribunal não contrata funcionários há aproximadamente 06 anos?). Injusto é o Tribunal colocar estagiários de direito, para suprir esta falta de funcionários, os quais temos que ensinar todo o serviço e ao final do estágio vê-los irem embora e outros virem e começarmos a ensinar tudo outra vez (não somos professores, somos escreventes).

O JUDICIÁRIO PUNE COM MÃOS DE FERRO QUEM COME...

Marianna2010 (Serventuário)

O JUDICIÁRIO PUNE COM MÃOS DE FERRO QUEM COMETE INJUSTIÇAS NESTE PAÍS. QUEM PUNIRÁ O JUDICIÁRIO PELAS INJUSTIÇAS QUE TEM COMETIDO CONTRA SEUS SERVIDORES?” “NÃO HÁ JUSTIÇA NA CASA DA JUSTIÇA (MOVIMENTO DOS FUNCIONÁRIOS DO JUDICIÁRIO EM DEFESA DA JUSTIÇA NO ESTADO DE SÃO PAULO) ( do blog campanhasalarial)

Senhor Flavio Do senhor não se esperava outra ...

Servidor ()

Senhor Flavio Do senhor não se esperava outra atitude a não ser esta, que colocasse ao lado dos mais fortes, dos patrões, contra os trabalhadores, pois o senhor é um empresário (ou se faz passar por um). Imagina se a moda da greve que estamos fazendo pegar, hoje já completa 77 dias. Como o senhor que é um empresário vai se virar para aguentar uma greve de 80 dias ? Então nesse ponto o senhor está certo mesmo, tem que se colocar contra os mais fracos, os injustiçados, os empregados assalariados, pobres. Continue cumprindo seu papel de empresário (colocando-se contra a greve), que nós os assalariados continuaremos cumprindo o nosso (GREVE POR TEMPO INDETERMINADO). Um abraço.

Bem, como estamos numa democracia, devemos resp...

Jose Carlos Moreira (Advogado Assalariado - Administrativa)

Bem, como estamos numa democracia, devemos respeitar a opinião desse Senhor, embora não se veja o que ele tem com tudo isso! Mas por oportuno, quando estão ganhando os desembargadores e ministros? Afinal de contas, são funcionários públicos tbm.. e recebem do Estado, que em ultima analise, somos NÓS!!! Portanto, queremos saber... E a pergunta mais importante: eles estão com seus salários defasados pela inflação e em caso positivo, qual seria o indice? transcrevo aqui a trecho da materia da Folha "Deu na Folha de SP hoje: "Do lado mais fraco O desembargador Carlos Renato Azevedo Ferreira, presidente da Associação Paulista de Magistrados, disse que a greve é 'justa, moral e legítima'. 'Muitos servidores trabalham a custo dos seus próprios recursos'." (a matéria "Paralisação atrasa decisões da Justiça", sem querer "adentrar o mérito da discussão trabalhista", encontra-se no Caderno Brasil, fls. A10, e fala sobre os dissabores que a greve traz à sociedade. Matéria da mesma página traz notícias sobre a assembléia de ontem, em SP, diz que "agora os servidores admitem aceitar reajuste de 26,39%, em vez dos 39,19% que pediam"). ...Fica a pergunta: Se a APAMAGIS pensa (e verbaliza) desta forma, como fica a atitude do Pleno? As divergências internas começam!!

“Assim, nobres doutores, ao invés de emitirem c...

Flavio ()

“Assim, nobres doutores, ao invés de emitirem críticas ou de exigirem providências, lutem conosco em favor da Justiça (...)” Fabiano (Funcionário público - Escrevente T. Judiciário — , SP) — 14/09/04 · 17:56 Fabiano, infelizmente não dá, A JUSTIÇA ESTÁ EM GREVE !

"...Hoje, o Judiciário de São Paulo está parado...

Rose ()

"...Hoje, o Judiciário de São Paulo está parado" Esse senhor está muito mal informado...

