Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ponto final

Reajuste salarial no Banco do Brasil e CEF será de 8,5%

Por 

O reajuste salarial dos bancários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal será de 8,5%. O índice foi aprovado por unanimidade, nesta quinta-feira (21/10), pelos ministros da Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC) do Tribunal Superior do Trabalho. Esse índice fora proposto pelo presidente do TST, ministro Vantuil Abdala, na audiência de conciliação na quarta-feira (13/10), mas foi recusada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec) e pela Federação Nacional dos Bancos.

O relator do dissídio coletivo, ministro Antônio Barros Levenhagem, também concedeu, no que foi acompanhado pelos seus pares, um abono de R$ 1 mil a ser pago dez dias após a publicação da sentença.

Os bancários da instituição oficial de crédito, contudo, receberão apenas 50% dos salários referentes aos 30 dias de greve, entre 15 de setembro e 15 de outubro, devendo compensar os 50% restantes. A forma de compensação será negociada entre empregados e empregadores, o que, no entender do relator, servirá dar continuidade ao processo de negociação.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 21 de outubro de 2004, 15h59

Comentários de leitores

1 comentário

DEGRADAÇÃO DO TRABALHO ASSALARIADO NO BRASIL. A...

Nilton Ramos Inhaquite ()

DEGRADAÇÃO DO TRABALHO ASSALARIADO NO BRASIL. A cada dia que passa, os trabalhadores ganham menos REALMENTE, mesmo auferindo em REAL e não têm as perdas decorrentes das inflações passadas incorporadas aos seus salários de gelo derretendo ao sol. Os bancos tem lucros astronômicos e demitem cada dia mais, automatizando impediosamente e sem se preocupar com o homem-trabalhador e o problema social que criam. Trabalham em horários inconvenientes e desrespeitodos, geralmente, das 10:00 h às 16:00 h em média e arrecadam todo o dinheiro do comércio que funciona das 08:00 h às 18:00 h, no mínimo, atendendo ao público. O cidadão tem que "quebrar" a sua manhã ou tarde, se quiser ir no caixa de VERDADE de um banco, em vez do auto-atendimento. E os velhinhos, muitos deles, são vítimas dos estelionatários que os "ajudam" a utilizar seus cartões (nossa população tem um número enorme de analfabetos) nesses atendimentos quase que obrigatórios, pois alguns "ladrões" se passam por "funcionários" ou terceirizados. Porém, decisão judicial não se discute. Mas, é uma triste decisão, esta do TST, que não atende aos interesses dos trabalhadores bancários e nem repõe as grandes perdas salariais que se avolumam e aviltam seus salarios dia a dia. Infelizmente, isto acontece mesmo em se tratando do Governo Lula (de origem sindical), que poderia solucionar este problema, ao menos com relação aos bancos estatais e empresas estatais, dando um bom exemplo de negociação, antes de uma decisão judicial prejudicial aos trabalhadores bancários. Lamentável, mas, certamente que a luta dos bancários continua...

Comentários encerrados em 29/10/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.