Consultor Jurídico

Comentários de leitores

13 comentários

Será que os autores da proposta se lembram que ...

Marcio Castro Brandão ()

Será que os autores da proposta se lembram que um Juiz passa por um concurso público com a participação de um representante da OAB na comissão?

E o quinto constitucional?? Por que os advoga...

Marcos ()

E o quinto constitucional?? Por que os advogados não se submetem também a provas escrita e oral como todos os demais cidadãos que ingressam no serviço público??

Como sempre, o Sul está de parabéns. Importante...

paulo (Advogado Autônomo - Empresarial)

Como sempre, o Sul está de parabéns. Importante e saudável proposta e todos nós devemos cerrar em torno dela, que no mínimo, é uma vergonha que: se sai de uma faculdade e não precisa ter inscrição na OAB. Inscrito na OAB, para ser candidato de qualque Subsecção, precisa estar inscrito pelo menos cinco (5) ANOS! E o não inscrito, ganha "carta de alforria" para competir no mercado livremente. Não porque provou estar apto e sim porque ocupou um cargo, que lhe deu chance de "fugir" de um exame que ao que parece, felismente, em todas as unidades da Federação está sendo eficiente: ou presta,ou não não presta. Quantos destes que estão nessa situação passarão, ou alguém (OAB) dirá: OS REIS ESTÃO NÚS.

O pensamento jurídico cientifico que alavanca o...

Fmdsouza (Advogado Autônomo - Empresarial)

O pensamento jurídico cientifico que alavanca o país, vem do sul do país. Para quem não sabe, os Estados do sul do pais são: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Conheço os três Estados e, gostei muito de Curitiba e Caiobá - este último, bela praia do litoral paranaense. Assim, parabenizo de antemão, a proposição do ilustre presidente da OAB/SC, que é algo revolucionário, num mar modorrento... da OAB Federal.

Em tempo: considerando que o advogado precisa e...

LUÍS  (Advogado Sócio de Escritório)

Em tempo: considerando que o advogado precisa estar atualizado para exercer a profissão, devido à mudança constante das leis, porque então, nesta linha de raciocínio, não instituir exames periódicos tanto para os advogados quanto para os juízes? Há muito sujeito que faz a prova para juiz não com o intuito de trabalhar, mas para se encostar no cargo, uma verdadeira aposentadoria precoce. Vão para comarcas do interior e não julgam coisa nenhuma, enquanto está cheio de advogado que, talvez tenha menos conhecimento jurídico, mas arregaçaria as mangas para trabalhar e seria um juiz melhor que tais preguiçosos. Também há pessoa que faz prova do ordem e fica vinte anos pagando OAB sem advogar, e se acha advogado! São esses aí que ferram a profissão quando vão para os fóruns ou quando participam de eleições na OAB, estando distantes da realidade de quem arregaça a manga. Se houvesse prova periódica da OAB, aposto que teria muito Presidente de Seccional que iria passar vexame, porque está tanto tempo fazendo política que não sabe mais o que é advogar. É claro que estou falando daqueles que não usam a OAB para angariar clientela, como também é muito comum de ocorrer...

Eu também acho que juiz aposentado não devia ad...

LUÍS  (Advogado Sócio de Escritório)

Eu também acho que juiz aposentado não devia advogar, a não ser que abrisse mão da aposentadoria. Quarentena é pouco. Quanto à matéria, há excelentes advogados que se tornam péssimos juízes e vice e versa. Não sei se esses exames de ordem servem para alguma coisa, ao menos do jeito como são realizados. Em geral, tanto o exame de ordem como os concursos estão medindo apenas conhecimentos jurídicos, quando a prática da advocacia e da magistratura não se resumem a conhecimentos jurídicos, mas exigem dos profissionais diversas outras habilidades e condições intelectuais. Há muito advogado por aí que não possui conhecimentos elementares da nossa língua, e há magistrado que parece que foi trancafiado a vida inteira dentro do ambiente acadêmico do direito, não passou experiência alguma na vida, não passa de um teórico despreparado para o cargo. Se a sujeição dos juízes ao exame for uma mera revanche da OAB, eu sou contra. Mas se for para medir a capacidade de advogar eu sou a favor. Mas é preciso mudar estes exames de ordem, que, no meu ponto de vista, estão virando uma indústria. Há alguém ganhando com isto. Tem conselheiro da OAB que é dono de faculdade e já ouvi dizer que patrocina esse tipo de coisa por interesse econômico. Onde há fumaça há fogo.

