Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ponto de vista

OAB considera frustrantes os primeiros 15 meses do governo Lula

“Frustração”. Esta é a palavra que melhor define o sentimento da maior parte dos representantes da advocacia brasileira em relação aos primeiros quinze meses do governo Luiz Inácio Lula da Silva. A opinião foi expressa pelos presidentes de seccioniais da OAB reunidos em Curitiba.

Entre discursos esperançosos, o que mais se ouviu como resposta à pergunta “qual avaliação fazem desses primeiros quinze meses do governo” foi a expressão de descrédito. Para a maioria dos entrevistados, o governo não cumpriu suas promessas de campanha, está sem rumo e não se sabe se ele tem condições de reagir.

Leia as opiniões dos presidentes

Adherbal Maximiano Corrêa da OAB-Acre

“Esse governo é a impostura total. Isso eu já esperava. Não conheço ferroviário que tenha dado certo na Europa, não conheço líder sindical que tenha dado certo em governos europeus ou americanos. Nos anos 70, a Polônia namorou Lech Walessa, depois teve o Vlaclav Havel na Checoslováquia. Nenhum deu certo. Aqui não poderia ser diferente. O governo está apresentando exatamente o que eu esperava”.

Marcos Bernardes de Melo da OAB-Alagoas

“Nós estamos caminhando para um desastre. Na verdade, o país parou. A economia parou. A fome aumentou. O desemprego aumentou. A falta de garantias das pessoas também aumentou e tudo aquilo que se pregava por este governo e tudo aquilo que se esperava dele está sendo negado. Por isso é acredito que estamos caminhando para um verdadeiro desastre”.

Washington Caldas da OAB-Amapá

“O Amapá está entristecido com a atuação do presidente Lula. O pouco esforço demonstrado pelo governo no intuito de apurar as denúncias feitas ao ex-assessor da Casa Civil, Waldomiro Diniz, foi considerado lamentável pela sociedade amapaense. Não esperávamos jamais isso do PT. Esperávamos medidas mais concretas e, ao final, o governo surpreende o Amapá e todo o país”.

Dinailton Oliveira da OAB-Bahia

“Acredito que a minha avaliação seja igual à da maioria do povo brasileiro: o sentimento, neste momento, é de frustração total com o governo Lula”.

Hélio Leitão Neto da OAB-Ceará

“O governo do presidente Lula não difere fundamentalmente do de Fernando Henrique Cardoso e dos governos anteriores. É um grupo que tinha um discurso para ganhar a eleição e outro para governar. Ele continua comprometido com o consenso de Washington e com o capital internacional. Se existe alguma diferença é o fato de Lula efetivamente ter traído o seu discurso, um discurso de 20 anos, e ter traído o projeto político do PT”

Federal, Estefânia Viveiros da OAB-Distrito Federal

"Lula foi eleito por representar uma perspectiva de mudança no País, que precisa crescer mais, gerar mais empregos, diminuir esse enorme fosso que há entre ricos e pobres e reduzir também a sua dependência das instituições financeiras internacionais. No entanto, a sensação que temos hoje é que o Brasil continua estagnado, seja por falta de ações concretas, seja por causa de escândalos que continuam a acontecer dentro da máquina administrativa oficial e que precisam ser apurados com rigor. Felizmente, outros setores estão fazendo a parte deles. O Congresso, por exemplo, está dando seqüência às discussões em torno da reforma do Judiciário, e embora o caminho a percorrer ainda seja longo, este é um ponto positivo. Não se pode dizer o mesmo da reforma Tributária, que continua sendo alvo de muitas críticas. Nós, como todos os brasileiros, continuamos esperando, mas essa espera não pode ser eterna. Na verdade, já esperamos demais”.

Agesandro da Costa Pereira da OAB-Espírito Santo

“A resposta que o governo tem nos dado nesses últimos quinze meses não é, obviamente, a que esperávamos. O que se pretendia era uma ampla mudança, inspirada nos princípios do Estado de Direito Democrático. O que nos parece é que o governo Lula utiliza os mesmos métodos que nós sempre condenamos em governos anteriores. Nessa perspectiva, acho que o cenário político brasileiro não vai bem”.

Miguel Cançado da OAB-Goiás

“É preocupante a situação do País. No que se refere à política econômica, há uma forte instabilidade, caminhando agora também para uma instabilidade política, o que é ainda mais grave. Tudo isso leva uma grande apreensão a todos com relação ao futuro da nação”.

José Caldas Góis da OAB-Maranhão

“Acho que o governo Lula ainda não correspondeu às expectativas da população brasileira. O povo depositou toda a sua confiança nele e está vendo agora um desencontro nesta administração. Considero o governo de Luiz Inácio Lula da Silva um governo razoável, mas acredito que ainda resta uma esperança”.

Francisco Anis Faiad da OAB-Mato Grosso

“O governo começou recheado de esperança, mas, aos poucos, tem demonstrado insegurança na hora de colocar em prática suas propostas e os programas que constituíram o plano de governo. Este é um governo extremamente inseguro e que não consegue colocar em prática tudo o que foi idealizado”.

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

Revista Consultor Jurídico, 26 de março de 2004, 14h31

Comentários de leitores

4 comentários

E lamentavel se ver a sitação do Pais, onde o u...

Edmilson Correa (Administrador)

E lamentavel se ver a sitação do Pais, onde o unico argumento do governo, a partir de seu titular, de que ""receberam uma herança maldita, deixada por FHC". O governo, com isso só esta dando testemunho de sua incapacidade administrativa e politica e aí temos que dar razão, aos agora oposicionistas, de que o governo nao tem projetos nem liderança, está feito barata tonta, atirando em todas direções, uns contra os outros, decorrido 1/3 do mandato e os dez milhões de empregos, estão cada vez mais longe, pois o tempo está menor e os desempregados aumentaram... como o Lula não vai mesmo se reeleger, acho que o proximos governo terá alavancar, pelo menos VINTE MILHÕES DE EMPREGOS...

Retificando meu comentário anterior, somente ...

Ido Kaltner (Advogado Assalariado)

Retificando meu comentário anterior, somente 3 presidentes eleitos diretamente terminaram seus mandatos após a segunda guerra mundial, Eurico Gaspar Dutra e Juscelino Kubitschek, FHC é o terceiro.

Gostaria de lembrar que as maiores injustiça...

Luis Fernandes ()

Gostaria de lembrar que as maiores injustiças e ataques às prerrogativas da OAB ocorreram nesse governo do PT, que se diz democrático. É só reparar quantos escritórios de advogados já foram invadidos por ordem da justiça, que obedece o Ministério Público, que por sua vez é o braço armado do PT. Quantos advogados tiveram seus telefones grampeados. O PT já curvou o Judiciário e agora quer dobrar a OAB. Devemos reagir.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/04/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.