Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Voltou atrás

Governo inclui gestão de Maurício Corrêa na história do STF

Por 

O Palácio do Planalto voltou atrás e colocou, no site do governo, o nome do ministro Maurício Corrêa como um dos ex-presidentes do Supremo Tribunal Federal. Ele foi declarado inimigo oficial do governo pelas críticas feitas ao presidente Lula.

A supressão do mandato de Corrêa podia ser vista no site do Palácio do Planalto, no espaço reservado às Informações Históricas, até o início da tarde desta quinta-feira (14/10). Expandiu-se o mandato do presidente anterior, o ministro Marco Aurélio, para que o registro seguinte fosse a gestão do atual presidente, o ministro Nelson Jobim.

A Secretaria de Comunicação da Presidência da República alegou que houve “uma falha” na atualização do site. O erro foi corrigido horas depois de a revista Consultor Jurídico ter entrado em contato com a Secretaria de Comunicação do governo.

O ministro Maurício Corrêa disse que o governo agiu dessa forma por uma “questão de vingança”. O ex-presidente do STF disse que a atitude é “resquício da ditadura”.

Para outro ex-presidente do STF, a supressão de um trecho da história do STF "vai além da vocação autoritária, é puro totalitarismo mesmo".

Corrêa comandou a Corte de junho de 2003 a maio de 2004. Durante todo seu mandato criticou o governo Lula. Já no seu discurso de posse, Lula estava presente e teve de escutar duras críticas sobre a reforma da Previdência.

 é editora da revista Consultor Jurídico e colunista da revista Exame PME.

Revista Consultor Jurídico, 14 de outubro de 2004, 17h39

Comentários de leitores

5 comentários

"S.M.J." jamais haveria como 'apagar' a gest...

Alexandre Eli Alves ()

"S.M.J." jamais haveria como 'apagar' a gestão de Mauricio Correa da história do STF, porque a sua contribuição, com decisões buscando a Justiça e repudiando as 'decisões políticas' marcam de forma inesquecíveis sua passagem pelo Supremo Tribunal Federal. Há que se salientar ainda, já era esperado as atitudes como estas "falhas e esquecimentos", por parte de órgâo governamentais, principalmente quando são os meios que estas pessoas sem estrutura e bagagem agem quando ficam acuados diante das verdades ditas pelo Ilustre Ministros que sempre foi imparcial e não se curvou diante do poderio econômico e politíco que o atual governo osteta. A nossa esperança é que seja realmente uma "falha", e que os demais membros do Supremo Tribunal Federal sejam fortes e imparciais e assim como o Ilustre Ministro Mauricio Correa, sob pena de estarmos realmente no caos, e o que é pior, sem a esperança que outrora estava estapado em nossos Egrégios Tribunais que sempre agiam com a mais lídima Jusitça... Alexandre Eli Advogado

Segundo a assessoria presidencial tudo não pass...

Ivan (Advogado Autônomo)

Segundo a assessoria presidencial tudo não passou de “UMA FALHA”. Não sei por que duvidar disso... Afinal, com tantas aberrações e equívocos grotescos, nada mais normal que nosso governo amigo tenha cometido mais "uma falha". Creio que está tudo explicado e em perfeita consonância com atos pretéritos (expulsão do famoso jornalista americano; caso Waldomiro; "foras" hilários em discursos mundo afora etc.). O Presidente nos prometeu um tal "ESPETÁCULO DO CRESCIMENTO", mas (outra "falha"!), vimos ao longo do tempo o "CRESCIMENTO DO ESPETÁCULO"... circense! Realmente, tudo não passa de meras falhas...

Sob codinome "Outra", a crítica revelou-se in...

Sérgio Paulillo (Advogado Autônomo)

Sob codinome "Outra", a crítica revelou-se inane, pois o anonimato é jaez próprio da iniquidade. Em estrato absolutamente apartidário, é preferível uma eventual discriminação "oposicionista" ante à pecha notória do desmerecimento - não obstante a primeira ser também consequência da segunda -, em um cargo que "deveria" ser ocupado exclusivamente por luminares do ressaber conduzidos de forma exprovada, não obstante a já padecida imagem da instituição como virtual caudatária do fisiologismo presidencial estruturado. Sérgio Paulillo Advogado

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 22/10/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.