Quanto será que ganha o Vidigal?

Rose ()

Quanto será que ganha o Vidigal?

Injusta é uma administração que promete, mas nã...

Rose ()

Injusta é uma administração que promete, mas não cumpre.

Os senhores, como legítimos defensores da lei, ...

Fabiano ()

Os senhores, como legítimos defensores da lei, jamais deveriam ter sido tão tolerantes com o movimento... Seria recomendável ressuscitar os serviços do antigo “DOPS”, Lei da Mordaça, ou quem sabe, caberia, no presente caso, a aplicação do “AI5”??? Fica aí uma sugestão ao nosso Excelentíssimo Governador... Infelizmente, a ilustre representação da classe se esqueceu de um pequeno detalhe, quase imperceptível, o qual seria oportuno lembrar: ESTAMOS NUMA DEMOCRACIA e todos nós, brasileiros, lutamos muito para conquistá-la. Portanto, se estamos em greve, é por que lutamos pelos nossos direitos e esse é o maior de todos os privilégios. Se este direito necessita de Lei Complementar, não importa. O fato é que ele existe e é legítimo. Não deveremos ser penalizados, senão por uma lei que assim o determine. Assim, nobres doutores, ao invés de emitirem críticas ou de exigirem providências, lutem conosco em favor da Justiça, pois, para isso fizeram este juramento: “Prometo utilizar-me, no exercício da profissão de Advogado, dos princípios éticos e morais sobre os quis se fundamentam as Leis e a Justiça, valendo-me deles para assegurar aos homens os seus direitos fundamentais e inatacáveis” Ou será que já se esqueceram???? Muito obrigado, ilustres doutores da Lei.

Agradeço aos nobres advogados o “enorme apoio” ...

Fabiano ()

Agradeço aos nobres advogados o “enorme apoio” e “total solidariedade” ao movimento grevista. Sento-me sensibilizado diante das “palavras carinhosas” ditas a todo instante, pela classe, acerca da nossa paralisação, principalmente pelas providências exigidas na representação da ilustre categoria, de certa forma, até “brandas” diante das conseqüências geradas pelo movimento que se alastra através de todo o Estado, e dos alegados prejuízos incalculáveis, em especial aos cofres particulares de cada doutor. As providências exigidas ao Tribunal não fazem jus, em nenhum momento, ao que nós, servidores grevistas merecemos. A nossa luta pela reposição salarial publicada e não concedida, melhores condições e valorização do nosso trabalho, com vistas ao melhor atendimento ao público, é extremamente insignificante, assim como também é insignificante o nosso direito à greve, constitucionalmente garantido, mas totalmente ignorado por falta de Lei Complementar. Os nobres causídicos, freqüentadores assíduos deste site, embasam seu descontentamento, nos “enormes salários”, “privilégios” e “vultosas aposentadorias”, supostamente por nós recebidos, esquecendo-se de que a grande maioria dos servidores são bacharéis e advogados, aprovados em concurso público, que é de igual oportunidade para todos. Assim, diante dos motivos frívolos da greve considerada “ilegal” pela classe, deixamos aqui algumas sugestões que também poderiam ser exigidas para providências enérgicas, a serem aplicadas, em caráter de urgência pelo Tribunal a todo servidor que esteja em greve. 1). Todos os funcionários grevistas, deverão ser arrastados pela Cidade, portando um cartaz com as palavras “ESTOU LUTANDO PELOS MEUS DIREITOS”; 2). Cada advogado terá direito de esbofetear cada servidor grevista em praça pública, quantas vezes forem os prejuízos causados pela paralisação, bem como os “velhinhos aposentados”, autores e réus que se achem prejudicados com o movimento possam lançar pedras, numa atitude de protesto. 3) Os vencimentos dos servidores grevistas serão retirados de imediato, seus bens confiscados e suas famílias deverão passar por privações até a 5ª geração; 4) Os agitadores deverão ser deportados para a Argentina e lá viverem como exilados, e seus direitos de cidadania cassados... Pois, é... Na realidade, as medidas exigidas em várias manifestações, foram realmente muito brandas.