Parabéns ao Presidente da OAB/SC. Não há pres...

Flávio Guedes (Advogado Autônomo)

Parabéns ao Presidente da OAB/SC. Não há presunção que o cargo de magistrado ou de membro do MP traga a capacitação necessária para que exerçam a advocacia plena. Todos gostariamos muito de vê-los participando das provas da OAB, nas duas fases, por questão de justiça e de respeito a toda classe. Duvido muito que vários deles venceriam as duas etapas... Último índice de aprovação da OAB/SP = 8% ! E ai, dá para encarar ?!

Justíssima a pretenção de normativa uma vez que...

Carlos Henrique Mascareñas ()

Justíssima a pretenção de normativa uma vez que os magistrados são honrados pelo exercício nobre, mas não podem se tornar superiores através da magistratura. Precisa ser submetido a exame como qualquer outro bacharel e provar que encontra-se apto ao exercício da advocacia.

Não bastasse o fornecimento independentemente d...

Fernando Lacerda (Advogado Autônomo - Civil)

Não bastasse o fornecimento independentemente do inafastável exame de habilitação, não raras as vezes, a entrega - após caloroso aplauso - é procedida pelo próprio Presidente da Classe. Realmente, alguma coisa não vai bem.

Complementando nosso comentário precedente, e c...

Antonio R F Almeida (Advogado Autônomo - Civil)

Complementando nosso comentário precedente, e com a devida vênia e respeito, quem sabe os ilustres Magistrados que pretendessem advogar, renunciariam às suas aposentadorias para viver, em igualdade de condições com seus novos pares, apenas dos proventos obtidos com a advocacia.

Interessante essa idéia. Por que não ? Parece q...

Antonio R F Almeida (Advogado Autônomo - Civil)

Interessante essa idéia. Por que não ? Parece que o "gigante adormecido", ou seja, o grande contingente de advogados brasileiros, começa acordar para se irmanar e auto-afirmar, enquanto verdadeira classe, defendendo seus legítimos interesses, como comumente o fazem as demais classes - para não dizer corporações - , de profissionais e agentes públicos. Interessante também a opinião do Bacharel Paulo Gomes. A se pensar ...

Ex-juízes (aposentados) nem deviam poder advoga...

Paulo E. Gomes ()

Ex-juízes (aposentados) nem deviam poder advogar. Deveria optar: ou advoga ou recebe aposentadoria do Estado. O que não deveria acontecer é o ex-juiz se apresentar no mercado da advocacia escorado por sua larga experiência, seus confortáveis proveitos e seu título de ex integrante do judiciário. Concorrência desleal é pouco. Querer exame de admissão é mesquinharia. Claro que se pode presumir a capacidade do ex-juiz.

Senhor Adriano Zanotto. Parece que V. Senhoria ...

Fernando Oliveira (Estudante de Direito - Criminal)

Senhor Adriano Zanotto. Parece que V. Senhoria tem muito o que fazer ai em seu gabinete, e arruma um tempinho para trazer mais problemas para o Judiciario brasileiro. Se preocupe com os problemas da OAB-SC, que pelo que sei, são imensos. Colocando sua casa em ordem, vamos questionar sua indagação e ver se é possível. Portanto, vá trabalhar para o progresso da justiça em nosso país..

Comentar

Comentários encerrados em 4/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.