Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

De olho nos juízes

OAB-SP quer punição de juízes que mandaram PF invadir escritórios

Por 

A OAB paulista quer processar juízes que determinaram busca e apreensão em quatro escritórios de advocacia este ano -- uma em São Paulo e três em Campinas. A afirmação é do presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, que repudiou as violações de prerrogativas dos advogados durante a reunião de presidentes das OABs, nesta sexta-feira (26/3), em Curitiba. A entidade já entrou com representação contra os juízes no Conselho da Magistratura.

“Invasões em escritórios de advocacia -- mesmo com mandados -- significam a instauração do caos”, disse D’Urso em entrevista à revista Consultor Jurídico. Segundo ele, os clientes se tornam vítimas do Estado cada vez que um juiz manda invadir um escritório de advocacia.

De acordo com o presidente da OAB-SP, busca e apreensão em escritórios de advocacia somente devem ser feitas se os advogados forem os investigados e desde que haja justa causa. “A Justiça pode também determinar busca e apreensão na casa ou escritório do cliente. Mas determinar a invasão em escritórios para conseguir informações sobre clientes é rasgar a Constituição Federal”, ressaltou.

D’Urso defendeu a punição criminal para autoridades que violarem as prerrogativas de advogados. A lei atual garante a inviolabilidade dos arquivos de advogados, mas não prevê pena para quem não a respeitar. “Se tiver lei penal, as autoridades vão pensar duas vezes antes desrespeitar as prerrogativas”, acrescentou.

Ele esteve reunido esta semana com o presidente eleito no Superior Tribunal de Justiça, Edson Vidigal, para conversar sobre as invasões em escritórios. Vidigal, que era advogado, apoiou as idéias de D’Urso.

 é editora da revista Consultor Jurídico e colunista da revista Exame PME.

Revista Consultor Jurídico, 26 de março de 2004, 13h21

Comentários de leitores

5 comentários

Por que o Presidente da OAB não foi conversar c...

Paulo André Bueno de Camargo ()

Por que o Presidente da OAB não foi conversar com o PRESIDENTE do STJ ? A resposta está no próprio artigo.

Nem tanto ao céu e nem tanto à terra, como se d...

O visitante (Outros)

Nem tanto ao céu e nem tanto à terra, como se disse em outros comentários. Invadir o sigilo profissional do advogado para atingir clientes é realmente um absurdo, no meu modo de ver. Mas existem bandidos que se passam por advogados, funcionando como verdadeiros parceiros criminosos, o que, infelizmente, ocorre em todas as carreiras. Bandido é bandido e não advogado.

As prerrogativas da advocacia são o pilar de su...

Marcelo Tacca (Advogado Autônomo - Civil)

As prerrogativas da advocacia são o pilar de sustentação de nossa profissão e nunca foram tão violadas como vem ocorrendo no presente momento. A luta da OAB/SP e de todas as Subsecções deve ser implacável com juízes, promotores ou quaisquer outras autoridades que venham a tisnar as prerrogativas da profissão. Isso não pode ser apenas retórica, é preciso que seja transformado em ações efetivas. Parabéns ao Presidente D'Urso pela investida em defesa da classe.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/04/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.