Tenho participado de discussões neste "site" e ...

Flavio ()

Tenho participado de discussões neste "site" e a situação é sempre a mesma: O MUNDO inteiro está errado e os grevistas estão corretos. Todo mundo que opina contrariamente à greve, ou "está por fora" ou "é burro". Agora ... os grevistas não . Eles são super informados, sabem de tudo, tem na ponta da língua todas as normas que supostamente os favorecem. Todos, orientados pelo comando de greve, repetem o mesmo discurso: CF/88, reajuste, ilegalidade nos descontos, etc. Qualquer pessoa à favor da greve é uma pessoa culta, inteligente, de bom senso etc. Se for contrária, pode ser o Einstein, é um burro. Desde o início tenho dito que a greve não é a melhor forma de reivindicar. Trata-se de movimento radical e muito prejudicial. Um dia os servidores da justiça aprendem, e verão o tanto de INJUSTIÇA fizeram. Paz

Retificando: Que belo "modelo de justiça" os a...

Candeeiro (Advogado Autônomo)

Retificando: Que belo "modelo de justiça" os angolanos levarão para o seu país!

Limírio Urias Gomes, advogado, professor, ex-ve...

Limírio Urias Gomes (Advogado Autônomo)

Limírio Urias Gomes, advogado, professor, ex-vereador Finalmente, alguém de peso ao nível de Judiciário, vem a público, esclarecer e condenar a Greve no Judiciário Paulista. Com efeito, mesmo dentro dos cartórios há centenas, mesmo milhares que não concordam com a greve e com os seus efeitos maléficos de impossível reparação, que somente pode acontecer, num Brasil de Bananas, que somente pode estar instalado numa não menor região continental de Bananas, que é a América do Sul. O tempo passa e a verdade aparece. Hoje, vendo o Judiciário Paulista paralisado há cerca de 70 dias, e o MST invadindo prédios públicos, fazendas particulares e o Governo de um modo geral nada fazendo para resolver dentro da lei esses gravíssimos problemas é que damos razão ao falecido presidente Charles DeGaulle, que em visita ao nosso país, lançou a fase lapidar " esse não é um país sério!". E há ainda aqueles que defendem o não desconto dos dias parados durante a greve! Se não houver o desconto dos dias parados em greve, o que se cometerá será um "assalto" aos cofres estaduais, vale dizer nos nossos bolsos, que são quem, via impostos e taxas, abaste os cofres paulistas. Não posso deixar de entender que os funcionários do Judiciário, têm todo o direito de reivindicar tudo aquilo que julgam ter direito. Porém, esse direito cessa, quando passa a prejudicar milhões de pessoas, no Estado de São Paulo, que necessitam do Judiciário para resolver os seus problemas. E o que é mais degradante e humilhante, é o papel histriônico que vêm fazendo os advogados paulistas, que sofrem de forma mais contundente os efeitos da grevel. Esses "meus colegas", preferem se calar e não escrevem para os jornais, não dão entrevistas nos rádios e tv, enfim, parece que estão sastisfeitos com a atual situação. Na verdade, quem não sabe defender os seus próprios direitos, não pode se arvorar em ser advogado e pretender defender o direito de seus clientes. Advogado, não fique calado, consentindo com essa greve que não pode continuar. Escreva, grite, lute, mostre o que você pensa. Limírio Urias Gomes é Advogado, Professor, ex-Vereador em São José do Rio Preto SP e Presidente Nacional da ALADECCON – Ass. Latino-americana de Defesa do Contribuinte, do Consumidor e da Micro, Pequena e Média Empresa – E-mail limiriogomes@ig.com.br - aladeccon@ig.com.br

Que belo os angolanos levarão para seu país!

Candeeiro (Advogado Autônomo)

Que belo os angolanos levarão para seu país!

Comentar

Comentários encerrados em 21/09/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.