Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pesquisa ConJur

Pesquisa: para advogados, informatização torna Judiciário mais ágil

Agilização do Judiciário depende da informatização, dizem advogados

O primeiro passo para tornar o Judiciário brasileiro mais ágil e a justiça mais rápida é a informatização. Essa é a opinião de 44% dos advogados ouvidos por Consultor Jurídico em pesquisa realizada durante o XXIX Encontro de Presidentes de Subseções da OAB-SP, ocorrida em Atibaia entre os dias 26 e 28 de novembro.

A informatização, que poderia agilizar o sistema, vem acompanhada de uma outra reivindicação dos advogados paulistas: o aumento da produtividade dos magistrados. Para 29% dos entrevistados, essa seria a solução ideal para diminuir a morosidade do setor.

Além disso, 19% apontaram a privatização dos cartórios como solução para o problema, 6% acreditam que a agilização do Judiciário só virá com uma modificação na Lei de Responsabilidade Fiscal e 2% sugeriram a aplicação da súmula impeditiva.

A avaliação dos advogados paulistas segue outro ponto pesquisado no mesmo levantamento, que indicou que 81% dos entrevistados não acreditam que a adoção da súmula vinculante resolva a morosidade da Justiça.

Em contrapartida, os mesmos entrevistados consideraram que o cidadão é o maior beneficiado com a reforma do Judiciário aprovada no Senado. Pelo menos essa foi a resposta preferida de 54% dos entrevistados. Para 20% o Poder Público é quem mais se beneficiou com a reforma, contra 12% que apontaram os juízes, 11% os próprios advogados e 3% o Ministério Público.

Violações de prerrogativas

A pesquisa perguntou ainda qual deve ser o procedimento no caso de violação das prerrogativas dos advogados. A grande maioria (49%) afirmou que esses casos devem ser punidos administrativa e criminalmente. Por outro lado, 24% acham que as violações das prerrogativas devem ficar sem punição. Para 18% dos advogados que responderam ao questionário, as punições devem ser apenas criminais e, para 9% elas devem ser de caráter administrativo.

Veja os números da pesquisa

A agilização do Judiciário depende prioritariamente de que fatores?

44% - Informatização da Justiça

29% - Aumento da produtividade dos magistrados

19% - Privatização dos cartórios

6% - Modificação na Lei de Responsabilidade Fiscal

2% - Súmula impeditiva

A reforma do Judiciário atende melhor ao:

54% - Cidadão

20% - Poder Executivo

12% - Juiz

11% - Advogado

3% - Ministério Público

A súmula vinculante vai resolver o problema da morosidade da Justiça?

81% - Não

19% - Sim

As violações de prerrogativas dos advogados devem ser:

49% - Punidas administrativa e criminalmente

24% - Ficar sem punição

18% - Punidas criminalmente

9% - Punidas administrativamente

Revista Consultor Jurídico, 29 de novembro de 2004, 15h39

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 07/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.